LINGUÍSTICA II


O teu Cabelo não Nega é uma marchinha de carnaval muito conhecida no Brasil. Mulata é o título original da marcha composta pelos Irmãos Valença em 1929. Conhecida e cantada nos bares do Recife, teve repercussão nacional pelo lançamento feito por Lamartine Babo em 1931. Considerando essa marchinha, leia a estrofe a seguir.

 

O teu cabelo não nega mulata

Porque és mulata na cor

Mas como a cor não pega mulata

Mulata eu quero o teu amor (...)

 

Disponível em: Acesso em: 20 ago. 2015.

 

Considerando a estrofe e os estudos sobre a sequenciação interfrástica, principalmente no que diz respeito às relações discursivas/argumentativas, analise as afirmativas.

 

I) Apesar das campanhas de combate ao preconceito e de qualquer tipo de discriminação às minorias, como os negros, homossexuais, deficientes físicos etc., percebemos nesta estrofe uma postura preconceituosa do autor.

II) Nesta estrofe, percebemos a supervalorização do negro, o carinho e o amor do autor pela mulata que deixa bem claro que está apaixonado, conforme é comprovado no verso “Mulata eu quero o teu amor”.

III) Na frase: “Mas como a cor não pega mulata”, o MAS estabelece uma relação de contrajunção, ou seja, apesar de ela ser mulata, ele (ainda assim) quer o amor da moça, tendo em vista que cor não é elemento contagioso.

IV) Na frase: “Mas como a cor não pega mulata”, o MAS estabelece uma relação de extensão, ou seja, ele exprime uma amplificação/continuidade do assunto, assim como no enunciado “Paulo foi aprovado no concurso. Mas isso é o que se espera de uma pessoa estudiosa”.

 

São corretas as afirmativas contidas na alternativa:


II e III.


II, III e IV.


I e IV.


I e III.


II e IV.

Leia o texto a seguir:

 

Planeta água

                    Guilherme Arantes

 

Água que nasce na fonte serena do mundo
E que abre um profundo grotão
Água que faz inocente riacho
E deságua na corrente do ribeirão

Águas escuras dos rios
Que levam a fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias
E matam a sede da população

Águas que caem das pedras
No véu das cascatas, ronco de trovão
E depois dormem tranquilas [...]

Fonte: LETRAS.MUS. Disponível em: . Acesso em: 07 jul. 2015.

 

Você estudou que a sequenciação parafrástica é realizada com elementos de recorrência responsáveis por fazer o texto progredir. Considerando esse estudo, analise o emprego das expressões “Água que nasce”, “Água que faz”, “Águas que banham” e “Águas que caem” no texto “Planeta água”, de Guilherme Arantes. Nesse sentido, avalie as afirmativas a seguir colocando F para as falsas e V para as verdadeiras.

 

I- (  ) Essas expressões constituem uma recorrência de estruturas (ou paralelismo sintático), pois têm a mesma ordem sintática.

II- (  ) Essas expressões atuam como elementos de recorrência pois são responsáveis em fazer o texto progredir, uma vez que retomam o conceito água e explicitam suas diferentes atuações, acrescentando aspectos que somam a sua importância.

III- (  ) Essas expressões se constituem como elementos de redundância, uma vez que contribuem para repetir a mesma informação no texto.

IV- (  ) A progressão textual, nesse texto, em grande parte, é possibilitada pelo uso dessas expressões, uma vez que elas apresentam novas informações no texto, em relação aos papéis desempenhados pela(s) água(s) no mundo.

 

A sequência correta está contida na alternativa:


V, V, F, F.


F, F, F, V.


V, V, V, V.


F, V, F, F.


V, V, F, V.

Estudamos, no capítulo 4, “A constituição linguística dos textos orais e escritos: processos e mecanismos de interação pela linguagem”, sobre uma categoria de elementos linguísticos por meio dos quais se realiza a interação: os indicadores modais, também chamados de modalizadores. Assim, relacione a os indicadores modais contidos nas frases com o que eles indicam, tendo em vista a função dos elementos em destaque. Em seguida, marque a alternativa que contém a sequência numérica que você encontrou.

  

1. indica que o falante considera verdadeiro o conteúdo

2. indica que o falante considera o conteúdo do seu enunciado quase certo

3. indica o limite, a delimitação do conteúdo

4. indica que o conteúdo deve ocorrer de forma obrigatória

5. indica reações emotivas diante do conteúdo

 

(    )     Biologicamente não podemos afirmar que somos os seres mais evoluídos no universo.

(    )     Evidentemente os alunos que estudaram terão boas notas e irão para a próxima etapa.

(    )     Talvez a situação econômica deles estará melhor, isso dependerá do resultado do concurso.

(    )     Felizmente ela teve alta e já está em casa sendo assistida por uma enfermeira.

(    )     Obrigatoriamente todos devem realizar as atividades até, no máximo, uma semana.


