O CAPITALISMO NAS AMÉRICAS: A CONTEMPORANEIDADE


Leia com atenção:

 

 “Críticos e historiadores da arte estão de acordo em vincular aspectos da arte muralista não só ao momento da Revolução Mexicana, mas em apontar suas raízes remontando até mesmo ao período pré-hispânico como forma utilizada para expressar valores, crenças e experiências de vida através da arte, como também à forma artística preferida no período colonial na decoração de conventos e igrejas, com intenção evangelizadora” (VASCONCELLOS, 2005, p. 286).

 

O Muralismo mexicano constitui uma das principais expressões culturais da América Latina. A respeito dessa arte, podemos afirmar que:


O muralismo se vincula à Revolução Mexicana devido ao caráter elitista e modernista de ambos os movimentos.


Apesar de sua grandiosidade, é considerada como uma arte secundária no México atual, que valoriza mais a indústria cultural influenciada pela mídia norte-americana.


O muralismo mexicano da década de 20 caracterizou-se pelo esforço em reproduzir as imagens dos principais eventos ocorridos durante a Revolução, enaltecendo os líderes do movimento.


A pintura mural, advinda do processo revolucionário de 1910 é, para alguns autores, uma arte intencional e plena de significado ideológico, que visa enaltecer e propagandear a obra da Revolução.


A arte mural buscou resgatar a arte asteca e maia, entendida como a única e verdadeira herança cultural do povo mexicano.

A respeito do termo “cultura”, podemos considerar que:

 

I – A cultura popular pode ser definida como todas as práticas e representações culturais vivenciadas no cotidiano de atores sociais específicos como forma de recriação do seu universo: crenças, hábitos, costumes, conhecimento.

II – O estudo de quase tudo que possa identificar uma sociedade, diferenciando-a de uma outra – como vive, festeja, sofre, trabalha – tem sido uma preocupação da História Cultural.

III – É preciso que se pense a cultura no plural e no presente, como uma forma de representação viva e dinâmica das classes populares.

 

As afirmativas corretas estão contidas em:


III, apenas.


I, II e III.


II e III, apenas.


I, apenas.


I e II, apenas.

Sobre o fim da ditadura militar na Argentina e o período de redemocratização no país, analise as afirmativas a seguir:

 

I – A Guerra das Malvinas foi uma tentativa do presidente Raul Alfonsin de retomar no país a política peronista, reivindicando o território sob um discurso nacionalista.

II – Ao contrário do que ocorreu em outros países, o fim da ditadura militar argentina tratou-se de uma transição por colapso, isto é, uma transição determinada pela ruptura do regime militar, cujo desencadeador decisivo foi a derrota na Guerra das Malvinas.

III – O presidente Raul Alfonsin causou polêmicas internas ao anistiar líderes militares e iniciar uma nova guerra com a Inglaterra pela disputa do território das Malvinas.

IV – O presidente Néstor Kirchner promoveu mudanças na legislação, anulando decretos que impediam a extradição de militares acusados de violação de direitos humanos.


É correto apenas o que se afirma em:


I, III e IV.


I, II e III.


I e II.


II e III.


II e IV.

Em 1973, uma junta militar comandada pelo general do Exército chileno, Augusto Pinochet, instaurou um novo poder político a partir do golpe contra o governo de Salvador Allende. O governo militar fechou o Parlamento e alterou a Constituição chilena para que as Forças Armadas ficassem responsáveis por todas as funções dos poderes legislativo e executivo.

Sobre as repressões impostas pela ditadura no Chile, analise as afirmações a seguir:

 

I – Os partidos políticos foram proibidos de fazerem declarações sobre os acontecimentos políticos, reuniões, propaganda e (ou) interferir em atividades sindicais e de associações sociais.

II – A ditadura instituiu a pena de morte e execuções por fuzilamentos a todos aqueles que oferecessem resistência ou manifestassem oposição ao governo.

III – Após se tornar presidente, o general Pinochet buscou o apoio popular ao modernizar a economia e a suprimir os processos de tortura e assassinatos políticos.

IV – O Estádio Nacional se tornou oficialmente palco de julgamentos, torturas e execuções de presos políticos e civis considerados culpados por ações subversivas.

 

É correto apenas o que se afirma em:


I, II e III.


I e III.


I, II e IV.


I, II, III e IV.


II e IV.

Leia com atenção o fragmento a seguir:

 

Em 17 de abril de 1961, entre 1.500 e 1.800 exilados cubanos contrários ao governo do presidente de seu país, Fidel Castro, e treinados pela Agência Central de Inteligência norte-americana (CIA), aportaram na Baía dos Porcos, localizada ao sul de Cuba. A ação, que acabou dois dias depois, na tarde do dia 19 do mesmo mês, fracassou completamente, com 114 mortos e quase 1.200 invasores capturados. (FARIAS, Deborah B. Rev. Bras. Polít. Int. 51(1). 2008, p.105)

 

A invasão norte-americana à Baia dos Porcos acirrou as relações entre Cuba e EUA no contexto da Revolução Cubana. Podemos apontar como importante consequência desse episódio:


A reeleição do presidente John F. Kennedy, tendo em vista o sucesso da operação em Cuba.


