LINGUÍSTICA II


Leia o texto a seguir:

 

Tempos modernos

               Lulu Santos 

 

Eu vejo a vida melhor no futuro
Eu vejo isso por cima de um muro
De hipocrisia que insiste em nos rodear

Eu vejo a vida mais clara e farta
Repleta de toda satisfação
Que se tem direito do firmamento ao chão

Eu quero crer no amor numa boa
Que isso valha pra qualquer pessoa
Que realizar a força que tem uma paixão

Eu vejo um novo começo de era
De gente fina, elegante e sincera
Com habilidade
Pra dizer mais sim do que não, não, não [...]

Disponível em: http://letras.mus.br/lulu-santos/47144/. Acesso em: abr. 2015.

 

Você estudou que a sequenciação parafrástica é realizada com elementos de recorrência responsáveis por fazer o texto progredir. Considerando esse estudo, analise o emprego das expressões “Eu vejo” e “Eu quero”, no texto “Tempos modernos”, de Lulu Santos. Nesse sentido, avalie as afirmativas a seguir colocando F para as falsas e V para as verdadeiras.

 

( ) A progressão textual, no texto, em grande parte, é possibilitada pelo uso dessas expressões, uma vez que elas apresentam novas informações no texto.

( ) Essas expressões atuam como elementos de recorrência pois são responsáveis em fazer o texto progredir, uma vez que retomam o eu lírico da canção (eu) e contribuem para explicitar suas diferentes percepções.

(  ) Essas expressões constituem uma recorrência de estruturas (ou paralelismo sintático), pois têm a mesma ordem sintática.

( ) Essas expressões se constituem como elementos de redundância, uma vez que contribuem para repetir a mesma informação no texto.

 

A sequência correta está na alternativa:


V, V, F, F


F, F, F, V


F, V, F, F


V, V, F, V


V, V, V, F

Leia atentamente o texto a seguir.

 

JOVENS, CONSUMO DE ÁLCOOL E PROPAGANDA

 

Ilana Pinsky

 

O aumento do consumo de bebidas alcoólicas em uma população é influenciado por uma série de fatores, mas dois deles são especialmente importantes.

 

Os chamados fatores de acesso ao produto incluem, entre outros, o preço, a densidade de locais de venda e o número de horas de funcionamento dos pontos de venda de bebidas alcoólicas. É tanto intuitivo quanto comprovado por sólidas evidências que, quanto mais barato o preço das bebidas alcoólicas e quanto mais fácil comprá-las, mais as pessoas bebem. No Brasil, onde o preço de um litro de pinga é comparável com o do litro de leite e é raríssimo um menor de idade ter dificuldades de adquirir qualquer bebida alcoólica, o consumo do produto tem apresentado tendência de crescimento.

 

Vale apontar que o aumento de problemas relacionados ao álcool em uma população é proporcional ao aumento do consumo de álcool desta. Também, diferentemente da crença difundida, a maior parte do potencial devastador do consumo de álcool, protagonista de acidentes de trânsito, crimes, agressão doméstica etc., ocorre com indivíduos não dependentes.

 

O segundo grupo de fatores diz respeito ao aspecto da informação. Desse grupo fazem parte a propaganda e campanhas na mídia, entre outros. Há muito, sabe-se do papel desses fatores no clima social que é criado em torno das bebidas alcoólicas, mas, recentemente, pesquisas apontam para a influência direta das propagandas também no início e aumento do consumo do álcool.

 

Uma pesquisa relacionou o fato de apreciar propagandas de cerveja aos 18 anos com um maior índice de consumo de bebidas e de comportamento agressivo aos 21 anos. Outro estudo, com crianças e adolescentes entre 10 e 17 anos, revelou que assistir a propagandas com frequência provoca a expectativa de consumir bebidas no futuro. Muitos dos meninos entrevistados disseram que as propagandas de álcool os encorajavam a beber. Não é à toa: no Brasil os comerciais estão sempre associados a momentos gloriosos, conquistas esportivas, à sexualidade e ao orgulho de ser brasileiro. E o gasto anual de milhões de dólares permite que as propagandas sejam extremamente criativas e atraentes.

