ZOOLOGIA DOS INVERTEBRADOS


Os insetos são os animais terrestres mais bem-sucedidos que vivem hoje em dia, tendo em vista o enorme número de espécies e a tremenda radiação adaptativa sofrida por eles. Essencialmente, os insetos ocuparam todos os nichos disponíveis na terra e um número significativo na água doce. Não tiveram, entretanto, sucesso na penetração dos oceanos. Não existe um fator que pode ser apontado como o único para este tremendo sucesso, mas certamente um dos atributos peculiares dos insetos entre todos os invertebrados é a sua capacidade de voar.

O inseto representado a seguir é uma libélula. Esse artrópode não têm a capacidade de picar, visto que suas mandíbulas estão adaptadas à mastigação. Dentro do seu ecossistema, são bastante úteis no controle das populações de mosquitos e das suas outras presas, prestando assim um serviço importante à espécie humana.

 libélula

Figura: Inseto - Libélula.

 

Fonte: Fotografado por Ricardo Baratella (2014).

 

Analisando as características morfofisiológicas dos insetos, assinale a alternativa CORRETA.


são animais octópodes; apresentam o corpo dividido em cabeça, tórax e abdome.


são animais hexápodes; apresentam o corpo dividido em cefalotórax e abdome.


possuem quatro pares de patas torácicas; apresentam cutícula espessa e rígida.


apresentam epiderme simples, com cutícula e uma fina camada de cera.


apresentam número variável de patas articuladas; possuem respiração cutânea.

Os artrópodes constituem um agrupamento de animais. Foram descritos pelo menos três quartos de um milhão de espécies – mais do que três vezes o número de todas as outras espécies animais combinadas. Para Barnes e Ruppert (1996, p.579), a tremenda diversidade adaptativa dos artrópodes permitiu-lhes sobreviver em virtualmente todos os habitats; são talvez, de todos os invasores do habitat terrestre, os de maior êxito.

 

Estes artrópodes a seguir (VIDE Figuras) costumam estar presentes no dia a dia dos seres humanos.

 adaptados

 Fonte: Desenhos adaptados de Cilene Castejón (2012).

 

Considerando-se esse conjunto de animais, é CORRETO afirmar que todos eles:


têm aparelho bucal picador-sugador.


pertencem à classe Arachnida.


possuem exoesqueleto de quitina.


são artrópodes birremes.


são transmissores de doenças.

Os piolhos-de-cobra são confundidos, amiúde, com insetos, porém são parte de uma classe de artrópodes muito diferentes, os diplópodes, que contam entre seus filos com animais de formas diversas. Em qualquer clima os diplópodes são muito importantes na degradação da madeira das árvores mortas ou em vias, de galhos e folhas em decomposição. Possuem a cutícula incrustada de sais de cálcio que, no entanto, não oferece grande proteção a estes animais que se defendem por meio da secreção de glândulas especiais que resultam muito irritantes, provocando o vômito nos pássaros inexperientes que os bicam e a morte nos pequenos répteis que os ingerem. Não são animais considerados perigosos para o homem e sua única defesa consiste em enroscar-se sobre si mesmos.

 piolho-de-cobra


Figura: Diplópode – Piolho-de-cobra.

Fonte: Fotografado por Ricardo Baratella (2015).

 

Considerando as informações acima e seus estudos sobre os diplópodes, podemos afirmar que esses animais inofensivos apresentam como característica (s):


a presença de patas articuladas.


a respiração branquial na fase larval e respiração cutânea na fase adulta.


a deuterostomia, com diversos aspectos embrionários peculiares.


a Lanterna de Aristóteles, aparelho mastigatório exclusivo dos artrópodes.


a rádula, uma estrutura com a qual “raspam” os alimentos utilizados em sua nutrição.

Suponhamos que você esteja estudando Zoologia dos Invertebrados e encontre as seguintes informações no Livro de Barnes e Ruppert:

As esponjas não têm órgãos, mas têm tecido conjuntivo bem desenvolvido, no qual as células realizam várias funções. Comparadas com os outros metazoários, as células das esponjas apresentam um alto grau de independência, de forma que o corpo da esponja lembra uma colônia de protozoários em alguns aspectos. As esponjas são especializadas em serem sésseis e em ter um plano corporal incomum construído ao redor de um sistema de canais de água. A sua sessilidade e a falta de movimentos evidentes de partes do corpo convenceram ARISTÓTELES, PLÍNIO e outros naturalistas antigos de que as esponjas eram plantas. De fato, foi só em 1765, quando se observou pela primeira vez as correntes de água internas, que se estabeleceu claramente a natureza animal das esponjas (BARNES; RUPPERT, 1996).

Figura: Filo Porifera - Amphoriscidae.

