TÓPICOS ESPECIAIS EM EMPREENDEDORISMO


Zica Assis representa uma de muitas inspirações empreendedoras existentes no cenário brasileiro. Com base nessa história e nas teorias estudadas sobre o empreendedorismo, julgue as afirmações a seguir:

I - Começar um negócio sempre requer uma grande quantia de investimento.

II - Ser um empreendedor significa trabalhar menos e ter mais liberdade e controle sobre a agenda.

III - Qualquer pessoa pode ser um empreendedor pois não exige formação, competências e características próprias.

Assinale a alternativa correta:


Apenas as afirmações I e II estão corretas.
Apenas as afirmações II e III estão corretas.
Nenhuma afirmação está correta.
Apenas a afirmação II está correta.
Apenas as afirmações I e III estão corretas.

Leia os textos a seguir:

TEXTO 1

“Comida”

(Arnaldo Antunes, Marcelo Fromer, Sérgio Britto)

A gente não quer só dinheiro

A gente quer dinheiro e felicidade

A gente não quer só dinheiro

A gente quer inteiro e não pela metade

--

TEXTO II

O MENINO QUE DESCOBRIU O VENTO (sinopse)

Nascido no Malauí, um dos países mais pobres da África, William Kamkwamba sempre acreditou num futuro diferente ao de seus familiares. Em 2001, quando tinha 13 anos, a região onde morava foi assolada por uma seca e a plantação de sua família acabou devastada. Sem poder pagar os oito dólares anuais por sua educação, William foi forçado a deixar a escola e a ajudar a família num momento em que milhares de pessoas pelo país morriam de fome.

Apesar de todos os obstáculos, o adolescente encontrou numa pequena biblioteca próxima a sua casa o caminho para persistir em seus sonhos. O testemunho do jovem autodidata que, com muita curiosidade e imaginação, conseguiu vencer as adversidades para melhorar a vida de todos a sua volta é o mote do livro O Menino que Descobriu o Vento. Nele, William conta como descobriu pela leitura dos livros o funcionamento dos moinhos de vento.

O menino decidiu apostar num projeto audacioso: construir um aparato para oferecer à família eletricidade e água encanada, luxos aos quais apenas 2% da população do Malauí têm acesso. Ao utilizar materiais improvisados, recolhidos em ferros-velhos, William conseguiu construir dois moinhos que mudariam sua vida por completo. "Não podia aceitar aquele destino como futuro", aponta o autor sobre o que o motivou a persistir na ideia por quatro anos. Logo, a notícia do magetsi a mphepo - seu "vento elétrico" - espalhou-se para além dos limites de sua casa, e o garoto, uma vez chamado de louco, tornou-se uma inspiração para o mundo.

https://www.martinsfontespaulista.com.br/o-menino-que-descobriu-o-vento

--

Após a leitura dos dois textos analise as afirmações abaixo:

I- O trecho do TEXTO I “A gente não quer só dinheiro. A gente quer dinheiro e felicidade” configura um exemplo do mote principal do empreendedorismo social, qual seja: alcançar a produtividade promovendo transformação social que possibilite a melhoria de vida de uma certa coletividade.

II- Por meio da sinopse da obra tratada no TEXTO II, podemos afirmar que, qualquer projeto empreendedor de impacto social, demanda, além de criatividade e inovação, um grande investimento financeiro capaz de gerar lucro aos seus financiadores.  

 III- É possível afirmar que, há entre os dois TEXTOS apresentados no enunciado acima, uma articulação de propósitos e resultados, uma vez que, o dinheiro e a felicidade almejados na música “Comida” foram alcançados pelo “Menino que descobriu o vento”, configurando uma forma de empreendedorismo social.

Assinale a alternativa correta:


Apenas as assertivas I e II estão corretas.
Apenas a assertiva I está correta.
Apenas as assertivas II e III estão corretas.
As assertivas I, II e III estão corretas.
Apenas as assertivas I e III estão corretas.

O economista francês Jean-Baptiste Say, no início do século XIX, descreveu o empreendedor  como aquela pessoa que “transfere os recursos econômicos de uma área mais baixa para uma área de maior produtividade e maior rendimento".

Um século mais tarde, o economista austríaco Joseph Schumpeter baseou-se nesse conceito básico de criação de valor, contribuindo com o que é indiscutivelmente a ideia mais influente sobre o empreendedorismo.

Schumpeter identificou no empreendedor a força necessária para impulsionar o progresso econômico e disse que sem eles as economias se tornariam estáticas, estruturalmente imobilizadas e sujeitas à decadência. Dentro da definição de Schumpeter, o empreendedor identifica uma oportunidade comercial - seja um material, produto, serviço ou negócio - e organiza um empreendimento para implementá-la.