 

Apesar dos dados acima, o governo federal desperdiçou recentemente excelente oportunidade de promover um debate nacional sobre o consumo de bebidas alcoólicas, um dos maiores problemas de saúde pública no Brasil. Além de estender para 2005 a permissão às propagandas de cigarro em eventos esportivos, a medida provisória 118, aprovada pela Câmara, descartou a inclusão das cervejas na restrição de horário.

 

Adaptado de Folha de São Paulo, 08/09/03.

 

A partir da leitura do texto e com base nos estudos a respeito da coesão sequencial, no que se refere às relações discursivas ou argumentativas, analise as seguintes afirmativas:

 

I) No trecho “Apesar dos dados acima, o governo federal desperdiçou recentemente excelente oportunidade de promover um debate nacional sobre o consumo de bebidas alcoólicas...” (6º parágrafo), a relação estabelecida pelo conectivo “apesar de” é de contraste.

II) O argumento que prevalece neste trecho que contém o conectivo “apesar de” é o de que “o governo federal desperdiçou recentemente excelente oportunidade de promover um debate nacional sobre o consumo de bebidas alcoólicas”.

III) No trecho “Além de estender para 2005 a permissão às propagandas de cigarro em eventos esportivos, a medida provisória 118, aprovada pela Câmara, descartou a inclusão das cervejas na restrição de horário.” (6º parágrafo), a relação estabelecida pelo conectivo “além de” é de conjunção.

IV) Os argumentos ligados pelo conectivo “além de” são os de que “a medida provisória 118, aprovada pela Câmara, estendeu para 2005 a permissão às propagandas de cigarro em eventos esportivos e descartou a inclusão das cervejas na restrição de horário”.

 

As afirmativas corretas estão contidas APENAS em:


III e IV.


I e II.


I, II, III e IV.


I, II e III.


II, III e IV.

A correlação verbal constitui uma espécie de coerência que deve haver entre as formas verbais utilizadas em uma frase ou sequência de frases. Ou seja, é preciso que haja articulação temporal entre os verbos, que eles se correspondam, de maneira que expressem as ideias sem prejuízo de sentido. Sendo assim, leia os trechos a seguir:

 

Trecho 1

 

Na faculdade que fiz, eu fui levando as disciplinas sem a preocupação de aprender os conteúdos. Na verdade, eu colava na prova, pedia para meus amigos colocarem o meu nome nos trabalhos que eles tinham feito e raramente estudava, pois o que eu queria mesmo era o título da graduação. Se eu tivesse estudado mais, não estarei nessa situação de desemprego.

 

Trecho 2

 

Na faculdade que fiz, eu fui levando as disciplinas sem a preocupação de aprender os conteúdos. Na verdade, eu colava na prova, pedia para meus amigos colocarem o meu nome nos trabalhos que eles tinham feito e raramente estudava, pois o que eu queria mesmo era o título da graduação. Se eu tivesse estudado mais, não estaria nessa situação de desemprego.

 

Com base nos estudos sobre a correlação entre os tempos verbais, analise as afirmativas a seguir:

 

I) Há articulação temporal entre os verbos apresentados no Trecho 1, sendo possível perceber que eles se correspondem, ou seja, eles expressam as ideias sem prejuízo de sentido.

II) Há articulação temporal entre os verbos apresentados no Trecho 2, sendo possível perceber que eles se correspondem, ou seja, eles expressam as ideias sem prejuízo de sentido.

III) O verbo “tivesse” mostra que o autor está se referindo a uma ação que poderia ter sido realizada no passado, mas que não foi. Assim, ele enuncia um desejo que o autor tem agora em relação ao passado.