Fonte: WIKIPÉDIA (2016). Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Amphoriscidae#/media/File:Haeckel_Calcispongiae.jpg

Acesso em: 27 mar. 2017. Autor: Ernst Haeckel (1904).

Em relação ao Filo Porifera, analise primeiramente o texto e a figura acima e, em seguida, as afirmações abaixo.

I)  A fisiologia de uma esponja depende enormemente da corrente de água que flui por meio do corpo. A água traz oxigênio e alimento, e remove os detritos. Até o esperma entra e sai e as larvas são liberadas pelas correntes de água.

II) Aproximadamente 95% das esponjas existentes são demosponjas. Nessa classe, estão as maiores esponjas marinhas, que podem atingir 1m de altura. Elas têm forma tubular, ramificada, arredondada, incrustante massiva ou delgada, mas são melhor descritas como altamente irregulares.

III) As esponjas alimentam-se filtrando as partículas microscópicas trazidas pela corrente de água contínua que atravessa as paredes do seu corpo. Os laços de união entre as células de uma esponja são muito frágeis. Células individuais podem deslocar-se livremente pela superfície da esponja, como amebas.

IV) Nas esponjas, o alimento é digerido no citoplasma dos coanócitos. Portanto, a digestão é intracelular. Os nutrientes excedentes difundem-se às outras células do corpo. Resíduos não-digeridos são lançados no átrio e eliminados através do ósculo.

Está (ão) CORRETA (S) a(s) afirmativa(s) contida(s) em:


I, III e IV, apenas.


II e III, apenas.


I e IV, apenas.


I, II, III e IV.


II, apenas.

Suponhamos que você esteja estudando Zoologia dos Invertebrados e encontre as seguintes informações no Livro de Barnes e Ruppert:

As esponjas não têm órgãos, mas têm tecido conjuntivo bem desenvolvido, no qual as células realizam várias funções. Comparadas com os outros metazoários, as células das esponjas apresentam um alto grau de independência, de forma que o corpo da esponja lembra uma colônia de protozoários em alguns aspectos. As esponjas são especializadas em serem sésseis e em ter um plano corporal incomum construído ao redor de um sistema de canais de água. A sua sessilidade e a falta de movimentos evidentes de partes do corpo convenceram ARISTÓTELES, PLÍNIO e outros naturalistas antigos de que as esponjas eram plantas. De fato, foi só em 1765, quando se observou pela primeira vez as correntes de água internas, que se estabeleceu claramente a natureza animal das esponjas (BARNES; RUPPERT, 1996).

Figura: Filo Porifera - Amphoriscidae.

Fonte: WIKIPÉDIA (2016). Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Amphoriscidae#/media/File:Haeckel_Calcispongiae.jpg

Acesso em: 22 mar. 2016.

Autor: Ernst Haeckel (1904).

 

Em relação ao Filo Porifera, analise primeiramente o texto e a figura acima e, em seguida, as afirmações abaixo.

 

I) A corrente da água que passa pelas cavidades do corpo é que possibilita os processos fisiológicos desses animais.

II) Na reprodução sexuada das esponjas a fecundação ocorre na mesogleia, onde o zigoto sofre as primeiras clivagens

III) As esponjas alimentam-se filtrando as partículas microscópicas trazidas pela corrente de água.

IV) As esponjas do tipo Ascon possuem a forma tubular, que lembra um vaso alongado.

 

Está (ão) CORRETA (S) a(s) afirmativa(s) contida(s) em:


II e III, apenas.


I e IV, apenas.


II, apenas.


I, III e IV, apenas.


I, II, III e IV.

Uma pesquisa da Unicamp identificou as presenças dos parasitas da leishmaniose e da doença de Chagas nos distritos de Sousas e Joaquim Egídio, em Campinas (SP). Segundo a médica veterinária Laís Moraes Paiz, autora da tese de doutorado, as circulações foram constatadas na fauna silvestre da Área de Proteção Ambiental (APA), em análises realizadas entre 2014 e 2015. A Prefeitura diz que monitora a região e, embora indique um quadro "estável", faz ressalvas para garantir prevenções.

 (Disponível em:https://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/estudo-da-unicamp-mapeia-parasitas-da-leishmaniose-e-doenca-de-chagas-em-distritos-de-campinas-saude-monitora.ghtml. Acesso em: 21 maio 2018)

Considerando as informações acima e as características gerais dos protozoários, assinale a alternativa CORRETA.


Os protozoários são invertebrados fixos, diblásticos, sem órgãos, com digestão exclusivamente intracelular, com larva ciliada livre e natante.


Giardia lamblia é um protozoário flagelado que habita o tubo digestório dos cupins de madeira, produzindo enzimas necessárias à digestão da celulose, o principal alimento desses insetos.