A declaração oficial de Fidel Castro de que Cuba se tornaria socialista.


A presença militar norte-americana em Cuba para reprimir a revolução.


O rompimento das relações diplomáticas entre Cuba e EUA e a revogação da Emenda Platt.


A nacionalização das empresas estrangeiras norte-americanas que existiam em Cuba.

Sobre o contexto histórico de Cuba, anterior à revolução de 59, considere as seguintes afirmações:
 

I - Cuba foi o último país latino-americano a libertar-se da tutela espanhola. No começo do século XIX, quando começou a independência da América espanhola, uma série de incidentes opôs os crioulos cubanos e a coroa da Espanha.

II - Cuba deixou de ser uma colônia espanhola para ser uma neocolônia americana. Em 1902, o senado americano aprovou a Emenda Platt, que dava aos Estados Unidos o direito de intervir em Cuba sempre que julgasse conveniente.

III - Nos anos 1930-1940 os cubanos assistiram à subida progressiva de Fulgêncio Batista. Em 1952, Batista, que havia perdido o poder em 1944, retornou ao governo e instaurou uma ditadura apoiado pelo governo norte-americano.

 

É correto o que se afirma em:


I, II e III.


II, apenas.


I e III, apenas.


III, apenas.


I e II, apenas.

A Revolução Mexicana é um marco na história contemporânea da América Latina, principalmente por ser considerada a primeira revolução de caráter social do continente. Porém, quando eclodiu em 1910, a Revolução se caracterizou como um movimento:


liberal, em prol de uma aliança econômica com os Estados Unidos.


burguês, em defesa de uma reforma política e do sufrágio universal.


operário, pela implantação de um governo socialista no México.


camponês, de luta pela reforma agrária no país.


nacionalista, contrário à dominação política espanhola.

Sobre a Revolução Mexicana e seus desdobramentos, analise as afirmativas a seguir:

 

I – O movimento guerrilheiro insurgido no estado de Chiapas, conhecido por EZLN (Exército Zapatista de Libertação Nacional) promoveu a reforma agrária no sul do México, além de propor um novo modelo econômico e político de acordo com as necessidades dos camponeses.

II – Um dos legados da Revolução se deu no campo das artes, através do muralismo, que buscou representar os grandes momentos da história mexicana, valorizando o camponês e o indígena.

III – Representante do continuísmo dos regimes surgidos após a Revolução Mexicana, o Partido Revolucionário Institucional (PRI) exerce grande influência política até os dias atuais.

IV  – A Constituição de 1917, fruto de processo revolucionário, ainda está vigente como a Constituição dos Estados Unidos Mexicanos.

 

É correto apenas o que se afirma em:


II e IV.


II, III e IV.


I e III.


I, II e III.


I, II, III e IV.

A ascensão e consolidação dos Estados Unidos como país hegemônico no século XX teve vários fatores. A respeito desses fatores, julgue os itens que se seguem e assinale a resposta correta:

 

I – A política externa norte-americana do século XIX priorizou a consolidação da nação, procurando garantir sua segurança e unidade nacional mediante o distanciamento da Europa.

II – Para manter suas alianças políticas o governo norte-americano formulou várias doutrinas, norteadas pelas noções de comércio e cooperação política, a exemplo do Corolário Roosevelt, que estabeleceu a política da boa vizinhança com os países latino-americanos.

III – Apesar de surgirem como nação imperialista no fim do século XIX, foi no pós-Segunda Guerra Mundial (1939-1945) que o papel hegemônico dos Estados Unidos no mundo capitalista atingiu o seu apogeu.

IV – Nos anos 2000, a “guerra preventiva”, estabelecida pelo governo Bush, substituiu a luta contra o terrorismo na Guerra Fria pelo combate ao comunismo socialista, de países como Cuba, China e Iraque, o que fortaleceu a liderança dos Estados Unidos no mundo capitalista.

 

Estão corretas apenas as afirmativas:


III e IV.


I e III.


I, II e III.


I e II.


I, III e IV.

"Fale macio e use um grande porrete", dizia o presidente norte-americano Theodore Roosevelt para justificar a política externa dos EUA, em fins do século XIX e início do século XX. A respeito dessa política, conhecida como "Big Stick", podemos afirmar que:


era o lema dos Estados do Norte durante a Guerra de Secessão, durante a qual os escravos foram libertados, como forma de enfraquecer as forças sulistas.


foi uma continuidade do expansionismo interno, marcado pela Marcha para o Oeste e pela Guerra de Secessão, que implicou nas seguidas intervenções militares norte-americanas que transformaram o Caribe em sua área de influência.


significou uma medida pragmática dos norte-americanos logo após a independência, buscando superar o isolamento diplomático, ao mesmo tempo que combatia o exército britânico.


foi a orientação dada pelo serviço secreto norte-americano a seus agentes infiltrados na URSS e nos países da chamada Cortina de Ferro no Leste europeu.


diz respeito à política norte-americana com relação à América Latina durante a Guerra Fria, quando deu apoio político e militar a diversas ditaduras militares, visando impedir o estabelecimento de regimes comunistas semelhantes ao de Cuba.

Páginas: 12