IV) O verbo “estaria” enuncia um fato que poderia ter ocorrido caso o desejo enunciado pelo verbo “tivesse” tivesse ocorrido. Assim, o verbo “estaria” expressa uma ação condicionada, ou seja, que depende de algo, ao se referir a um fato que não se realizou e que, provavelmente, não se realizará.

V) O verbo “estarei” enuncia um fato que irá ocorrer em decorrência do desejo enunciado pelo verbo “tivesse”. Assim, o verbo “estarei” é utilizado para expressar certeza, não deixando dúvidas, o que torna a frase coerente.

 

 

Estão corretas as afirmativas:


II, III e V.


I, III e IV.


III, IV e V.


I, II e IV.


II, III e IV.

Os indicadores modais ou modalizadores são elementos linguísticos que determinam como aquilo que se diz é dito e também apresentam, na construção do sentido do enunciado, a intenção do dito pelo modo que se diz. Assim, a modalização constitui a marca dada pelo sujeito a seu enunciado, ou seja, os modalizadores são meios pelos quais um falante manifesta o modo com que ele considera o seu próprio enunciado. Sendo assim, considerando os estudos sobre esse assunto, analise a expressão “Possivelmente” no último parágrafo do trecho a seguir:

 

A 20 dias de valer a obrigatoriedade de instalação de airbag e freios ABS em todos os carros novos, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, declarou que "possivelmente" o governo vai adiar a medida.

 

"Estamos discutindo questões do equipamento de segurança que seria acrescentado aos automóveis em 2014. Estamos preocupados com o impacto sobre o preço do carro. Isso eleva o preço do carro de R$ 1 mil a R$ 1,5 mil. Estamos estudando o que fazer com isso", disse Mantega nesta quarta-feira (11). Os equipamentos seriam obrigatórios a partir de janeiro.

 

"Possivelmente, vamos adiar a entrada em vigor. Hoje, 60% dos veículos já têm o equipamento. Passaria para 100% [em 2014].

 

(Fonte: G1. Autoesporte. Freios ABS e airbag não devem mais ser obrigatórios em 2014, diz Mantega. 11 dez. 2013. Disponível em: <http://g1.globo.com/carros/noticia/2013/12/freio-abs-e   -air-bag-nao-devem-mais-ser-obrigatorios-em-2014-diz-mantega.html>. Acesso em: 10 jul. 2015.)

 

 

Assim, considerando a expressão “Possivelmente, vamos adiar a entrada em vigor.”, assinale a única alternativa CORRETA:


A expressão “Possivelmente” é um verbo auxiliar modal, por isso ela estabelece uma ação para o conteúdo do trecho “vamos adiar a entrada em vigor”.


A expressão “Possivelmente” indica que o autor considera o conteúdo do trecho “vamos adiar a entrada em vigor” como quase certo, sendo assim a expressão é considerada um modalizador quase asseverativo. 


A expressão “Possivelmente” é um modalizador asseverativo negativo, pois por meio dela o autor ressalta que discorda do conteúdo do trecho “vamos adiar a entrada em vigor”.


A expressão “Possivelmente” indica que o autor considera o conteúdo do trecho “vamos adiar a entrada em vigor” como algo que deve ocorrer de forma obrigatória, sendo assim é uma modalização deôntica [que se refere às normas].


A expressão “Possivelmente” mostra uma reação emotiva do autor diante do conteúdo do trecho “vamos adiar a entrada em vigor”, pois ele considera esse conteúdo como algo bom e mostra que se sente feliz diante dele. Sendo assim, a expressão é considerada uma modalização afetiva. 

Leia os trechos, a seguir, observando que eles apresentam um final diferente:

 

Trecho 1

O ensino superior brasileiro é composto de cursos de graduação e de pós-graduação. A graduação possui cursos de licenciatura e cursos de bacharelado. Os cursos de licenciatura formam profissionais para o ensino da educação básica. A qualidade do ensino depende da qualidade da graduação.

