METODOLOGIA DO ENSINO DE BIOLOGIA


Analise o texto abaixo.

Utilização de filmes na sala de aula

Filmes frequentemente têm sido utilizados em aulas de diversas disciplinas e com bons resultados. A linguagem cinematográfica é complexa e mistura emoção, envolvimento, enredo, ação, música, luz, movimento, mistério, desafio, suspense. Por isso mesmo apresenta ampla capacidade de comunicação. Os filmes conseguem grande aceitação por parte do público jovem, e assim apresentam imenso potencial de aproveitamento no processo educativo. Percebe-se um maior interesse por parte do aluno, a sua participação melhora e muitas vezes, algumas coisas são melhor compreendidas com filmes do que com as explicações de uma aula do professor. Entretanto, o uso de filmes na educação não apresenta apenas aspectos positivos. Existem também questões muito problemáticas, que devem ser consideradas quando se planeja utilizar um filme em aula. As obras cinematográficas trazem valores inseridos de forma velada que muitas vezes não são percebidos. Valores capitalistas, desejo de riqueza e ascensão social. A própria linguagem cinematográfica pode ser questionada. Ela se apresenta muitas vezes estereotipada, exagerada, artificializada, espetacularizada. Muitas vezes falamos de bons filmes, que podem ser usados em sala de aula, mas a própria linguagem cinematográfica, deve ser analisada. Os “bons” filmes também usam este modelo. Frequentemente as produções que fogem desse modelo são consideradas fracas ou chatas, pois não arrebatam o espectador, não o estimulam, não causam fortes emoções.

Fonte: Disponível em: http://educacional.cpb.com.br/conteudos/universo-educacao/utilizacao-de-filmes-na-sala-de-aula/. Acesso em: 28 mar.2017.

Considerando o texto acima e os estudos sobre a utilização de filmes nas salas de aula, julgue as afirmativas a seguir.

I)   O educador pode, e deve, utilizar os recursos audiovisuais como aliados no ambiente de aprendizagem, de várias formas: projeção de filmes, documentários, desenhos, programa televisivo, entre outros.

II)  A utilização de recursos, como a televisão, atrai alunos e ajuda o professor a contextualizar o conteúdo a ser trabalhado. Esses recursos devem ser criteriosamente escolhidos, para que possam enriquecer o trabalho docente.

III) Quando fazemos a opção de exibir um determinado filme na sala de aula, devemos utilizá-lo como forma de aprofundamento do tema estudado, estabelecendo um objetivo claro que deve ser repassado também aos alunos.

É CORRETO o que se afirma em:


I e II, apenas.
I e III, apenas.
II, apenas.
III, apenas.
I, II e III.
Primeiramente, analise as informações abaixo. Segundo o documento Brasil (1998b, p.37): na atualidade, convive-se com uma diversidade considerável de concepções de saúde, entre as quais algumas bastante conhecidas que funcionam como referências mundiais e/ou nacionais. É o caso, por exemplo, do conceito de saúde assumido em 1948 pela Organização Mundial de Saúde: “Saúde é o estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença”. Esse conceito nos remete à utopia – e por que não? – de “saúde ótima”, embora não nos forneça muitas indicações concretas sobre o que seria essa situação de “completo bem-estar". Considerando essa afirmação, julgue a veracidade das afirmações a seguir. I)  Nascer saudável é uma dádiva, mas manter a saúde exige algum esforço. A condição do seu corpo é o reflexo do que você faz. É claro que algumas pessoas sofrem de doenças sobre as quais não têm controle. Mas, em geral, se comemos bem, fizermos exercícios regulares e repousarmos quando cansados, nosso corpo terá uma boa aparência. II)  Intensificar o ritmo das caminhadas diárias pode garantir maior longevidade. A performance do coração melhora quando se aumenta moderadamente o esforço físico, isso, então, ajuda a afastar problemas cardíacos. Sem contar que caminhar mais rápido do que de costume também contribui para fortalecer a musculatura da região pélvica e dos membros inferiores, diminuindo o risco de quedas. III) A educação sexual precisa ser trabalhada com todos os alunos, com os familiares, com a comunidade escolar e inclusive com os professores, pois por meio de um trabalho coletivo, conseguiremos vencer alguns “tabus” e esclarecer melhor a população, principalmente sobre a orientação sexual. É CORRETO o que se afirma em:

II, apenas.
I e III, apenas.
I e II, apenas.
II e III, apenas.
I, II e III.
Afinal de contas, quantas espécies de seres vivos existem no nosso planeta? Você tem ideia? Centenas? Milhares? Milhões?  A Terra abriga uma enorme variedade de seres vivos e, embora os cientistas tenham catalogado quase dois milhões de espécies, estima-se que um número muito maior seja desconhecido. Com base em estudos recentes, tem-se sugerido que existem na Terra algo em torno de 10 a 15 milhões de espécies! E quer saber mais? A grande maioria delas é insetos! Sim, de insetos. (MARTINS; SANO, 2009).Para sustentar a biodiversidade, os pesquisadores precisam primeiro identificar algumas espécies e proteger a fauna e a flora mundial. Outras ameaças estão chegando como, por exemplo, o aquecimento global, representando hoje um risco talvez até maior do que a perda de um habitat. Martins e Sano (2009, p.22) afirmam que o surgimento de novas espécies - processo chamado de especiação - é o mais óbvio mecanismo gerador de diversidade.  Na grande maioria das vezes, a especiação:

ocorre por meio do processo de geração espontânea ou abiogênese.
se dá pelo isolamento reprodutivo de populações de uma mesma espécie.
não ocorre, pois há pouca diversidade genética entre as espécies já catalogadas pelos pesquisadores.
se dá pelo isolamento reprodutivo de populações de espécies diferentes, exclusivamente.
ocorre por meio de reprodução assexuada e, em alguns casos por partenogênese.
Leia o texto a seguir. O que é nutrição? A nutrição é a ciência que estuda a composição dos alimentos e as necessidades nutricionais de cada indivíduo, além dos processos pelos quais o organismo ingere, absorve, transporta, utiliza e excreta os nutrientes. As necessidades nutricionais podem ser definidas como as quantidades de nutrientes e de energia disponíveis nos alimentos que um indivíduo sadio deve ingerir para satisfazer suas necessidades fisiológicas normais e prevenir sintomas de deficiência. A escolha do nutriente correto por meio da dieta ou da suplementação nutricional tem papel fundamental no tratamento e controle das manifestações de patologias crônicas. Uma alimentação balanceada tem como objetivo principal promover o bom funcionamento do corpo. Com a ingestão de uma dieta equilibrada tanto em quantidade como em qualidade, o organismo adquire energia e nutrientes necessários para o desempenho de suas funções, manutenção e um bom estado de saúde. A nutrição adequada é crucial para o desenvolvimento físico e mental de cada indivíduo. A intervenção nutricional tem como objetivo a prevenção de doenças, a proteção e a promoção de uma vida mais saudável, conduzindo o bem estar geral do indivíduo.   Fonte: Disponível em: http://nutrimari.blogspot.com.br/2011/03/teste_17.html. Acesso em: 09 abr.2017.   Considerando as informações do texto e os estudos sobre o corpo e a saúde, analise as afirmações abaixo.   I) Os nutrientes fornecem energia para as funções vitais do corpo; são a base estrutural dos seres vivos, ou seja, compõem a matéria para a construção do corpo e regulam as diferentes funções do organismo. II) As necessidades nutricionais podem ser definidas como as quantidades de nutrientes e de energia disponíveis nos alimentos que um indivíduo sadio deve ingerir para satisfazer suas necessidades fisiológicas normais e prevenir sintomas de deficiência. III) A obesidade é uma condição multifatorial, incluindo entre eles fatores genéticos e ambientais, socioculturais, endócrinos e neurológicos, emocionais e psicológicos.   É CORRETO o que se afirma em:

II e III, apenas.
I e II, apenas.
I, II e III.
II, apenas.
I e III, apenas.
Primeiramente, leia o texto a seguir. Orientação sexual: sexualidade A sexualidade humana envolve quatro aspectos: gênero; e papel, identidade e orientação sexual. Termos como heteroafetividade, homoafetividade e biafetividade fazem parte da orientação sexual; que diz respeito à atração que se sente por outros indivíduos. A sexualidade humana é um tema que gera polêmicas e muitas controvérsias, uma vez que envolve questões afetivas, papéis esperados e desempenhados em uma sociedade, e também comportamentos. De forma geral, ela envolve quatro aspectos. O primeiro é o gênero, que corresponde ao sexo da pessoa. Assim, temos o sexo feminino e o masculino. Temos também aqueles que nascem com características sexuais tanto de um sexo quanto de outro: os hermafroditas. Quanto a estes, seu gênero costuma ser considerado de acordo com as características físicas predominantes – femininas ou masculinas. No entanto, em alguns países, são adotados como um terceiro sexo. O segundo aspecto da sexualidade humana é a orientação sexual. Ela diz respeito à atração que se sente por outros indivíduos. Ela geralmente também envolve questões sentimentais, e não somente sexuais. Assim, se a pessoa gosta de indivíduos do sexo oposto, falamos que ela é heterossexual (ou heteroafetiva). Se a atração é por aqueles do mesmo sexo, sua orientação é homossexual (ou homoafetiva). Há também aqueles que se interessam por ambos: os bissexuais (ou biafetivos). Pessoas do gênero masculino com orientação homossexual geralmente são chamados de gays; e as do gênero feminino, lésbicas. Alguns consideram, ainda, os assexuais, que seriam aqueles indivíduos que não sentem atração sexual; e os pansexuais: pessoas cuja identificação com o outro independe de seu gênero, orientação, papel e identidade sexual. Há outras fontes que adotam que a pansexualidade pode também abranger o interesse sexual por outros animais, ou até mesmo outros seres vivos e objetos. É mais adequado dizer homoafetividade do que homossexualidade; assim como heteroafetividade, em substituição ao termo heterossexualidade, e assim por diante. Isso porque o sufixo “-sexual” tende a compreender que essas relações se reduzem unicamente a tal aspecto (o sexual), o que não pode ser utilizado como regra. Quanto ao termo “homossexualismo”, cada vez mais em desuso, ele é incorreto, uma vez que o sufixo “ismo” sugere que essa orientação sexual é uma doença, o que não pode ser considerado verdade sem que existam provas concretas disso. Quanto ao terceiro aspecto, o papel sexual, ele está relacionado ao comportamento de gênero que a pessoa desempenha na sociedade. Assim, envolve muitos clichês, como por exemplo: 1- Uma mulher “feminina”: ou seja, que se comporta de forma condizente com o que a sociedade geralmente espera dela, nesse sentido – se maquia, é delicada, enfim...; 2- Uma mulher que não é vaidosa e gosta de esportes violentos, é “masculinizada”; 3- Um homem delicado, sensível, “afeminado”; 4- Um homem rude, viril, é “masculino”, “másculo”; O papel sexual não necessariamente se apresenta relacionado à orientação sexual, tal como a priori possa parecer. Assim, nesses quatro exemplos, todos eles podem ser heterossexuais. Ou, por exemplo, o “homem másculo” pode ter atração por outros homens (orientação homo, bi ou pansexual), embora seu papel sexual mostre o contrário. Finalmente, temos o quarto aspecto: a identidade sexual, que seria a forma como o indivíduo se percebe em relação ao gênero que possui.Quando a pessoa de determinado gênero se sente mais como se fosse de outro, independentemente de sua orientação sexual (às vezes até mesmo de seu papel sexual), falamos que ela é transexual. Pontualmente falando, transexual seria aquele cuja identidade sexual não é a mesma que seu sexo biológico; sendo normalmente aquele que recorre a cirurgias de mudança de sexo. Logo, transexuais costumam sentir atração por pessoas do mesmo gênero que o seu (ex.: pessoa de gênero masculino, identidade sexual feminina, e que se sente atraída por indivíduos de gênero masculino), mas vale frisar novamente que, quando o assunto é sexualidade humana, não existem regras muito categóricas.Transexuais e travestis não são a mesma coisa! Estes últimos são aqueles cuja identidade sexual é mista, se sentem tanto homens quanto mulheres. Assim, costumam vestir-se e se comportar como se fossem do gênero oposto (papel sexual), “equilibrando sua 'dupla identidade'”. Fonte: Disponível em: http://brasilescola.uol.com.br/sexualidade/orientacao-sexual.htm. Acesso em: 01 abr.2017. Considerando as informações do texto, analise as afirmações a seguir. I) Um dos aspectos da sexualidade humana é o gênero, que corresponde ao sexo da pessoa. Assim, temos o sexo feminino e o masculino. II) É considerado um dos aspectos da sexualidade humana, a orientação sexual. Ela diz respeito à atração que se sente por outros indivíduos. Ela geralmente também envolve questões sentimentais, e não somente sexuais. III)Quando um indivíduo gosta de pessoas do sexo oposto, dizemos que ela é heteroafetiva. Se a atração é por aqueles do mesmo sexo, sua orientação é homoafetiva. Há também aqueles que se interessam por ambos: os bissexuais. É CORRETO o que se afirma em:

III, apenas.
I e II, apenas.
II e III, apenas.
I e III, apenas.
I, II e III.
Primeiramente, leia o texto a seguir. O Brasil é o país que detém a maior parcela da biodiversidade, em torno de 15 a 20% do total mundial, com destaque para as plantas superiores, nas quais detém aproximadamente 24% da biodiversidade. Entre os elementos que compõem a biodiversidade, as plantas são a matéria-prima para a fabricação de fitoterápicos e outros medicamentos. Além de seu uso como substrato para a fabricação de medicamentos, as plantas são também utilizadas em práticas populares e tradicionais como remédios caseiros e comunitários, processo conhecido como medicina tradicional. Além desse acervo genético, o Brasil é detentor de rica diversidade cultural e étnica que resultou em um acúmulo considerável de conhecimentos e tecnologias tradicionais, passados de geração a geração, entre os quais se destaca o vasto acervo de conhecimentos sobre manejo e uso de plantas medicinais. (BRASIL/MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2006, p.14). Considerando as informações do texto e os estudos sobre as plantas medicinais, analise o questionamento abaixo e, em seguida, assinale a alternativa CORRETA. Questionamento: as partes utilizadas são as folhas e as hastes, sendo conhecida na medicina popular pela sua ação antibiótica e anti-inflamatória. A utilização traz bons resultados para doenças do fígado, estômago, intestinos, cálculos biliares, entre outros.

Hortelã
Carqueja
Boldo
Pitangueira
Alecrim-pimenta
Avaliar é uma das atividades mais comuns na vida escolar de todo ser humano e a maioria dos professores tende a encarar a avaliação como algo que ocorre somente em momentos isolados, como após o processo de ensino-aprendizagem. Mas, a insatisfação com esses tipos padronizados de avaliação de aprendizagem é tão antiga quanto este processo (BARATELLA, 2011).  Como resultado de uma análise de diversas técnicas usadas no processo avaliativo, surgiu-se a avaliação autêntica por meio do portfólio. Sobre o portfólio assinale a alternativa CORRETA:   

O portfólio consiste num trabalho gradual de processo de aprendizagem, como a construção do conhecimento, sem socialização entres os estudantes, apenas com o educador.
Para a realização do portfólio os objetivos são estabelecidos pelos próprios alunos, assim como a definição das finalidades de aprendizagem. Por isso, é considerada uma avaliação formativa.
O portfólio é um tipo de avaliação que ocorre apenas nos finais dos anos letivos, que avalia todo o conteúdo estudado, sem autorreflexão.
Trata-se de um tipo de avaliação formativa, em que o professor compartilha resultados com o aluno, otimizando o processo de ensino-aprendizagem e propondo novos caminhos pedagógicos.
Trata-se de um tipo de avaliação feita pelos alunos ao longo do período estudado, mas é um sistema rígido onde não há diálogo entre educador e educando.

Leia o texto a seguir.

