FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO


Por muito tempo, a educação escolar foi reconhecida como reprodutora das desigualdades sociais. Por isso, houve o consenso da necessidade de mudança das práticas pedagógicas e de melhoria da qualidade do ensino das escolas públicas, tendo em vista a concretização de uma educação política e de uma escola que atendesse a todos, sem distinção.

 

Tendo em conta o sentido da educação como prática social, julgue os itens a seguir.

 

I A educação escolar precisa preparar o aluno intelectual, científica e profissionalmente para entender ao mercado de trabalho, exclusivamente.

II A educação escolar deve manter constante atenção ao seu tempo e sujeitos, articulando a realidade do aluno aos diferentes conhecimento e ações (aprender a ser, a aprender, a fazer e a conviver).

III A qualidade da educação escolar passa pela afirmação do professor como agente responsável pela construção de todo processo de ensino-aprendizagem.

 

Está CORRETO o que se afirma em:


II, apenas.
II e III.
I e II.
I, apenas.
III, apenas.

Segundo Freire (1975), conhecer é apreender o mundo em suas relações, portanto é um processo necessariamente dinâmico no qual, através das ações físicas e mentais, os diferentes sujeitos constroem, em uma interação coletiva, novas formas de se relacionar e compreender o mundo. Nesse sentido, cabe à escola:

 

I atuar na formação de sujeitos críticos, autônomos e emancipados.

II garantir a formação para o trabalho tendo em conta o crescimento econômico.

III desenvolver estratégias de envolvimento da comunidade escolar na vida da escola.

 

Está CORRETO o que se afirma em:


I e III.
III, apenas.
I, apenas.
II, apenas.
II e III.

Leia, com atenção, o texto a seguir.

 

Educar é colaborar para que professores e alunos, nas escolas e organizações, transformem suas vidas em processo permanentes de aprendizagem. É ajudar os alunos na construção da sua identidade, do seu caminho pessoal e profissional, do seu projeto de vida, no desenvolvimento das habilidades de compreensão, emoção e comunicação que lhes permitam encontrar seus espaços pessoais, sociais e profissionais e tornar-se cidadãos realizados e produtivos (MORAN, 2002, p. 13).

 

Tendo em conta a relação entre educação, cidadania e democracia, e o papel do professor nesse contexto, julgue as afirmações que seguem.

 

I O professor é o “homem dos conceitos”. A ele cabe a tarefa de transmitir e garantir a assimilação dos conhecimentos produzidos e acumulados historicamente.

II O professor é “formador” e, por isso, deve realizar mediações e propor conexões entre os saberes, fazendo da sala de aula o espaço do diálogo e valorização da multiplicidade cultural.

III A escola é o lugar do entrecruzamento do projeto coletivo da sociedade com os projetos existenciais de alunos e professores.

IV A consolidação dos direitos políticos, sociais e civis não passa pela escola, uma vez que se trata de um debate pertinente somente à esfera política e aos representes eleitos pelo povo.

V À escola cabe a expansão da consciência crítica e reflexiva de seus alunos. É ela que torna educacionais as ações pedagógicas que as impregna com finalidades políticas da cidadania.

 

Estão CORRETAS as afirmativas:


II, III e IV.
I, III e V.
II, IV e V.
I, III e IV.
II, III e V.

Leia, com atenção, o texto a seguir.

 

A interação face a face entre indivíduos particulares desempenha um papel fundamental na construção do ser humano: é através da relação interpessoal concreta com outros homens que o indivíduo vai chegar a interiorizar as formas culturalmente estabelecidas de funcionamento psicológico. Portanto, a interação social, seja diretamente com outros membros da cultura, seja através dos diversos elementos do ambiente culturamente estruturado, fornece a matéria prima para o desenvolvimento psicológico do indivíduo (OLIVEIRA, 1995, p. 38).


Ao recordar a dimensão social do desenvolvimento psicológico, o texto ressalta:


o valor da ação humana como derivação abstrata.
a separação dos valores culturais do mundo político e social.
o sentido cultural, político e coletivo da existência humana.
o valor da ação humana como derivação empírica.
o sentido da existência individual em detrimento da coletividade.

Leia, com atenção, o texto a seguir.

 

Embora saibamos que a escola não representa o único espaço formativo e de promoção do saber, compreendemos que as relações que ali se inscrevem determinam a forma privilegiada de socialização do conhecimento e que, por isso, a qualificação para o mercado de trabalho não deve constituir o fim a que se orientam as práticas pedagógicas, nem tampouco manifestar o objetivo que plasma a sua intenção e institucionalidade. Não que os processos formativos não possam ou devam se remeter de forma pragmática às demandas da vida política e econômica. O que está em jogo é que mesmo a formação de pessoas aptas ao atendimento destas demandas passe, antes, por uma formação profundamente humana (ALMEIDA, 2016, p. 124).

 

Partindo das críticas do autor acerca da instrumentalização do saber, assinale a alternativa CORRETA.


A escola é o espaço das dinâmicas interativas que corroborem a elaboração e a circulação de sentidos através das práticas discursivas como práticas significativas.
A escola é o espaço da promoção e socialização do conhecimento técnico e, por isso, deve orientar a sua prática em função das demandas de mercado.
A escola é o espaço formal da transmissão dos conhecimentos, por isso, as práticas pedagógicas e as práticas de humanização não se relacionam.
A intenção e institucionalidade da escola dizem respeito à formação pragmática que atenda as exigências da vida política e econômica.
A escola deve se ocupar apenas da transmissão de informação e conhecimentos, haja vista que a educação é um ato restrito apenas ao âmbito das aprendizagens.