 

Trecho 2       

O ensino superior brasileiro é composto de cursos de graduação e de pós-graduação. A graduação possui cursos de licenciatura e cursos de bacharelado. Os cursos de licenciatura formam profissionais para o ensino da educação básica. E os de bacharelado para o exercício de atividade acadêmica ou profissional.

 

Observando esses trechos e considerando-se o estudo realizado a respeito da coesão sequencial, no que se refere à progressão temática, analise as afirmações a seguir.

 

I) Ambos os trechos são exemplos de progressão temática linear, tendo em vista que todo rema de um enunciado passa a tema do seguinte, o rema deste a tema do seguinte, e assim por diante. Como exemplo, podemos citar, no trecho 2, que o tema da sentença “E os de bacharelado” é rema da sentença anterior “formam profissionais para o ensino da educação básica”.

 

II) No trecho 1, o tema da sentença “Os cursos de licenciatura” conecta-se com o rema da sentença anterior “possui cursos de licenciatura e cursos de bacharelado”. Remissivamente, o tema da sentença “A graduação” conecta-se com o rema da sentença “é composto de cursos de graduação e de pós-graduação”. Porém, ao analisar o rema “A qualidade de ensino” percebe-se uma aparente falta de conexão temática com o rema anterior. Sendo assim, temos um exemplo de progressão com salto temático, tendo em vista que o enunciado sofreu uma aparente quebra.

 

III) No trecho 2, o tema da sentença “E os de bacharelado” e o da sentença “Os cursos de licenciatura” conectam-se com o rema da sentença anterior “possui cursos de licenciatura e cursos de bacharelado”. Remissivamente, o tema da sentença “A graduação” conecta-se com o rema da sentença “é composto de cursos de graduação e de pós-graduação”. Sendo assim, temos um caso de progressão com tema derivado.

 

É(São) correta(s) APENAS a(s) afirmação(ões) contida(s) em:


I.


I e III.


II.


II e III.


I e II.

Leia o texto a seguir:

 

Piuí Abacaxi

            Trem da Alegria

 

Piuí Piuí, Piuí Abacaxi

Choque choque choque, choque por aí (2X)

Eu quero ter a tua companhia, vem viajar comigo no vagão

Tome um lugar no seu assento que o caminho agora é a favor do vento[...]

Piuí Piuí, Piuí Abacaxi

Choque choque choque, choque por aí (2X)

O Trem da Alegria vai em todo lugar, ele não pode parar

O Trem da Alegria faz a gente cantar, o mundo inteiro sonhar[...]

(Disponível em: http://letras.mus.br/trem-da-alegria/103899. Acesso em: maio de 2015)

 

Você estudou sobre a sequenciação parafrástica e os elementos de recorrência. Considerando esse estudo, analise o emprego das expressões “O trem da alegria vai” e “O trem da alegria faz”, no texto “Piuí Abacaxi”, da banda "Trem da Alegria". Nesse sentido, avalie as afirmativas a seguir identificando as corretas.

 

I. Essas expressões se constituem como elementos de redundância, uma vez que contribuem para repetir a mesma informação no texto.

II. A progressão textual, no texto, em grande parte, é possibilitada pelo uso dessas expressões, uma vez que elas apresentam novas informações em relação aos papéis desempenhados pelo “Trem da alegria”.

III. Essas expressões constituem uma recorrência de estruturas (ou paralelismo sintático), pois têm a mesma ordem sintática.

IV. Essas expressões atuam como elementos de recorrência pois são responsáveis em fazer o texto progredir, uma vez que retomam o conceito “Trem da alegria” e explicitam suas diferentes atuações.

 

São corretas APENAS as afirmações:


I e II.


I, II e III.


II, III e IV.


III e IV.


II e III.

Leia os dois textos a seguir:

 

Texto 1

Mesmo zangada pela bagunça deixada na casa toda, Branca de Neve começa a arrumar cada um dos cômodos. Neste momento, Atchim e Dengoso chegam mais cedo do trabalho na mina e se deitam no sofá. A princesa fica indignada e começa a esbravejar “Não, não, não! Vão tomar banho primeiro! Nada de sujarem o sofá”. Os pequenos, apesar de chateados, obedecem a amiga. Depois de bem limpinhos, os anões voltam para a poltrona e ligam a televisão. Ela, então, fica satisfeita e para de brigar com eles.