O uso do jornal na sala de aula

O uso do jornal em sala de aula indica um novo contorno do pensar e agir por meio da leitura e manipulação do jornal na escola, com resultados admiravelmente positivos. Permite, principalmente para novos leitores, a chance de acesso ao recurso jornal, como um estímulo ao prazer de ler, vincula a realidade social e a natural concepção de alternativas para demonstração de atitudes cidadãs, por parte dos leitores, diante das informações por ele veiculadas. Consiste em promover, nas salas de aula, a leitura com mais prazer, com o manuseio de jornais do dia ou de dias anteriores.
A ideia de utilizar o jornal como um instrumento pedagógico e levá-lo para dentro da sala de aula transforma-o em uma ferramenta prática para a motivação do ensino. O estudo e a leitura do jornal dentro de um contexto pedagógico do conteúdo, em alguns casos, é muito mais bem sucedido do que o simples uso do livro didático. Esse instrumento pedagógico forma um conjunto de cidadãos mais informados e participantes. A ferramenta pedagógica, que se utiliza com o uso do jornal em sala de aula, prioriza o desenvolvimento acadêmico pela informação e tem como objetivo originar uma leitura mais crítica, assim como, esclarecer ao aluno a realidade dos problemas sociais, propiciar o desenvolvimento do raciocínio, aumentar a capacidade de questionamentos e abranger o conteúdo cultural. Pedagogos e especialistas em educação e lingüística afirmam que o jornal é uma alternativa à predominância da televisão, que aliena os jovens e cria uma “dificuldade” à recepção e ao questionamento daquilo a que estão expostos.
O costume da leitura de jornais em sala de aula enriquece a capacidade de entendimento dos alunos, principalmente ao acréscimo e ampliação do vocabulário e compreensão de textos, melhora a qualidade das intervenções verbais, alarga as informações do educando sobre o mundo e também sobre a comunidade onde vive. O jornal, como ferramenta pedagógica, traz uma visão aberta e atualizada, um espaço de divulgação de ideias, de comunicação de opinião e interesses e tem contorno multidisciplinar e interdisciplinar. O jornal espelha o jogo de interesses da sociedade e o estudante pode compreender em que sociedade está vivendo e convivendo. O jornal é um extraordinário material pedagógico porque traz para a sala de aula a sociedade e suas necessidades reais. O docente precisa também beneficiar a interação do educando com a realidade social cotidiana e originar o acompanhamento do assunto jornalístico.
O jornal reflete os valores, a ética, a cidadania, por meio dos mais variados temas e se torna assim um aparelho importante para o educando se colocar e se inserir na vida social, por meio dessa ferramenta de comunicação. O uso do jornal na escola atende a proposta dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), pois as matérias tratadas servem de base para o desenvolvimento dos temas transversais, trabalhando-se, por exemplo, a questão da ética e da cidadania nos enfoques e tendências, que dão aos fatos e notícias. Ensina-se por meio do jornal, a leitura, a interpretação dos assuntos tratados sob um prisma reflexivo e crítico, propiciando aos alunos a oportunidade de se inserir no mundo através de uma janela de papel.

Fonte: Disponível em: http://educador.brasilescola.uol.com.br/trabalho-docente/jornal-sala-aula.htm. Acesso em: 18 fev.2017.

A partir do texto acima, analise a veracidade das afirmações abaixo.

I)  A utilização de jornais e revistas, como recurso pedagógico, aproxima e traz, para a sala de aula, a sociedade em que vivemos, por meio de notícias e informações que podemos utilizar de forma significativa e interdisciplinar.

II) Ao invés de apenas trabalharmos com atividades preestabelecidas em livros didáticos, podemos utilizar, em alguns momentos, matérias jornalísticas para que nossos alunos busquem uma forma de relacionar o conteúdo e as temáticas escolhidas.

III) Uma educação de qualidade só será alcançada quando utilizarmos diversas formas metodológicas, por meio de trabalhos interdisciplinares que apresentem, para o aluno, um significado para sua vida.

Está(ão) CORRETA(S) a(s) afirmativa(s) contida(s) em:


I, II e III.


I e III, apenas.


I e II, apenas.


III. apenas.


II, apenas.

Vivemos em um mundo dos que têm e dos que não têm. Apesar do crescimento econômico ter sido multiplicado por oito entre 1950 e 2005 praticamente um em cada dois trabalhadores no mundo tenta sobreviver com uma renda menor que US$ 2 por dia. Essa pobreza afeta a qualidade ambiental, pois, para sobreviver, muitos pobres exaurem e degradam as florestas, os campos, o solo e a vida selvagem locais. Biólogos estimam que as atividades humanas tenham provocado a extinção prematura das espécies terrestres à taxa exponencial de 0,1% a 1% ao ano – uma perda irreversível da grande variedade de formas de vida, ou biodiversidade, da Terra. Há uma crescente preocupação de que o crescimento exponencial das atividades humanas, como a queima de combustíveis fósseis e o desmatamento das florestas, mudará o clima da Terra durante este século. Isso poderia arruinar algumas áreas agrícolas, modificar as reservas hídricas, alterar e reduzir a biodiversidade e influenciar a economia de diversas partes do mundo (MILLER, 2007).

