METODOLOGIA DO ENSINO DE BIOLOGIA


A ecologia foi banalizada pela mídia. Fosse para entrar nos programas infantis da televisão, fosse para neutralizar a força transformadora das ideias ecológicas, ela foi reduzida a ideia de amor aos animais e a conselhos como " não jogue papel no chão", "apague as luzes de casa ao sair" ou "cuidado com o buraco na camada de ozônio - proteja a sua pele". (MINC, 2005).

Ecologia sem história e sem conteúdo torna impossível compreender:


que cada característica hereditária é determinada por dois fatores que se separam na formação dos gametas, onde ocorrem em dose simples”, isto é, para cada gameta masculino ou feminino encaminha-se apenas um fator.


ao longo das gerações, a atuação da seleção natural sobre os indivíduos, melhorando o grau de adaptação destes ao meio.


que Thomas Alva Edison (1847-1931) criou a primeira lâmpada elétrica (com um filamento de carbono). 


a luta do seringueiro Chico Mendes - a defesa dos seringais do Acre e dos povos da floresta - , bem como a causa de sua morte a mando dos fazendeiros de sua região.


a importância de práticas higiênicas como: ferver ou filtrar a água, lavar e armazenar adequadamente os alimentos, evitando a contaminação por bactérias patogênicas.

Leia atentamente o texto abaixo.

Multimídia é a combinação, controlada por computador (computador pessoal, periférico e dispositivo móvel), de pelo menos um tipo de média estática (texto, fotografia, gráfico), com pelo menos um tipo de média dinâmica (vídeo, áudio, animação) (Chapman & Chapman 2000 e Fluckiger 1995). Quando se afirma que a apresentação ou recuperação da informação se faz de maneira multi-sensorial, quer-se dizer que mais de um sentido humano está envolvido no processo, fato que pode exigir a utilização de meios de comunicação que, até há pouco tempo, raramente eram empregues de maneira coordenada, a saber:

  • som (voz humana, música, efeitos especiais)
  • fotografia (imagem estática)
  • vídeo (imagens em pleno movimento)
  • animação (desenho animado)
  • gráficos
  • textos (incluindo números, tabelas, etc.)

Fonte: Disponível emhttp://educador.brasilescola.uol.com.br/trabalho-docente/jornal-sala-aula.htm. Acesso em: 31 mar.2017.

Considerando o texto acima e os estudos sobre o uso das multimídias nos ambientes escolares, analise as assertivas a seguir.

I)  Em se tratando de páginas eletrônicas de Ciências e Biologia, é importante que o professor faça uma prévia pesquisa, a fim de orientar o aluno na busca de páginas confiáveis.

II) Não devemos esquecer que devido à internet ser livre, qualquer pessoa pode criar uma página e publicá-la. Não existe uma obrigatoriedade de seguir algum critério de revisão ou metodologia, o que faz com que as páginas publicadas possam conter alguma informação errônea.

III) Existem páginas eletrônicas que, além de passarem conteúdo textual, apresentam animações, experimentos virtuais e até mesmo gravações reais que podem ajudar o aluno a uma melhor abstração de conteúdo.

É CORRETO o que se afirma em:


I e III, apenas.


II, apenas.


I, II e III.


I e II, apenas.


III. apenas.

Leia o texto a seguir.

Orientação sexual

A discussão sobre a inclusão da temática da sexualidade no currículo das escolas de educação básica tem se intensificado a partir da década de 70, por ser considerada importante na formação global do indivíduo. Com diferentes enfoques e ênfases há registros de discussões e de trabalhos em escolas desde a década de 20. A retomada contemporânea dessa questão deu-se juntamente com os movimentos sociais que se propunham, com a abertura política, a repensar sobre o papel da escola e dos conteúdos por ela trabalhados. Mesmo assim não foram muitas as iniciativas tanto na rede pública como na rede privada de ensino. 