 

Texto 2

Mesmo zangada pela bagunça deixada na casa toda, Branca de Neve começa a arrumar cada um dos cômodos. Neste momento, Atchim e Dengoso chegam mais cedo do trabalho na mina e se deitam no sofá. A mulher fica indignada e começa a esbravejar “Não, não, não! Vão tomar banho primeiro! Nada de sujarem o sofá”. Os baixotes, apesar de chateados, obedecem a mandona. Depois de bem limpinhos, os nanicos voltam para a poltrona e ligam a televisão. Ela, então, fica satisfeita e para de brigar com eles.

 

Baseando-se nos conteúdos estudados e analisando os textos 1 e 2, pode-se considerar: 

  1. No texto 1, o referente Branca de Neve e suas formas remissivas: “a princesa”, “ a amiga” e “ela” estão de acordo com a história original de “Branca de Neve e os sete anões”. Revelam, ainda, que, a partir deste texto 1, Branca de Neve pode ser avaliada de forma positiva.
  2. No texto 2, o referente Branca de Neve e suas formas remissivas: “a mulher”, “a mandona” e “ela” estão em desacordo com a história original de “Branca de Neve e os sete anões”. Revelam, ainda, que, a partir deste texto 2, Branca de Neve pode ser avaliada de forma negativa.
  3. No texto 1, os referentes Atchim e Dengoso e suas formas remissivas: “os pequenos”, “os anões” e “eles” estão de acordo com a história original de “Branca de Neve e os sete anões”. Além disso, revelam que, a partir deste texto 1, Atchim e Dengoso podem ser avaliados de forma positiva.
  4. No texto 2, os referentes Atchim e Dengoso e suas formas remissivas: “os baixotes”, “os nanicos” e “eles” estão em desacordo com a história original de “Branca de Neve e os sete anões”. Além disso, revelam que, a partir deste texto 2, Atchim e Dengoso podem ser avaliados de forma negativa.
  5. A alternância das formas remissivas permite apresentar um indivíduo (ou algo) de acordo com suas diversas facetas. Ele pode ser constituído de maneiras diferentes no texto e essas maneiras possibilitam inferências avaliadoras tanto sobre ele, quanto sobre o próprio sujeito do discurso. Mas, não se trata, simplesmente, de dizer a mesma coisa de maneiras diferentes.

 

Assinale a alternativa que melhor avalia as afirmativas:

 


Apenas as afirmativas 2 e 4 estão corretas, a afirmativa 5 as fundamenta.


Apenas as afirmativas 1 e 3 estão corretas, a afirmativa 5 as fundamenta.


As afirmativas 1, 2, 3 e 4 estão corretas, a afirmativa 5 não estabelece relação com elas.


As afirmativas 1, 2, 3 e 4 estão incorretas, a afirmativa 5 está correta.


As afirmativas 1, 2, 3 e 4 estão corretas, a afirmativa 5 as fundamenta.

Quase todos os estudos sobre coesão referencial partem do pressuposto de que existe identidade de referência entre a forma remissiva e seu referente textual. Tal identidade, porém, é discutível. Indique a única alternativa abaixo em que não ocorreu a correferencialidade. Considere a forma remissiva (em letras garrafais) e o elemento de referência ou referente textual (sublinhado).


Um pequeno café existia bem defronte à entrada da penitenciária. Tarde da noite, estava eu ALI sentado...


Os convidados chegaram atrasados. ELES tinham errado o caminho e custaram a encontrar alguém que os orientasse. 


Asse o frango até ficar dourado. Coloque-O em uma travessa enfeitada com pêssegos e rodelas de abacaxi. 


