CIDADANIA, HETEROGENEIDADE E DIVERSIDADE


Leia com atenção:

Art. 2º Considera-se deficiência toda restrição física, intelectual ou sensorial, de natureza permanente ou transitória, que limita a capacidade de exercer uma ou mais atividades essenciais da vida diária e/ou atividades remuneradas, causada ou agravada pelo ambiente econômico e social, dificultando sua inclusão social. (BRASIL. Estatuto da Pessoa com Deficiência. Lei Brasileira de Inclusão nº 13.146/2015. Brasília. 2015.)

Dentro dessa conceituação, podemos apontar como deficiente físico, apenas: (Assinale a alternativa correta)


Autista
Criança
Gestante
Idoso
Canhoto

Leia atentamente:

“Entre 1963 e 2001, 2.092 pessoas foram assassinadas pela simples razão de serem gays, transgêneros ou lésbicas. Somente em 2000, foram 130 assassinatos, dos quais 69% gays, 29% travestis e 2% lésbicas. O País não passa três dias sem que um gay, uma travesti ou uma lésbica não sejam brutalmente assassinados, vítimas do preconceito.” (MOTT, Luiz. CERQUEIRA, Marcelo. Causa Mortis: Homofobia. Grupo Gay da Bahia. Salvador, 2001.)

O que pode ser entendido como fator que favorece a permanência desse contexto de violência ainda em nossos dias? Assinale a alternativa correta


a arrogância provocativa dos líderes de organizações pró-homossexualidade que promovem passeatas e manifestações ilegais.
a natureza preconceituosa do brasileiro que tem na sua genética a propensão para esse comportamento.
O toxico do preconceito transmitido de geração para geração e que não tem encontrado seu antídoto na educação de base.
a fragilidade do movimento gay que nada tem feito em favor da própria comunidade e sem conquistas civis relevantes.
a força do texto bíblico que absolutamente condena e prega a violência contra os homossexuais.

Após a leitura do texto base de nossa disciplina nas primeiras quinzenas, “Relações étnico-raciais: algo sobre os brasileiros”, disponibilizado no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), reflita sobre as afirmações seguintes, escolhendo a alternativa correta.

I – As desigualdades em nosso país estão presentes desde a colonização e apresentam-se nos campos econômico, racial, de orientação sexual e de gênero, entre outros e se mostram diferentes inclusive em relação às regiões do país;

II – A participação política e a dignidade humana podem ser vistos como pressupostos da cidadania democrática, que pode ser exercida por meio de ações que demonstram a participação do povo no exercício de seus direitos e deveres junto ao Estado.

III – Os problemas raciais não estarão resolvidos pelo fato de termos direito à liberdade de expressão e pensamento, o direito ao voto e participação política. A cidadania ativa vem aprimorar o processo de participação popular.

IV – Pessoas e grupos sociais buscam liberdade dentro dos espaços públicos para que possam coexistir em harmonia vivenciando a diversidade de forma real.

V – A visão de que as diferenças entre grupos étnico-culturais não têm nada a ver com inferioridade ou superioridade dos mesmos deverá ser cultivada no ambiente escolar, comprometido com a construção de uma metodologia antirracista.


Somente as afirmações II e III estão corretas.
Todas as afirmações estão corretas.
Somente as afirmações III e IV estão corretas.
Somente as afirmações I e II estão corretas.
Somente as afirmações IV e V estão corretas.

Podem ser considerados Princípios fundamentais do estatuto do deficiente (Art. 4º ) os seguintes itens (Assinale V para verdadeiro e F para falso):

(  ) respeito à dignidade inerente, autonomia individual, incluindo a liberdade de fazer suas próprias escolhas, e à independência das pessoas;

(  ) não discriminação; igualdade de oportunidades;  

(  ) inclusão e participação plena e efetiva na sociedade;

(  ) respeito pela diferença e aceitação da deficiência como parte da diversidade e da condição humana;

(  ) acessibilidade em ambientes públicos e/ou privados;

Agora, assinale a alternativa contendo a sequência correta:


F; F; F; F; F
V; V; V; F; F
F; F; F; V; V
V; V; V; V; V
F; V; V; V; F

O termo “desenvolvimento sustentável”, constantemente, aparece associado à noção de preservação do meio ambiente. Contudo, nem sempre se tem uma compreensão acertada desse conceito. Assim sendo, assinale a alternativa que, de fato, elucida a questão, definindo corretamente essa matéria tão importante. 


O fechamento de todas as indústrias que venham a produzir algum tipo de resíduo, seja qual for, para retroceder nos danos ambientais.
Encerrar todos os esforços econômicos do mundo capitalista para conseguir reverter o processo de degradação do meio ambiente. 
Investimentos em educação ambiental nas escolas, visando a formação de uma geração absolutamente vegetariana.
Avançar com reflorestamento ostensivo sobre regiões de aglomerado humano (Grandes Cidades) para restituir o primado da Natureza.
Usufruir dos recursos naturais e transformá-los em riquezas, mas utilizando técnicas que não deixem impactos ambientais nocivos para as gerações do futuro.