A partir de meados dos anos 80, a demanda por trabalhos na área da sexualidade nas escolas aumentou devido à preocupação dos educadores com o grande crescimento da gravidez indesejada entre as adolescentes e com o risco da contaminação pelo HIV (vírus da AIDS) entre os jovens. A princípio, acreditava-se que as famílias apresentavam resistência à abordagem dessas questões no âmbito escolar, mas atualmente sabe-se que os pais reivindicam a orientação sexual nas escolas, pois reconhecem não só a sua importância para crianças e jovens, como também a dificuldade de falar abertamente sobre esse assunto em casa. Uma pesquisa do Instituto Data Folha, realizada em dez capitais brasileiras e divulgada em junho de 1993, constatou que 86% das pessoas ouvidas eram favoráveis à inclusão de Orientação Sexual nos currículos escola-es. As manifestações de sexualidade afloram em todas as faixas etárias. Ignorar, ocultar ou reprimir são as respostas mais habituais dadas pelos profissionais da escola. Essas práticas se fundamentam na ideia de que o tema deva ser tratado exclusivamente pela família. De fato, toda família realiza a educação sexual de suas crianças e jovens, mesmo aquelas que nunca falam abertamente sobre isso. 

O comportamento dos pais entre si, na relação com os filhos, no tipo de “cuidados” recomendados, nas expressões, gestos e proibições que estabelecem são carregados de determinados valores associados à sexualidade que a criança apreende. O fato de a família ter valores conservadores, liberais ou progressistas, professar alguma crença religiosa ou não e a forma como o faz determina em grande parte a educação das crianças. Pode-se afirmar que é no espaço privado, portanto, que a criança recebe com maior intensidade as noções a partir das quais construirá sua sexualidade na infância. A criança também sofre influências de muitas outras fontes: de livros, da escola, de pessoas que não pertencem à sua família e, principalmente, nos dias de hoje, da mídia. Essas fontes atuam de maneira decisiva na formação sexual de crianças, jovens e adultos. A TV veicula propaganda, filmes e novelas intensamente erotizados. 

Isso gera excitação e um incremento na ansiedade relacionada às curiosidades e fantasias sexuais da criança. Há programas jornalísticos/científicos e campanhas de prevenção à AIDS que enfocam a sexualidade, veiculando informações dirigidas a um público adulto. As crianças também os assistem, mas não podem compreender por completo o significado dessas mensagens e muitas vezes constroem conceitos e explicações errôneas e fantasiosas sobre a sexualidade. Todas essas questões são trazidas pelos alunos para dentro da escola. Cabe a ela desenvolver ação crítica, reflexiva e educativa.

Fonte: Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro102.pdf. Acesso em: 02 abr.2017.

Considerando as informações do texto acima, assinale a alternativa CORRETA.


A demanda por trabalhos na área da sexualidade nas escolas aumentou devido à preocupação dos educadores com o grande crescimento da gravidez indesejada entre as adolescentes e com o risco da contaminação pela bactéria Treponema pallidum (bactéria da sífilis) entre os jovens, a partir dos meados dos anos 80.
A demanda por trabalhos na área da sexualidade nas escolas aumentou devido à preocupação dos educadores com o grande crescimento da gravidez indesejada entre as adolescentes e com o risco da contaminação pelo vírus Treponema pallidum (vírus da sífilis) entre os jovens, a partir dos meados dos anos 80.
A demanda por trabalhos na área da sexualidade nas escolas aumentou devido à preocupação dos educadores com o grande crescimento da gravidez indesejada entre as adolescentes e com o risco da contaminação pelo HIV (bactéria da AIDS) entre os jovens, a partir dos meados dos anos 80.
A demanda por trabalhos na área da sexualidade nas escolas aumentou devido à preocupação dos educadores com o grande crescimento do uso das drogas injetáveis entre as adolescentes e com o risco da contaminação pela Treponema pallidum (vírus da AIDS) entre os jovens, a partir dos meados dos anos 80.
A demanda por trabalhos na área da sexualidade nas escolas aumentou devido à preocupação dos educadores com o grande crescimento da gravidez indesejada entre as adolescentes e com o risco da contaminação pelo HIV (vírus da AIDS) entre os jovens, a partir dos meados dos anos 80.