Como toda localidade baiana que se preza, a ilha de Itaparica pratica ritos de antigas raízes místicas. ELA abriga o único candomblé do mundo consagrado aos eguns.


A gravata do uniforme de Paulo está velha e surrada. A MINHA é novinha em folha.

Estudamos no capítulo 2, “A tessitura dos textos orais e escritos: processos de referenciação”, que os pronomes possuem, no texto, um papel fórico, quando trata-se da função das formas remissivas de retomar um referente já expresso (anáfora) ou de remeter a um referente introduzido depois dele na superfície textual (catáfora), e um papel dêitico, quando se trata de mostrar ou de apontar para fora do universo textual, ou seja, para a situação concreta de enunciação.

 

Considerando os estudos a respeito desse assunto, leia a frase a seguir.

 

“Eu quero que você vá hoje ao meu escritório”.

 

Agora, analise as alternativas.

 

I) O termo 'hoje' perde o sentido, se não houver um referencial da data em que o bilhete foi escrito.

II) O pronome ‘você’ só pode ser definido olhando-se para fora do enunciado.

III) Os pronomes ‘eu’ e ‘você’ situam-se na dimensão pragmática da linguagem e funcionam como indicadores dos participantes de um ato de fala: “eu” é o interlocutor e ‘você’ é o locutor.

 

É (são) correta(s) APENAS a(s) afirmação(ões):

 


I, apenas


I e III


I e II


II, apenas


III, apenas

Koch e Elias (2007, p. 123) definem a referenciação e a progressão referencial da seguinte maneira:

 

Denomina-se referenciação as diversas formas de introdução, no texto, de novas entidades ou referentes. Quando tais referentes são retomados mais adiante ou servem de base para a introdução de novos referentes, tem-se o que se denomina progressão referencial.

 

Tomando esses conceitos como base, observe os trechos a seguir:

 

Trecho 1

Nova espécie de ave é descoberta na Grande SP

 

O Ibama anunciou ontem a descoberta de uma nova ave, o bicudinho-do-beijo-paulista.

 

O Stymphalornissp.nov (a terminação indica que o animal não recebeu a denominação definitiva da espécie) foi encontrado pelo professor Luís Fábio Silveira, do Departamento de Zoologia da USP, em áreas de brejo nos municípios de Paraitinga e Biritiba-Mirim, na Grande São Paulo, em fevereiro. O pássaro tem pouco mais de 10 centímetros de comprimento, capacidade pequena de voo e penugem escura.

 (KOCH e ELIAS, 2007, p. 124)

 

Trecho 2

O dia começa às cinco para a turma que serve o café da manhã – carregam os pães e grandes vasilhames com café em carrinhos de ferro. Pelo guichê das celas trancadas surgem canecas e bules amassados, à medida que o grupo passa. Os inimigos da aurora deixam a vasilha de café no guichê da porta e penduram um saco plástico para receber o pãozinho com manteiga e evitar o suplício de sair da cama.

(KOCH e ELIAS, 2007, p. 124- 125)

 

Considerando a citação, os dois trechos e o estudo realizado a respeito da referenciação, analise as afirmações a seguir.

 

I) Em relação ao trecho 1, podemos afirmar que o referente principal é uma nova ave, que é retomado por o bicudinho-do-beijo-paulista, o Stymphalornissp.nov, o animal e o pássaro. Temos, nesse caso, um exemplo de progressão referencial.

 

II) Em relação ao trecho 2, a expressão inimigos da aurora só faz sentido no interior desse texto, ou seja, refere-se aos detentos que não gostam de levantar cedo. Seria muito difícil detectar o referente da expressão fora do contexto: ele é construído textualmente.

 

III) Em relação aos dois trechos, podemos afirmar que ambos possuem dêiticos, pois mostram ou apontam para fora do universo textual, ou seja, para a situação concreta de enunciação.

 

É(São) correta(s) APENAS a(s) afirmação(ões):


I, II e III.


I, apenas.


II e III. 


I e III.


I e II.

Páginas: 12