DIFERENÇAS, DEFICIÊNCIAS: IMPLICAÇÕES NO ATO EDUCATIVO


A Lei nº 13.146 (Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência), sancionada em 6 de julho de 2015, considera que a  avaliação da deficiência, quando necessária, será biopsicossocial, realizada por equipe multiprofissional e interdisciplinar que precisa considerar:


Os comportamentos sociais inadequados; dificuldades de interação social; necessidade de apoio acadêmico; dificuldade de compreensão e execução de comandos; necessidade de apoio na realização de atividades simples da vida diária.


Os comportamentos sociais restritivos e inadequados; dificuldades no desenvolvimento da fala e no estabelecimento de comunicação; a dificuldade de interação social; dificuldade de compreensão e execução de comandos; necessidade de apoio na realização de atividades simples da vida diária.


Relatórios clínicos evidenciando a necessidade de apoio na realização de atividades simples da vida diária; recomendação do setor de saúde para oferta dos serviços da Educação Especial para o aluno em questão.


Os impedimentos nas funções e nas estruturas do corpo; os fatores socioambientais, psicológicos e pessoais; a limitação no desempenho de atividades; e a restrição de participação.


Os comportamentos sociais restritivos e inadequados; dificuldades no desenvolvimento da fala e no estabelecimento de comunicação; a dificuldade de interação social; dificuldade de compreensão e execução de comandos; necessidade de apoio no desempenho de atividades.

Em uma perspectiva inclusiva, o trabalho pedagógico junto aos alunos com surdez nas escolas comuns, precisa ser desenvolvido em um ambiente bilíngue. No Brasil, isso significa que:

Marque com um X a única resposta correta.


O trabalho pedagógico seja desenvolvido em um espaço em que se utilize efetivamente a Língua Portuguesa sem outra língua.


O trabalho pedagógico seja desenvolvido em um tempo mínimo para a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) e o resto com a Língua Portuguesa.


O trabalho pedagógico seja desenvolvido em um espaço em que se utilize a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) e a Língua Portuguesa.


O trabalho pedagógico seja desenvolvido em um espaço em que se utilize a afetividade e a Língua Portuguesa.


O trabalho pedagógico seja desenvolvido em um espaço em que se utilize apenas a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS).

No caso de estudantes com Deficiência Visual, alguns sinais recorrentes podem ser observados informalmente pelos profissionais da educação, dentro ou fora da sala de aula. Esses sinais, quando identificados e dada a frequência com que ocorrem, merecem encaminhamento para avaliação clínica específica por sinalizarem possíveis indícios de baixa visão.

Assim, o professor deve estar atento aos estudantes que apresentem sinais como:

I - Dores  de cabeça constante, olhos vermelhos ou lacrimejantes, inclinação da cabeça para enxergar, intolerância à luz;

II - Hábito de apertar ou esfregar os olhos, trazer o papel, o caderno ou livro para perto dos olhos, chegar bem próximo do quadro negro ou da televisão para enxergar

III - Que tropeçam ou esbarram em móveis ou objetos com frequência, que evitam executar tarefas que dependem da visão, demonstrem oscilação entre ver e não ver algo ou alguém, etc.

IV - Hábito de apertar ou importunar o coleguinha, trazer o papel, o caderno ou cadeira dele para perto de si, chegar bem próximo do quadro negro ou da televisão para enxergar seus programas preferidos.

As respostas corretas estão em:


I - II e III apenas


I e II apenas


I – II e IV apenas


I – II – III e IV


II e III apenas

Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência).

Em 6 de julho de 2015, foi sancionada a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência), Lei nº 13.146, que se destina a assegurar e a promover, em condições de igualdade, o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais por pessoa com deficiência, visando à sua inclusão social e cidadania. (Brasil, 2015, p.01).

Sobre a pessoa com deficiência, analise as assertivas a seguir e marque a concepção apresentada pela referida Lei:


Com base nessa lei, a deficiência se caracteriza por um impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, que aliado a uma ou mais barreiras  pode obstruir sua participação plena e efetiva no contexto social, em condições de igualdade com as outras pessoas. .


Com base nessa lei, a pessoa com deficiência se caracteriza por  um impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, que que não compromete sua participação plena e efetiva no contexto social em condições de igualdade com as outras pessoas.


Com base nessa lei, a deficiência se caracteriza por não apresentar impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, mas mediante as barreiras culturais ocorre a obstrução de sua participação plena e efetiva no contexto social, em condições de igualdade com as outras pessoas.