Leia o trecho seguinte:

"Em trânsito, a rapidez com que você passa da saúde para a doença é, talvez, mais rápida e imprevisível do que em todas as outras circunstâncias de risco que a vida cotidiana oferece. Tido como entre as mais fortes economias mundiais e considerado como uma potência emergente, o Brasil, no entanto, figura como um dos países mais violentos em acidentes de trânsito." (HOFFMANN, Maria Helena e CRUZ, Roberto Moraes (orgs). Comportamento Humano no Trânsito. São Paulo: Casa do psicólogo, 2011.)

O que se pode afirmar sobre o trânsito brasileiro? Escolha as afirmativas corretas:

I - Participa com 3,3% do número de veículos da frota mundial;

II - É responsável por 5,5% de veículos envolvidos em acidentes com vítimas fatais no mundo;

III - Em 1985, os registros já acusavam 25.000 óbitos no local do acidente por ano;

IV - 90% dos feridos no trânsito, na sua maioria em faixa etária infantil, fica mutilado ou incapacitado definitivamente.

Agora, assinale a opção correta:


Apenas II e IV
Todas as afirmativas estão corretas.
Apenas I e IV
Apenas III e IV
Apenas I; II e III

Reflita um instante sobre a noção de cidadãos passivos. Segundo esse princípio, é possível afirmar que os poderosos de cada sociedade, quase sempre, converteram os cidadãos num rebanho de ovelhinhas pacatas, pastando, lado a lado, sem queixa, mesmo na escassez de pasto.

Segundo essa metáfora é correto afirmar que:


o exercício da cidadania está condicionado ao sentir-se prejudicado pelos excessos do poder público.
a condição de passividade no cidadão deve justificar-se pela necessidade que tem do “pasto, mesmo quando escasso.
a postura do cidadão deve ser ativa: cobrando, propondo e pressionando o poder público. 
as chamadas Organizações Não Governamentais encarnam completamente a chamada passividade social.
a passividade de um cidadão não chega a prejudicar a ordem e equilíbrio social porque a sociedade só se configura enquanto multidão.

leia atentamente:

Vários estudos atestam que os atuais padrões de consumo crescem mais rapidamente que a capacidade de regeneração dos sistemas naturais. Ou seja, para manter os níveis de uso de recursos como a água, os minérios, os solos e as florestas da maior parte da população mundial, seriam necessários vários planetas Terra. (MARTINS, D. et al. Geografia, sociedade e cotidiano: espaço mundial. Volume 03, 3ª ed. São Paulo: escala educacional, 2013. p.264)

Considerando as informações contidas no trecho, aponte a alternativa que apresenta o conceito mais discutido nos fóruns de ecologia:


Modernização
Capitalização
Urbanização
Sustentabilidade
Desenvolvimentismo

Leia atentamente:

Mostrengo enviado para punir o povo de Tebas por ter afrontado os deuses, a Esfinge tinha cabeça e seios de mulher, corpo e patas de leoa, e asas de águia. Instalada às portas da cidade, ela exigia que seus melhores jovens a enfrentassem. Todos eram impiedosamente trucidados porque não conseguiam responder ao enigma que ela lhes propunha. Desgraça que só terminou quando apareceu um esperto rapaz, vindo de Corinto e chamado Édipo. Ele matou a charada, provocando o suicídio da fera. O resto da lenda é bem conhecido. Pois bem, o “desenvolvimento sustentável” também é um enigma à espera do seu Édipo [....]. (VEIGA, José Eli da. Desenvolvimento Sustentável: o desafio do século XXI. 3a edição. Rio de Janeiro: Garamond, 2008, p.3.)

Quando pensamos na ideia de desenvolvimento sustentável estamos tratando do grande desafio humano para o terceiro milênio. Desta forma, aponte a alternativa que aborda corretamente o conceito:


Os anseios da mentalidade capitalista, seus ideais de produção e consumo, devem ser equacionados segundo um padrão de vida social que se paute na qualidade de vida. Isso é desenvolvimento sustentável.
Não há possibilidade de desenvolvimento sustentável fora do esquema ostensivo de produção e consumo difundido pelas grandes potências capitalistas.
A Organização das Nações Unidas (ONU) deveria promover a regulação absoluta das riquezas de subsolo dos países que não possam explorá-los convenientemente. Só esse organismo pode ser capaz de garantir o desenvolvimento sustentável dos países pobres.
Passar, integralmente, os recursos hídricos para as mãos da iniciativa privada, é a proposta mais inteligente de preservação da água e define a ideia de desenvolvimento sustentável.
Estatizar todos os recursos, passando para as mãos, sobretudo, das grandes potências as riquezas indispensáveis ao bem-estar humano é a forma mais genuína de desenvolvimento sustentável.

Esse componente (CHD) atende a necessidades sociais prementes dos cidadãos brasileiros. O profissional de hoje em dia precisa de ferramentas intelectuais que lhe facultem lucidez social. Assim, sobre o conceito de cidadania e o seu exercício é correto afirmar que:


a cidadania relaciona-se à vida na zona rural e tudo que a singulariza.
inevitavelmente, associa-se ao que se convencionou chamar de “direitos humanos”.
com exceção do direitos de crianças e idosos, tudo mais que se vivencia em espaço urbano é cidadania. 
o princípio fundamental da cidadania é situar os direitos sociais acima dos deveres comunitários.
faz parte da tomada de consciência do cidadão, renunciar ao sentimento ético e o senso de direitos sociais.