Independente de lançarem o empreendedor como um inovador ou como um explorador inicial, os teóricos, de maneira universal, associam o empreendedorismo à oportunidade. Acredita-se que os empreendedores tenham uma capacidade excepcional de ver e aproveitar novas oportunidades, o compromisso e a motivação exigidos para persegui-los e uma disposição inabalável de assumir os riscos inerentes.

Nesse sentido, o que diferencia o empreendedorismo comum do empreendedorismo social é:


a motivação – o primeiro grupo é estimulado pelo retorno econômico; o segundo, pela transformação de uma dada comunidade.
o objetivo do negócio – o primeiro foca na criatividade; o segundo, nas crenças tradicionais.
a lucratividade – ambos viam lucro em detrimento dos resultados.
o compromisso – o primeiro visa atender os interesses coletivos ; o segundo, os individuais.
o marketing – o primeiro grupo não se preocupa com a imagem dos seus resultados; o segundo, sim.

Sobre os principais desafios vivenciados pela economia criativa é possível afirmar, EXCETO:

 


O valor de produtos e serviços da economia criativa é definido a partir da equação entre gastos com fornecedores, gastos administrativos e lucro esperado.
No universo da economia criativa há a possibilidade de reprodução ad infinitum de alguns produtos criativos a um custo zero.
Há grande dificuldade em lidar com questões ligadas à cultura e à criatividade por estas escaparem, em grande medida, à lógica econômica convencional.
Produtos da economia criativa têm a capacidade de evoluir conforme são consumidos, como é o caso dos softwares.
A convergência digital propiciada pelos computadores libera da utilização de quase todos os seus suportes clássicos, como o uso de papel, vinil, imagens em papel fotográfico, etc.
Em relação às características do empreendedorismo, associe as colunas, relacionando as características do empreendedorismo às suas respectivas definições. Características empreendedoras 1. Criatividade 2. Otimismo 3. Resiliência 4. Pensamento estratégico Definições Conceituais ( ) Resistir, se adaptar e tentar novamente são habilidades necessárias para quem deseja conquistar qualquer coisa. ( ) O empreendedorismo inclui a boa imaginação, a capacidade de solucionar problemas de maneira inovadora e de pensar fora da caixa. ( ) Encarar erros como oportunidades de aprendizado e a vida no geral de maneira mais positiva é uma das características mais proeminentes no empreendedorismo. ( ) O planejamento, visão e solução de problemas são características essenciais para as pessoas empreendedoras. A sequência CORRETA dessa associação é:  

1, 3, 4, 2
2, 1, 3, 4
1, 2, 3, 4
3, 1, 2, 4
3, 4, 1, 2
“A concepção de ação empreendedora amplia o escopo dos estudos em empreendedorismo. Trata-se a ação empreendedora, como algo que ocorre em situações além da configuração de novos negócios e da definição de novas organizações. Assim, a ação empreendedora permite deslocar o foco da figura do empreendedor como agente solitário de transformação de recursos em atividades produtivas, apresentando características especiais e diferenciadas em relação a outros agentes que, porventura, não tenham tido sucesso na criação, condução ou sustentabilidade de empreendimentos por eles conduzidos. O caráter situacional implica verificar a lógica das ações empreendedoras, na medida em que o foco na lógica da ação privilegia as trajetórias individuais, considerando, no entanto, como se articulam com dinâmicas coletivas, com as características ambientais e com a ação de estruturas econômicas e sociais, identificando-se fatores sociológicos que operam na tomada de decisão de conceber e implantar uma empresa, por exemplo”.  BORGES, A. F. et aI. Práticas de empreendedorismo em empresas familiares empreendedoras. Disponível em: http: http://www.anpad.org.br/admin/pdf/2014_EnEO323.pdf. Acesso em: 05 set. 2019 (adaptado). Considerando o fragmento de texto apresentado, avalie as asserções a seguir e assinale a alternativa CORRETA.  

Todo empreendedor sempre tem sucesso na criação, condução ou sustentabilidade de projetos por ele conduzidos.
O empreendedor atua passivamente dentro e fora do contexto de mudanças.
O empreendedorismo pode ser entendido como uma prática que está para além da abertura de um determinado negócio.
O empreendedorismo pode ser entendido como a falta de disposição e capacidade de idealizar, coordenar e realizar projetos.
Podemos afirmar que o empreendedorismo se limita a abertura de novas empresas.
Segundo reportagem da Época Negócios, o Brasil, foi identificado como o mercado que lidera a inovação na América Latina. Oito das 20 principais empresas identificadas estão no país, marcadas principalmente pela adoção de novas tecnologias, como machine learning, inteligência artificial, big data e biometria. Completam o quadro das 20 mais inovadoras: cinco companhias no México, quatro na Colômbia, duas na Argentina e uma no Chile. O Peru, é o país em que o processo ainda ocorre de forma mais incipiente, com a disseminação dos aplicativos mobile e adoção de meios digitais de pagamento. "Brasil tem 8 das 20 empresas mais inovadoras da América Latina, diz Visa". (Época Negócios. Disponível em: . Acesso em 06 set. 2019) Sabe-se que a inovação no século XXI é vital para as organizações. O fator isolado mais importante para que um negócio cresça é a capacidade da empresa em transformar novas ideias em produtos e/ou serviços. Sobre a inovação e empreendedorismo no século XXI é CORRETO afirmar:  