Com base nessa lei, a pessoa com deficiência se caracteriza por possuir quadro de saúde física ou mental, que aliado a uma ou mais barreiras  pode dificultar ou facilitar  sua participação plena e efetiva no contexto social em condições de igualdade com as outras pessoas.


Com base nessa lei, a com deficiência se caracteriza por possuir um impedimento de longo prazo de natureza psicológica, que aliado a uma ou mais barreiras emocionais  pode dificultar ou facilitar sua participação plena e efetiva no contexto social em condições de igualdade com as outras pessoas.

A Lei nº 13.146 (Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência), sancionada em 6 de julho de 2015, em seu capítulo I, artigo 3º que trata da acessibilidade, define: barreiras atitudinais como atitudes ou comportamentos que impeçam ou prejudiquem a participação social da pessoa com deficiência em igualdade de condições e oportunidades com as demais pessoas. Ou seja, são as barreiras de convivência com a pessoa com deficiência. Podemos então considerar como barreiras atitudinais as diversas formas de preconceitos, estigmas, estereótipos e discriminações que marginalizam e excluem as pessoas, como:

I Desconhecer a potencialidade do estudante com deficiência ou recusar-se a interagir com a pessoa;

II Acreditar que o estudante com deficiência não acompanhará os demais e não oferecer os estímulos necessários ao seu desenvolvimento.

III Comparar os estudantes com e sem deficiência, salientando aquilo que o estudante com deficiência ainda não alcançou, ressaltando as “falhas”, “faltas” e “deficiências”.

IV Impedir suas experimentações, desconsiderar suas próprias estratégias de aprendizagem, negar que explorem os espaços físicos da escola, por medo que se machuquem.

V Estimular a classe a antecipar-se às pessoas com deficiência, realizando as atividades por elas e atribuir-lhes uma pseudoparticipação.

 

Representam barreiras atitudinais as seguintes assertivas, respectivamente:


II, III, IV


I, II, III


I, II, III, IV


I, II, III, IV,V


III, IV, V

Sobre a Deficiência Física podemos recorrer aos conceitos apresentados nas legislações, assim, como no Decreto nª 3.298 de 1999 da legislação brasileira, encontramos o conceito de deficiência e de deficiência física.

Como estas definições bem delineadas, podem auxiliar no trabalho pedagógico realizado em nossas escolas e por nossos professores?

I - Na escola encontraremos alunos com diferentes diagnósticos. Para os professores será importante a informação sobre quadros progressivos ou estáveis, alterações ou não da sensibilidade tátil, térmica ou dolorosa; se existem outras complicações associadas como epilepsia ou problemas de saúde que requerem cuidados e medicações (respiratórios, cardiovasculares, etc.). Essas informações auxiliarão o professor especializado a conduzir seu trabalho com o aluno e orientar o professor da classe comum sobre questões específicas de cuidados.

II - Algumas vezes os alunos estarão impedidos de acompanhar as aulas com a regularidade necessária, por motivo de internação hospitalar ou de cuidados de saúde que deverão ser priorizados. Neste momento, o professor especializado poderá propor o atendimento educacional hospitalar ou acompanhamento domiciliar, até que esse aluno retorne ao grupo, tão logo os problemas de saúde se estabilizarem.

III - Sabemos também que nem sempre a deficiência física aparece isolada e em muitos casos encontraremos associações com privações sensoriais (visuais ou auditivas), deficiência mental, autismo etc. E, por isso, o conhecimento destas outras áreas também auxiliará o professor responsável pelo atendimento desse aluno a entender melhor e propor o Atendimento Educacional Especializado – AEE necessário.

IV - Algumas vezes os alunos estarão impedidos de acompanhar as aulas com a regularidade necessária, por motivo de internação hospitalar ou de cuidados de saúde que deverão ser priorizados. Neste momento, o professor especializado poderá propor o atendimento educacional na forma de recuperação paralela de estudos, até que esse aluno volte a acompanhar o grupo, tão logo os problemas de saúde se concluem.

As respostas corretas estão em:


I e II apenas


I – II e IV apenas


III e IV   apenas


I - II e III apenas


II - III e IV apenas

No processo de aprendizagem, utilizamos sistematicamente a Função Executiva, já que se faz necessário utilizar as informações e procedimentos já aprendidos, adaptando-os às novas situações a serem resolvidas. Algumas características dos Transtornos Globais do Desenvolvimento, presentes de forma mais típica no Autismo, são semelhantes aos déficits da função executiva presentes nas pessoas que possuem lesões dos lobos frontais. Quais afirmativas abaixo estão relacionadas a estes déficits:

I - Ansiedade diante de pequenas alterações no entorno;

II - Insistência em detalhes da rotina;

III - Condutas estereotipadas e repetitivas;

IV - Interesse centrado em detalhes ou parte de informações de forma perseverante;

V - Dificuldade de perceber o todo e de integrar aspectos isolados.