A Leishmaniose visceral é uma doença extremamente contagiosa, causada por organismos multicelulares pertencentes ao gênero Leishmania.


O filo Flagellata compreende os protozoários que se possuem um ou mais flagelos para a locomoção. São exemplos do filo Flagellata o Trypanosoma cruzi e a Leishmania brasiliensis.


Os protozoários não possuem organelas locomotoras e são desprovidos de vacúolos pulsáteis. Alimentam-se por difusão e são todos parasitas.

O nome Porífera, que do latim (porus=passagem + fer=portador), é devido à presença de inúmeros e diminutos poros na superfície externa desses animais. São também denominados Espongiários, pois alguns representantes foram muito usados, há tempos, como esponjas de banho (FERNANDES, 1981).

Em relação às esponjas, foram feitas as seguintes afirmações:

I) Os pinacócitos são as células que formam o tegumento, protegendo a mesogleia, camada gelationosa que contém os amebócitos.

II) As esponjas possuem corpo mole, sustentado por espículas cristalinas, com um ou mais eixos, e de vários formatos.

III) São animais sésseis, isto é, vivem fixos às rochas costeiras, embora sua larva ciliada nade livremente.

IV) As esponjas não possuem sistema excretor, sendo os excretas eliminados por difusão celular.

  

Está (ão) CORRETA (S) a(s) afirmativa(s) contida(s) em:


I, II, III e IV


II e III, apenas


II e IV, apenas


I, III e IV, apenas


I, apenas

Os fatores abióticos exercem importante influência na distribuição dos organismos vivos no globo terrestre. A respeito desses fatores, analise as afirmativas a seguir:

 

I) A temperatura é um dos fatores que influencia a distribuição dos animais, porém os vegetais não são afetados por esse fator.

II) Alguns seres vivos possuem adaptações para sobreviver sob influência dos fatores abióticos: vegetais de locais desérticos, por exemplo, possuem folhas modificadas em espinhos como forma de economizar água.

III) O sal é um elemento determinante da distribuição dos seres vivos: em locais com altas concentrações salinas é possível observar uma grande diversidade de seres vivos.

 

A alternativa que contém apenas a (s) afirmativa (s) CORRETA(S) é:


I e II, apenas.


II, apenas.


I e III, apenas.


II e III, apenas.


III, apenas.

Só a própria imagem das aranhas para muitas pessoas é motivo de medo e repulsa. Na verdade, falsas lendas e tradições populares alimentam e consolidam esta aversão, transformando-a num verdadeiro ódio ou fobia. Na realidade quase todas as espécies de aranhas conhecidas, são inócuas, apenas umas poucas espécies provocam reações locais se comparadas à picada de uma abelha.

 

aranha

 

Figura: Artrópode - Aranha.

Fonte: Fotografado por Ricardo Baratella (2015).

 

Após observar atentamente a figura acima, assinale a alternativa que indica o animal que está filogeneticamente mais relacionado à aranha:


polvo


camarão


escorpião


ouriço-do-mar


barata

Muitas esponjas possuem poderes de regeneração incríveis. Barnes e Ruppert (1996, p.86- 87), em vista da regeneração que foi empregada na propagação de esponjas comerciais em áreas superpescadas na costa da Flórida, destacam que: os pedaços de esponja chamados cortes foram presos a blocos de cimento e despejados na água. A regeneração e o crescimento de vários anos produziram uma esponja de tamanho comerciável. Esse experimento clássico demonstra que:


uma massa de arqueócitos preenchidos por alimento torna-se circundada por outros amebócitos (espongiócitos) que depositam um revestimento duro composto de um material semelhante à espongina.


as esponjas se reproduzem tanto sexual como assexuadamente. A reprodução assexual se dá por brotamento e fragmentação, e na maioria das espécies, um único indivíduo produz tanto óvulos como espermatozoides. As correntes de água carregam os espermatozoides de um indivíduo para outro.


na maioria das esponjas, o desenvolvimento dos estágios larvais ocorre dentro do corpo do animal original. No entanto, entre as Demospongiae, há algumas espécies que liberam ovos fertilizados, que se desenvolvem na água marinha. A clivagem é completa e geralmente radial.


a capacidade regenerativa de esponjas envolve a passagem forçada de um tecido de esponja viva por meio de uma malha de seda. As células separadas reorganizam-se rapidamente por meio de uma associação progressiva de células semelhantes limitadas por pinacócitos, formando elas mesmas várias esponjas novas.


a formação da gêmula ocorre primariamente no outono quando se forma um grande número desses corpos em cada esponja. Com o início do inverno, a esponja-mãe separa-se. As gêmulas são capazes de suportar o congelamento e o ressecamento e são consequentemente capazes de levar a espécie por meio do inverno.

Páginas: 1234567