4 – 3 – 2 – 1 – 5


3 – 1 – 2 – 5 – 4


4 – 5 – 2 – 3 – 1


5 – 4 – 1 – 2 – 3


3 – 4 – 1 – 5 – 2

De acordo com a teoria de Weinrich (apud KOCH, 2001, p.54), os tempos verbais determinam, por meio do modo de conjugação, características da atitude comunicativa do locutor como relato ou como comentário. Considerando esses estudos, leia o texto a seguir:

Os 30 graus de temperatura, multiplicados por uma umidade de 80%, não impediram que uma multidão assistisse à primeira missa do Papa Francisco no Equador, onde chegou na tarde de domingo e foi recebido pelo presidente Rafael Correa. “A família é o hospital mais próximo”, disse Bergoglio, “a primeira escola das crianças, o grupo de referência imprescindível para os jovens, o melhor asilo para os idosos”.

Então, o Papa alertou, em um trecho muito significativo no Equador, que “a família constitui a grande riqueza social que outras instituições não podem substituir”. Ninguém deixa de perceber que a visita do Papa, transformado em referência mundial, não só no aspecto religioso, reúne também um grande conteúdo político. Tanto o presidente da República do Equador como uma massa social cada vez mais inquieta por suas reformas esperam que [o Papa] Bergoglio defenda os seus interesses.

 

EL PAÍS. Papa Francisco defende justiça social diante de grande multidão no Equador. Disponível em: . Acesso em: 09 jul. 2015.

 

Com base nos estudos sobre os tempos verbais no que diz respeito ao mundo narrado e ao mundo comentado, analise as afirmativas a seguir.

 

I) No texto, é possível perceber que o autor narra como o Papa Francisco foi recebido, no Equador, pelo presidente Rafael Correa, inclusive mostrando a fala do Papa na ocasião (mundo narrado). Em seguida, o autor comenta sobre essa visita do Papa a esse país (mundo comentado).

II) Não há que se falar em diferença da relação de tensão e compromisso estabelecida pelo locutor no mundo narrado e no mundo comentado, uma vez que o único objetivo do autor é narrar os fatos, mostrando como o Papa Francisco foi recebido, no Equador, pelo presidente Rafael Correa.

III) No mundo narrado, a atitude do locutor é menos tensa, pois ele simplesmente relata os fatos sem ter que se comprometer em relação com o que é dito. Nesse relato, o autor apenas narra como foi a visita do Papa ao Equador, ou seja, não expõe sua opinião.

IV) No mundo comentado, o autor compromete-se mostrando o que pensa sobre a situação: a visita além de ser de conteúdo religioso, é de conteúdo político, pois o presidente do Equador e seus apoiadores esperam que o Papa os defenda. Assim, o comentário é mais tenso, pois o autor assume uma posição em relação ao que foi narrado.

 

São corretas as afirmativas contidas na alternativa:

 


I, II e III.


II, III e IV.


I, III e IV.


II e IV.


I, II e IV.

Segundo Ducrot, uma classe argumentativa é constituída de um conjunto de enunciados que podem igualmente servir de argumento para uma mesma conclusão ou posição (P). De outra forma, uma escala argumentativa ocorre quando dois ou mais enunciados apresentam gradação de força crescente no sentido dessa conclusão ou posição (P).

 

Agora, leia atentamente, o parágrafo a seguir:

 

“O curso de Letras da Universidade de Uberaba é um dos melhores. Os materiais e recursos didáticos são feitos com rigor científico e pedagógico, otimizando o processo de ensino-aprendizagem. Os alunos conseguem aprender e conquistar boas notas no Enade. A grande maioria passa em concurso público com excelente pontuação.”

 

Em relação ao parágrafo, pode-se afirmar que houve:

 


Classe argumentativa.


Ausência de sentidos argumentativos.


Escala argumentativa com conclusão/posição negada.


Classe e escala argumentativas nulas.


Escala argumentativa com gradação de força crescente.

Marque com A quando a coesão remissiva é ANAFÓRICA e com C quando é CATAFÓRICA. Considere a forma remissiva (em letras garrafais) e o elemento de referência ou referente textual (sublinhado).

 

(   ) “O homem subiu correndo os três lances de escadas. Lá em cima, ELE parou diante de uma porta e bateu furiosamente.”

(   ) “ELE era tão bom, o meu marido!”

(   ) “Ontem fui conhecer a nova casa de Alice. ELA é moderna e bem decorada.

(   ) “Joana vendeu a casa. Depois que seus pais morreram num acidente, ELA não quis continuar vivendo lá.”

(   ) As crianças estão viajando. ELAS só voltarão no final do mês. 


A sequência correta é:


C-A-A-C-C.


A-C-C-A-A.


C-C-A-A-A.


A-C-C-C-A.


A-C-A-A-A.

Observe as situações a seguir.

Situação 1 

Fonte: Acervo UNIUBE

Situação 2 

Fonte: Acervo UNIUBE

Com base nos estudos realizados sobre os mecanismos linguísticos de construção da referência, analise as afirmações a seguir.

 

I) Na situação 1, a forma remissiva “eles”, do 1º quadro, retoma um termo já expresso, no caso, “esses índios”. Trata-se de um exemplo de catáfora, já que o elemento catafórico “eles” vem depois do referente na superfície textual.