Cescon (2009, p. 18), afirma que “uma educação com filosofia é uma pedagogia que ensina a pensar e não só memorizar o que os outros dizem por mais profundo que seja o pensamento”. Por isso, a formação de uma postura filosófica nos alunos, perpassa, fundamentalmente, pelo desenvolvimento da leitura crítica. Sobre as condições para a realização de uma leitura crítica, julgue os itens abaixo:

 

I A leitura crítica pressupõe a capacidade de pensar por si mesmo, de formular questões e partir, com autonomia, das próprias premissas.

II A primeira condição para uma leitura crítica é deixar-se conduzir pelo pensamento transmitido pela tradição acadêmica, orientando-se pelas verdades produzidas pela filosofia.

III A leitura crítica implica como condição básica pôr-se no lugar do outro, aceitando os diferentes pontos de vista e gerando diálogos críticos e criativos.

 

Está CORRETO o que se afirma em:


II, somente.
I e II.
I e III.
II e III.
III, somente.

Leia, com atenção, os textos abaixo.

 

Texto I

Os professores precisam ensinar os seus alunos a investigar apaixonadamente todo o acervo cultural produzido pela humanidade, para assumir o melhor e o mais apropriado em vista do seu contexto. Ensinar com filosofia é fazer com que cada um dos alunos possa demonstrar o que aprendeu e tenha plena segurança no que afirma e no que nega, no que aceita e no que rejeita, porque suas ideias brotam de uma profunda reflexão.

 

Texto II

[...] pensar é o processo de descobrir relações existentes na realidade e de representá-las em nossa consciência: isso nos permite atinar com os significados ou sentidos que, de alguma forma, estão dados na realidade. [...] produzir ou criar novas relações [...] novas significações ou sentidos para a realidade. (LORIERI, 2002, p. 102)

 

Na relação entre o texto I e o texto II, é CORRETO inferir que:


o texto I contradiz o texto II.
o texto II é uma crítica ao texto I.
o texto II completa o texto I.
os dois textos não se relacionam.
o texto I explica o texto II.

O surgimento da Filosofia, datado do séc. VII/VI a. C., marca a passagem do saber mítico para o saber racional. Não se trata, entretanto, de um rompimento radical de uma forma de saber pela outra, mas da criação de uma nova postura intelectual. Sobre o saber filosófico, assinale a alternativa CORRETA.


É um conhecimento baseado nas narrativas mitológicas e sua função é explicar, através de histórias e fábulas, os fenômenos físicos e humanos.
É um conhecimento acumulado historicamente e ensinado pelos sábios, por tradição oral, com o objetivo a formar ética, moral e religiosamente os membros de uma determinada comunidade.
É um conhecimento impregnado de misticismo e religiosidade, voltado para explicar a origem do Universo, dos deuses e dos homens, bem como os fenômenos físicos e humanos.
É um conhecimento racional, lógico e sistemático da realidade natural e humana, da origem e causas do mundo e de suas transformações, da origem e das causas das ações humanas e do próprio pensamento.
É um conhecimento cético no qual a dúvida prevalece sobre a busca da verdade e os valores éticos e morais são relativizados de acordo com as representações sociais e culturais da comunidade.

Leia, com atenção, o texto a seguir.

 

No momento em que os seres humanos, intervindo no suporte, foram criando o mundo, inventando a linguagem com que passaram a dar nome às coisas que faziam com a ação sobre o mundo, na medida em que foram se habilitando a inteligir o mundo e criaram por consequência a necessária comunicabilidade do inteligido, já não foi possível existir a não ser disponível à tensão radical e profunda entre o bem e o mal, entre a dignidade e a indignidade, entre a decência e o despudor, entre a boniteza e a feiura do mundo (FREIRE, 1996, p. 57).

 

Do texto, é CORRETO inferir que:

 

I a linguagem constitui o corpo do movimento do conhecer e, por isso, é essencial para a formação da consciência do homem e pelo modo como ele representa a realidade e enfrenta os problemas do mundo.

II na medida em que o homem cria conceitos para explicar a realidade, formulando ideias que representam abstratamente o real, mais ele se distancia do mundo externo.

III a linguagem diz respeito apenas a comunicação formal entre os homens. Cada um, ao seu modo, compreende com plena autonomia e liberdade o mundo ao seu redor.

IV por meio da linguagem o homem significa as coisas, conferindo-lhe valores

V  a linguagem está relacionada à formação da consciência e dos valores morais, éticos e estéticos.

 

Estão CORRETAS as afirmativas:


I, IV e V.
II, IV e V.
II, III e IV.
I, II e III.
I, II e IV.

Ao refletirmos Quem é o ser humano, afinal?, estamos pensando sobre nós mesmos e sobre a humanidade. Quem somos? Por que existimos? Por que buscamos o sentido das coisas? Que influência recebemos? São esses questionamentos que o ser humano sempre faz tentando compreender sua presença no mundo e com o mundo. Nós, seres humanos, buscamos encontrar nos fenômenos naturais e sociais, na história e na cultura o sentido de nossas inquietações, tentando compreender, assim, nosso jeito de ser e a razão de existir.

 

Tomando como referência a definição de homem como ser finito, perfectível e inacabado, julgue os itens a seguir.

 

I O homem é o único ser que tem consciência de sua finitude.

II O senso ético e a consciência moral são disposições naturais do homem.

III O homem não existe, como ser humano, fora do meio social.

 

Está CORRETO o que se afirma em:


I e III.
I, apenas.
II, apenas.
II e III.
I e II.
Páginas: 1234567