A alternativa correta se encontra em:


I, II, IV e V apenas


II, III e IV apenas


I, II, III, IV e V


I e V apenas


II, IV e V apenas

Pensando no movimento pedagógico para alunos com Transtorno do Espectro Autista (TEA) alguns aspectos e conceitos são fundamentais para a educação escolar, como a Função Executiva. Sobre esse conceito, é correto afirmar que:


Trata-se de um conjunto de condutas responsáveis por iniciar e desenvolver uma atividade com objetivo final determinado. Essa função se relaciona com a capacidade de antecipar, planificar, controlar impulsos, inibir respostas inadequadas, flexibilizar pensamento e ação. A Função Executiva somente permite, flexibilizar os modelos de conduta adquiridos pela experiência, para nos adaptarmos às variações existentes nas situações do presente.


Trata-se de um conjunto de condutas de pensamento que permite a utilização de estratégias adequadas para se alcançar um objetivo. Responsáveis por iniciar e desenvolver uma atividade com objetivo final determinado. Capacidade de antecipar, planificar, controlar impulsos, inibir respostas inadequadas, flexibilizar pensamento e ação.


Trata-se de um conjunto de condutas responsáveis por iniciar e desenvolver uma atividade com objetivo final determinado. Essa função se relaciona com a capacidade de antecipar, planificar, controlar impulsos, inibir respostas inadequadas, flexibilizar pensamento e ação. Todas essas capacidades são fundamentais e estão em uso somente quando se faz necessário agir.


Essa função é característica do funcionamento dos lobos parentais. Algumas características dos Transtornos Globais do Desenvolvimento, presentes de forma mais típica no Autismo, ansiedade diante de pequenas alterações no entorno, insistência em detalhes da rotina, condutas estereotipadas e repetitivas, interesse centrado em detalhes ou parte de informações de forma perseverante, dificuldade de perceber o todo e de integrar aspectos isolados.


Trata-se de um conjunto de condutas responsáveis pela atuação diante de situações-problema, situações novas, na condução das relações sociais, no alcance de objetivos ou na satisfação das próprias necessidades, sempre que esteja presente uma intenção.

Em relação às habilidades comunicacionais nas pessoas com autismo, descrevemos abaixo algumas características.  Em apenas uma das assertivas abaixo relacionadas as características estão incorretas.

Assinale a assertiva incorreta:


Prejuízos marcantes na comunicação que podem afetar habilidades verbais e não verbais. Pode haver atraso ou falta total de desenvolvimento da linguagem falada.


Perturbação na capacidade de compreensão da linguagem, como entender perguntas, orientações ou piadas simples. As brincadeiras imaginativas em geral são ausentes ou apresentam prejuízos acentuados.


Prejuízo na capacidade de iniciar ou manter uma conversação, uso estereotipado e repetitivo da linguagem ou uma linguagem idiossincrática (uso peculiar de palavras ou frases não possibilitando entender o significado do que está sendo dito).


As estruturas gramaticais são frequentemente imaturas e incluem o uso estereotipado e repetitivo (ex.: repetição de palavras ou frases, independentemente do significado, repetição de comerciais ou jingles).


Pouco interesse por rotinas ou rituais não funcionais ou uma insistência irracional em seguir rotinas.

De acordo com o DSM.IV, podemos descrever algumas características que podem ser manifestadas pelas pessoas com autismo. Quais sejam:

I - O autismo se caracteriza pela presença de um desenvolvimento acentuadamente prejudicado na interação social e comunicação.

II - Repertório marcantemente restrito de atividades e interesses.

III - Prejuízos na interação social são amplos, podendo haver também prejuízos nos comportamentos não verbais (contato visual direto, expressão facial, gestos corporais) que regulam a interação social.

IV - As crianças com autismo podem ignorar outras crianças e não compreender as necessidades delas.

V - Perturbação na capacidade de compreensão da linguagem, como entender perguntas, orientações complexas ou frases elaboradas.

Marque a alternativa correta:


I, II, III e V apenas.


I e II apenas.


I, II e III apenas.


I, II, III, IV e V.


I, II, III e IV apenas.

Páginas: 12