II) Na situação 1, a forma remissiva “eles”, do 1º quadro, retoma um termo já expresso, no caso, “esses índios”. Trata-se de um exemplo de anáfora, já que o elemento anafórico retoma uma entidade já mencionada do texto.

III) Ambas as situações são bons exemplos do processo de referenciação.

IV) Na situação 2, o dêitico “eu” só pode ser definido olhando-se para fora do enunciado, ou seja, aponta para a situação concreta de enunciação. O pronome de primeira pessoa situa-se na dimensão pragmática da linguagem e funciona como indicador do participante de um ato de fala: “eu” é o locutor, o militar.

V) Na situação 2, o elemento fórico “eu” só pode ser definido olhando-se para dentro do enunciado. O pronome de primeira pessoa situa-se na dimensão pragmática da linguagem e funciona como indicador do participante de um ato de fala: “eu” é o locutor, o militar.

São corretas APENAS as afirmações:


II, IV e V.


I, III e V.


II, III e V.


II, III e IV.


I, II e III.

No capítulo 2, “A tessitura dos textos orais e escritos: processos de referenciação”, você estudou o fenômeno da referenciação. Entre eles, temos a reiteração que pode ocorrer de diferentes formas. Com base nesse estudo e no conhecimento de mundo que possui, analise o trecho a seguir:

 

[...] Roberto já não é nem um garotinho, mas aguenta de pé duas horas de show. O roteiro é seguido sistematicamente. As piadas são as mesmas. Quem já foi a algum show sabe a história do percussionista que já foi guitarrista e começou a trabalhar como assistente, por exemplo. Mas a plateia não se importa. Roberto assume o papel de "comandante do coração" e emenda a música "Eu te amo", acompanhado por um coro dos fãs.

 

O show segue com os grandes clássicos. Antes de cantar "Detalhes", o Rei explica: "As poucas vezes que eu não cantei essa música em um show recebi muitas reclamações. Então decidi que vou tocá-la por toda minha vida." [...]

 

(VIANA, Bárbara Vieira. Roberto Carlos provoca plateia de show em navio: ‘Nunca fui inocente’. Ego Globo. Disponível em: http://ego.globo.com/musica/noticia/2015/02/roberto-carlos-provoca-plateia-de-show-em-navio-nunca-fui-inocente.html. Acesso em: 17 jul. 2015.)

 

Agora, avalie as afirmativas a seguir:

 

1. A expressão “Roberto” e a expressão “o Rei” constituem-se como uma relação de hiponímia, pois fazem parte da relação parte-todo.

2. As expressões “Roberto” são elementos de reiteração, uma vez que repetem o mesmo item lexical e contribuem com a progressão textual.

3. A expressão “o Rei” é um elemento de reiteração, uma vez que se constitui como expressão nominal definida em relação à expressão “Roberto”.

4. A expressão “Roberto” e “o Rei” constituem-se uma relação de hiperonímia, uma vez que a relação estabelecida é todo-parte.

  

Assinale a alternativa que contém as afirmativas CORRETAS:


2, 3 e 4.


2 e 3.


3 e 4.


1, 2 e 3.


1 e 4.

A variação linguística acontece porque o princípio fundamental da língua é a comunicação, por isso é compreensível que seus falantes a reorganizem de acordo com suas necessidades comunicativas.

 

Para responder à questão, leia atentamente a letra da música “Samba do Arnesto”.

 

Samba do Arnesto – Adoniran Barbosa

 

O Arnesto nos convidou pra um samba, ele mora no Brás

Nós fumos não encontremos ninguém

Nós voltermos com uma baita de uma reiva

Da outra vez nós num vai mais

Nós não semos tatu!

No outro dia encontremo com o Arnesto

Que pediu desculpas mais nós não aceitemos*

Isso não se faz, Arnesto, nós não se importa

Mas você devia ter ponhado um recado na porta

Um recado assim ói: "Ói, turma, num deu pra esperá

Aduvido que isso, num faz mar, num tem importância,

Assinado em cruz porque não sei escrever.

 

Na letra da música de Adoniram Barbosa há um exemplo interessante de variação linguística. De acordo com a música, pode-se afirmar que:


O autor fez uso da variável faixa etária, uma vez que evidencia a fala de jovens e adolescentes.


O autor transportou para a modalidade escrita a variação linguística presente na modalidade oral.


O autor usando da licença poética fez uso da variável concordância nominal.


O autor privilegiou a variável sintática, pois desejou dar ênfase a determinadas palavras.


O autor fez uso da variável fonológica, que privilegia a fala da região de São Paulo.

A partir do que você estudou sobre as variáveis não linguísticas, analise a fala abaixo e assinale a alternativa correta:

 

“Quê prô? Fala que nem a gente, né? Isso deve ser usado pelo meu avô…”

 

A fala representa uma:


Variável faixa etária.


Variável situacional.


Variável classe social.


Variável regional.


Variável escolaridade.

Páginas: 1234