Empreendedorismo e inovação não tem relação. Na fusão do empreendedorismo e inovação não é preciso equilíbrio.
O século XXI trouxe uma geração antenada não somente na criação de empresas, mas em formas de como estas empresas podem contribuir para questões sociais, ambientais e de transformação nas vidas das pessoas.
Assim que surge uma nova ideia, o empreendedor do século XXI não procura transformá-la em algo útil e essa é a nova essência do comportamento empreendedor nos dias atuais.
Os empreendedores do século XXI acreditam que para inovar nos negócios não é necessário buscar capacitações, desenvolver a criatividade e aperfeiçoar diferentes habilidades. 
Os empreendedores do século XXI são pessoas inquietas, que não enxergam problemas sob outras perspectivas, agem com dificuldade e cautela.
A semente do empreendedorismo é a habilidade de ver as coisas de maneira diferente. Não é à toa que Steve Jobs, um dos grandes visionários do nosso século XXI, destacou: “Pense de maneira diferente.” Com base na tabela abaixo que compara dados referentes a mentalidade empreendedora dos brasileiros nos anos de 2016 e 2017, assinale a opção INCORRETA. “Empreendedorismo no Brasil - Relatório Executivo 2017.” (Sebrae – Empreendedorismo. Disponível em: < http://www.sebrae.com.br>. Acesso em 06 set. 2019)  

46,4% deles reconhecem a existência de boas oportunidades de negócio em um horizonte de seis meses (aumento de mais de seis pontos em relação ao verificado em 2016).
A tabela acusa um expressivo aumento em 2017 na parcela da população que manifesta o desejo/sonho de ter um negócio próprio quando se compara com o ano anterior.
Em relação às habilidades, conhecimentos e experiências para a abertura de um empreendimento, o brasileiro se mantém “autoindulgente”, ou seja, para 55,6% dos brasileiros, eles próprios reúnem plenas condições cognitivas e operacionais para se aventurarem em uma empreitada empreendedora.
Para mais da metade dos brasileiros o medo do fracasso não constitui um fator impeditivo para iniciar um novo negócio.
56,5% dos brasileiros conhecem pessoas que abriram negócios nos últimos dois anos. Esse percentual representa um expressivo crescimento nesse indicador, em 2016, 41,3% da população afirmava conhecer pessoalmente empreendedores iniciantes.
Se de um lado, empreender é enxergar oportunidades, criar ou reinventar negócios, por outro, a inovação se torna essencial para agregar valor a essas novas soluções e criar negócios surpreendentes e úteis. Sobre os conceitos de empreendedorismo e inovação, analise os itens a seguir e marque com V se a assertiva for verdadeira e com F se for falsa. Ao final, assinale a opção que corresponde a sequência CORRETA. ( ) Há uma grande convergência em apontar que o empreendedorismo consiste no fenômeno da geração de negócio em si, relacionado tanto com a criação de uma empresa, quanto com a expansão de alguma já existente. ( ) O empreendedor possui características que o definem, entre elas: autoconfiança, iniciativa, otimismo, aceitação do risco, persistência, entre outras. Ele é capaz de estabelecer objetivos e encontrar oportunidades de negócios, fazendo uso de sua criatividade e conhecimento do ambiente no qual está inserido.  (  ) A capacidade de empreender está relacionada às características do indivíduo, aos seus valores e modo de pensar e agir, não sendo possível desenvolver habilidade empreendedoras. (  ) O empreendedorismo é o fator que possibilita o desenvolvimento social e econômico, em todos os setores de uma comunidade. Seja no âmbito pessoal, local ou mundial, as pessoas empreendedoras são aquelas que movimentam o mundo para frente.  

V, F, V, F
V, F, V, V
F, V, V, V
V, V, V, F
V, V, F, V
Tendo em vista os diferentes setores da economia criativa, associe a segunda coluna de acordo com a primeira:   1. Consumo (      ) Serviços editoriais e audiovisual. 2. Cultura (     ) Pesquisa e Desenvolvimento, biotecnologia, tecnologia da informação e comunicação. 3. Mídias (     ) Expressões culturais, música e artes cênicas. 4. Tecnologia (     ) Publicidade e marketing, arquitetura e moda.   Agora marque a sequência CORRETA:  

4, 3, 2, 1.
2, 1, 4, 3.
1, 2, 3, 4.
3, 4, 2, 1.
1, 4, 2, 3.
Páginas: 1234