Analise o texto abaixo.

Utilização de filmes na sala de aula

Filmes frequentemente têm sido utilizados em aulas de diversas disciplinas e com bons resultados. A linguagem cinematográfica é complexa e mistura emoção, envolvimento, enredo, ação, música, luz, movimento, mistério, desafio, suspense. Por isso mesmo apresenta ampla capacidade de comunicação. Os filmes conseguem grande aceitação por parte do público jovem, e assim apresentam imenso potencial de aproveitamento no processo educativo. Percebe-se um maior interesse por parte do aluno, a sua participação melhora e muitas vezes, algumas coisas são melhor compreendidas com filmes do que com as explicações de uma aula do professor. Entretanto, o uso de filmes na educação não apresenta apenas aspectos positivos. Existem também questões muito problemáticas, que devem ser consideradas quando se planeja utilizar um filme em aula. As obras cinematográficas trazem valores inseridos de forma velada que muitas vezes não são percebidos. Valores capitalistas, desejo de riqueza e ascensão social. A própria linguagem cinematográfica pode ser questionada. Ela se apresenta muitas vezes estereotipada, exagerada, artificializada, espetacularizada. Muitas vezes falamos de bons filmes, que podem ser usados em sala de aula, mas a própria linguagem cinematográfica, deve ser analisada. Os “bons” filmes também usam este modelo. Frequentemente as produções que fogem desse modelo são consideradas fracas ou chatas, pois não arrebatam o espectador, não o estimulam, não causam fortes emoções.

Fonte: Disponível em: http://educacional.cpb.com.br/conteudos/universo-educacao/utilizacao-de-filmes-na-sala-de-aula/. Acesso em: 28 mar.2017.

Considerando o texto acima e os estudos sobre a utilização de filmes nas salas de aula, julgue as afirmativas a seguir.

I)   O educador pode, e deve, utilizar os recursos audiovisuais como aliados no ambiente de aprendizagem, de várias formas: projeção de filmes, documentários, desenhos, programa televisivo, entre outros.

II)  A utilização de recursos, como a televisão, atrai alunos e ajuda o professor a contextualizar o conteúdo a ser trabalhado. Esses recursos devem ser criteriosamente escolhidos, para que possam enriquecer o trabalho docente.

III) Quando fazemos a opção de exibir um determinado filme na sala de aula, devemos utilizá-lo como forma de aprofundamento do tema estudado, estabelecendo um objetivo claro que deve ser repassado também aos alunos.

É CORRETO o que se afirma em:


I e II, apenas.
I e III, apenas.
II, apenas.
III, apenas.
I, II e III.
Primeiramente, analise as informações abaixo. Segundo o documento Brasil (1998b, p.37): na atualidade, convive-se com uma diversidade considerável de concepções de saúde, entre as quais algumas bastante conhecidas que funcionam como referências mundiais e/ou nacionais. É o caso, por exemplo, do conceito de saúde assumido em 1948 pela Organização Mundial de Saúde: “Saúde é o estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença”. Esse conceito nos remete à utopia – e por que não? – de “saúde ótima”, embora não nos forneça muitas indicações concretas sobre o que seria essa situação de “completo bem-estar". Considerando essa afirmação, julgue a veracidade das afirmações a seguir. I)  Nascer saudável é uma dádiva, mas manter a saúde exige algum esforço. A condição do seu corpo é o reflexo do que você faz. É claro que algumas pessoas sofrem de doenças sobre as quais não têm controle. Mas, em geral, se comemos bem, fizermos exercícios regulares e repousarmos quando cansados, nosso corpo terá uma boa aparência. II)  Intensificar o ritmo das caminhadas diárias pode garantir maior longevidade. A performance do coração melhora quando se aumenta moderadamente o esforço físico, isso, então, ajuda a afastar problemas cardíacos. Sem contar que caminhar mais rápido do que de costume também contribui para fortalecer a musculatura da região pélvica e dos membros inferiores, diminuindo o risco de quedas. III) A educação sexual precisa ser trabalhada com todos os alunos, com os familiares, com a comunidade escolar e inclusive com os professores, pois por meio de um trabalho coletivo, conseguiremos vencer alguns “tabus” e esclarecer melhor a população, principalmente sobre a orientação sexual. É CORRETO o que se afirma em:

II, apenas.
I e III, apenas.
I e II, apenas.
II e III, apenas.
I, II e III.
Afinal de contas, quantas espécies de seres vivos existem no nosso planeta? Você tem ideia? Centenas? Milhares? Milhões?  A Terra abriga uma enorme variedade de seres vivos e, embora os cientistas tenham catalogado quase dois milhões de espécies, estima-se que um número muito maior seja desconhecido. Com base em estudos recentes, tem-se sugerido que existem na Terra algo em torno de 10 a 15 milhões de espécies! E quer saber mais? A grande maioria delas é insetos! Sim, de insetos. (MARTINS; SANO, 2009).Para sustentar a biodiversidade, os pesquisadores precisam primeiro identificar algumas espécies e proteger a fauna e a flora mundial. Outras ameaças estão chegando como, por exemplo, o aquecimento global, representando hoje um risco talvez até maior do que a perda de um habitat. Martins e Sano (2009, p.22) afirmam que o surgimento de novas espécies - processo chamado de especiação - é o mais óbvio mecanismo gerador de diversidade.  Na grande maioria das vezes, a especiação:

ocorre por meio do processo de geração espontânea ou abiogênese.
se dá pelo isolamento reprodutivo de populações de uma mesma espécie.
não ocorre, pois há pouca diversidade genética entre as espécies já catalogadas pelos pesquisadores.
se dá pelo isolamento reprodutivo de populações de espécies diferentes, exclusivamente.
ocorre por meio de reprodução assexuada e, em alguns casos por partenogênese.
Leia o texto a seguir. O que é nutrição? A nutrição é a ciência que estuda a composição dos alimentos e as necessidades nutricionais de cada indivíduo, além dos processos pelos quais o organismo ingere, absorve, transporta, utiliza e excreta os nutrientes. As necessidades nutricionais podem ser definidas como as quantidades de nutrientes e de energia disponíveis nos alimentos que um indivíduo sadio deve ingerir para satisfazer suas necessidades fisiológicas normais e prevenir sintomas de deficiência. A escolha do nutriente correto por meio da dieta ou da suplementação nutricional tem papel fundamental no tratamento e controle das manifestações de patologias crônicas. Uma alimentação balanceada tem como objetivo principal promover o bom funcionamento do corpo. Com a ingestão de uma dieta equilibrada tanto em quantidade como em qualidade, o organismo adquire energia e nutrientes necessários para o desempenho de suas funções, manutenção e um bom estado de saúde. A nutrição adequada é crucial para o desenvolvimento físico e mental de cada indivíduo. A intervenção nutricional tem como objetivo a prevenção de doenças, a proteção e a promoção de uma vida mais saudável, conduzindo o bem estar geral do indivíduo.   Fonte: Disponível em: http://nutrimari.blogspot.com.br/2011/03/teste_17.html. Acesso em: 09 abr.2017.   Considerando as informações do texto e os estudos sobre o corpo e a saúde, analise as afirmações abaixo.   I) Os nutrientes fornecem energia para as funções vitais do corpo; são a base estrutural dos seres vivos, ou seja, compõem a matéria para a construção do corpo e regulam as diferentes funções do organismo. II) As necessidades nutricionais podem ser definidas como as quantidades de nutrientes e de energia disponíveis nos alimentos que um indivíduo sadio deve ingerir para satisfazer suas necessidades fisiológicas normais e prevenir sintomas de deficiência. III) A obesidade é uma condição multifatorial, incluindo entre eles fatores genéticos e ambientais, socioculturais, endócrinos e neurológicos, emocionais e psicológicos.   É CORRETO o que se afirma em:

II e III, apenas.
I e II, apenas.
I, II e III.
II, apenas.
I e III, apenas.
Primeiramente, leia o texto a seguir. Orientação sexual: sexualidade A sexualidade humana envolve quatro aspectos: gênero; e papel, identidade e orientação sexual. Termos como heteroafetividade, homoafetividade e biafetividade fazem parte da orientação sexual; que diz respeito à atração que se sente por outros indivíduos. A sexualidade humana é um tema que gera polêmicas e muitas controvérsias, uma vez que envolve questões afetivas, papéis esperados e desempenhados em uma sociedade, e também comportamentos. De forma geral, ela envolve quatro aspectos. O primeiro é o gênero, que corresponde ao sexo da pessoa. Assim, temos o sexo feminino e o masculino. Temos também aqueles que nascem com características sexuais tanto de um sexo quanto de outro: os hermafroditas. Quanto a estes, seu gênero costuma ser considerado de acordo com as características físicas predominantes – femininas ou masculinas. No entanto, em alguns países, são adotados como um terceiro sexo. O segundo aspecto da sexualidade humana é a orientação sexual. Ela diz respeito à atração que se sente por outros indivíduos. Ela geralmente também envolve questões sentimentais, e não somente sexuais. Assim, se a pessoa gosta de indivíduos do sexo oposto, falamos que ela é heterossexual (ou heteroafetiva). Se a atração é por aqueles do mesmo sexo, sua orientação é homossexual (ou homoafetiva). Há também aqueles que se interessam por ambos: os bissexuais (ou biafetivos). Pessoas do gênero masculino com orientação homossexual geralmente são chamados de gays; e as do gênero feminino, lésbicas. Alguns consideram, ainda, os assexuais, que seriam aqueles indivíduos que não sentem atração sexual; e os pansexuais: pessoas cuja identificação com o outro independe de seu gênero, orientação, papel e identidade sexual. Há outras fontes que adotam que a pansexualidade pode também abranger o interesse sexual por outros animais, ou até mesmo outros seres vivos e objetos. É mais adequado dizer homoafetividade do que homossexualidade; assim como heteroafetividade, em substituição ao termo heterossexualidade, e assim por diante. Isso porque o sufixo “-sexual” tende a compreender que essas relações se reduzem unicamente a tal aspecto (o sexual), o que não pode ser utilizado como regra. Quanto ao termo “homossexualismo”, cada vez mais em desuso, ele é incorreto, uma vez que o sufixo “ismo” sugere que essa orientação sexual é uma doença, o que não pode ser considerado verdade sem que existam provas concretas disso. Quanto ao terceiro aspecto, o papel sexual, ele está relacionado ao comportamento de gênero que a pessoa desempenha na sociedade. Assim, envolve muitos clichês, como por exemplo: 1- Uma mulher “feminina”: ou seja, que se comporta de forma condizente com o que a sociedade geralmente espera dela, nesse sentido – se maquia, é delicada, enfim...; 2- Uma mulher que não é vaidosa e gosta de esportes violentos, é “masculinizada”; 3- Um homem delicado, sensível, “afeminado”; 4- Um homem rude, viril, é “masculino”, “másculo”; O papel sexual não necessariamente se apresenta relacionado à orientação sexual, tal como a priori possa parecer. Assim, nesses quatro exemplos, todos eles podem ser heterossexuais. Ou, por exemplo, o “homem másculo” pode ter atração por outros homens (orientação homo, bi ou pansexual), embora seu papel sexual mostre o contrário. Finalmente, temos o quarto aspecto: a identidade sexual, que seria a forma como o indivíduo se percebe em relação ao gênero que possui.Quando a pessoa de determinado gênero se sente mais como se fosse de outro, independentemente de sua orientação sexual (às vezes até mesmo de seu papel sexual), falamos que ela é transexual. Pontualmente falando, transexual seria aquele cuja identidade sexual não é a mesma que seu sexo biológico; sendo normalmente aquele que recorre a cirurgias de mudança de sexo. Logo, transexuais costumam sentir atração por pessoas do mesmo gênero que o seu (ex.: pessoa de gênero masculino, identidade sexual feminina, e que se sente atraída por indivíduos de gênero masculino), mas vale frisar novamente que, quando o assunto é sexualidade humana, não existem regras muito categóricas.Transexuais e travestis não são a mesma coisa! Estes últimos são aqueles cuja identidade sexual é mista, se sentem tanto homens quanto mulheres. Assim, costumam vestir-se e se comportar como se fossem do gênero oposto (papel sexual), “equilibrando sua 'dupla identidade'”. Fonte: Disponível em: http://brasilescola.uol.com.br/sexualidade/orientacao-sexual.htm. Acesso em: 01 abr.2017. Considerando as informações do texto, analise as afirmações a seguir. I) Um dos aspectos da sexualidade humana é o gênero, que corresponde ao sexo da pessoa. Assim, temos o sexo feminino e o masculino. II) É considerado um dos aspectos da sexualidade humana, a orientação sexual. Ela diz respeito à atração que se sente por outros indivíduos. Ela geralmente também envolve questões sentimentais, e não somente sexuais. III)Quando um indivíduo gosta de pessoas do sexo oposto, dizemos que ela é heteroafetiva. Se a atração é por aqueles do mesmo sexo, sua orientação é homoafetiva. Há também aqueles que se interessam por ambos: os bissexuais. É CORRETO o que se afirma em:

III, apenas.
I e II, apenas.
II e III, apenas.
I e III, apenas.
I, II e III.
Primeiramente, leia o texto a seguir. O Brasil é o país que detém a maior parcela da biodiversidade, em torno de 15 a 20% do total mundial, com destaque para as plantas superiores, nas quais detém aproximadamente 24% da biodiversidade. Entre os elementos que compõem a biodiversidade, as plantas são a matéria-prima para a fabricação de fitoterápicos e outros medicamentos. Além de seu uso como substrato para a fabricação de medicamentos, as plantas são também utilizadas em práticas populares e tradicionais como remédios caseiros e comunitários, processo conhecido como medicina tradicional. Além desse acervo genético, o Brasil é detentor de rica diversidade cultural e étnica que resultou em um acúmulo considerável de conhecimentos e tecnologias tradicionais, passados de geração a geração, entre os quais se destaca o vasto acervo de conhecimentos sobre manejo e uso de plantas medicinais. (BRASIL/MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2006, p.14). Considerando as informações do texto e os estudos sobre as plantas medicinais, analise o questionamento abaixo e, em seguida, assinale a alternativa CORRETA. Questionamento: as partes utilizadas são as folhas e as hastes, sendo conhecida na medicina popular pela sua ação antibiótica e anti-inflamatória. A utilização traz bons resultados para doenças do fígado, estômago, intestinos, cálculos biliares, entre outros.

Hortelã
Carqueja
Boldo
Pitangueira
Alecrim-pimenta
Avaliar é uma das atividades mais comuns na vida escolar de todo ser humano e a maioria dos professores tende a encarar a avaliação como algo que ocorre somente em momentos isolados, como após o processo de ensino-aprendizagem. Mas, a insatisfação com esses tipos padronizados de avaliação de aprendizagem é tão antiga quanto este processo (BARATELLA, 2011).  Como resultado de uma análise de diversas técnicas usadas no processo avaliativo, surgiu-se a avaliação autêntica por meio do portfólio. Sobre o portfólio assinale a alternativa CORRETA:   

O portfólio consiste num trabalho gradual de processo de aprendizagem, como a construção do conhecimento, sem socialização entres os estudantes, apenas com o educador.
Para a realização do portfólio os objetivos são estabelecidos pelos próprios alunos, assim como a definição das finalidades de aprendizagem. Por isso, é considerada uma avaliação formativa.
O portfólio é um tipo de avaliação que ocorre apenas nos finais dos anos letivos, que avalia todo o conteúdo estudado, sem autorreflexão.
Trata-se de um tipo de avaliação formativa, em que o professor compartilha resultados com o aluno, otimizando o processo de ensino-aprendizagem e propondo novos caminhos pedagógicos.
Trata-se de um tipo de avaliação feita pelos alunos ao longo do período estudado, mas é um sistema rígido onde não há diálogo entre educador e educando.
Páginas: 1234567