Uma sociedade sustentável do ponto de vista ambiental atende às (aos):


recursos perenes, pois em uma escala de tempo humano ela é renovada continuamente.


necessidades atuais de sua população em relação a alimentos, água e ar limpos, abrigo e outros recursos básicos sem comprometer a capacidade das gerações futuras.


necessidades atuais de sua população em relação ao setor terciário de seu município, exclusivamente.


necessidades atuais de sua população em relação ao setor primário de seu município, exclusivamente.


valores produtivos não consumistas e aos valores ligados ao lazer e ecoturismo.

Analise o texto abaixo.

Orientação sexual

O educador deve reconhecer como legítimo e lícito, por parte das crianças e dos jovens, a busca do prazer e as curiosidades manifestas acerca da sexualidade, uma vez que fazem parte de seu processo de desenvolvimento. O professor transmite valores com relação à sexualidade no seu trabalho cotidiano, na forma de responder ou não às questões mais simples trazidas pelos alunos. É necessário então que o educador tenha acesso à formação específica para tratar de sexualidade com crianças e jovens na escola, possibilitando a construção de uma postura profissional e consciente no trato desse tema. O professor deve então entrar em contato com questões teóricas, leituras e discussões sobre as temáticas específicas de sexualidade e suas diferentes abordagens; preparar-se para a intervenção prática junto dos alunos e ter acesso a um espaço grupal de supervisão dessa prática, o qual deve ocorrer de forma continuada e sistemática, constituindo, portanto, um espaço de reflexão sobre valores e preconceitos dos próprios educadores envolvidos no trabalho de Orientação Sexual. 

Ao atuar como um profissional a quem compete conduzir o processo de reflexão que possibilitará ao aluno autonomia para eleger seus valores, tomar posições e ampliar seu universo de conhecimentos, o professor deve ter discernimento para não transmitir seus valores, crenças e opiniões como sendo princípios ou verdades absolutas. O professor, assim como o aluno, possui expressão própria de sua sexualidade que se traduz em valores, crenças, opiniões e sentimentos particulares. Não se pode exigir do professor uma isenção absoluta no tratamento das questões ligadas à sexualidade, mas a consciência sobre quais são os valores, crenças, opiniões e sentimentos que cultiva em relação à sexualidade é um elemento importante para que desenvolva uma postura ética na sua atuação junto dos alunos.

O trabalho coletivo da equipe escolar, definindo princípios educativos, em muito ajudará cada professor em particular nessa tarefa. Para um bom trabalho de Orientação Sexual, é necessário que se estabeleça uma relação de confiança entre alunos e professor. Para isso, o professor deve se mostrar disponível para conversar a respeito das questões apresentadas, não emitir juízo de valor sobre as colocações feitas pelos alunos e responder às perguntas de forma direta e esclarecedora. Informações corretas do ponto de vista científico ou esclarecimentos sobre as questões trazidas pelos alunos são fundamentais para seu bem-estar e tranquilidade, para uma maior consciência de seu próprio corpo e melhores condições de prevenção às doenças sexualmente transmissíveis, gravidez indesejada e abuso sexual. Na condução desse trabalho, a postura do educador é fundamental para que os valores básicos propostos possam ser conhecidos e legitimados de acordo com os objetivos apontados. 

Em relação às questões de gênero, por exemplo, o professor deve transmitir, pela sua conduta, a equidade entre os gêneros e a dignidade de cada um individualmente. Ao orientar todas as discussões, deve, ele próprio, respeitar a opinião de cada aluno e ao mesmo tempo garantir o respeito e a participação de todos.

Fonte: Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro102.pdf. Acesso em: 03 abr.2017.

Considerando as informações do texto, assinale a alternativa CORRETA.


Somente na educação superior, os professores transmitem valores com relação à sexualidade no seu trabalho cotidiano, na forma de responder ou não às questões mais simples trazidas pelos alunos.


Para um bom trabalho de orientação sexual, é necessário que se estabeleça uma relação de confiança entre alunos e professor.


Para um bom trabalho de orientação sexual, é necessário que os professores já estejam cursando uma pós-graduação na área da saúde.


O educador deve reconhecer como legítimo e lícito, a busca do prazer e as curiosidades manifestas acerca da sexualidade, em indivíduos a partir dos 21 anos.


Para um bom trabalho de orientação sexual, é necessário que os alunos já estejam cursando uma graduação na área da saúde.

Páginas: 1234567