BIOTECNOLOGIA E BIOÉTICA


Primeiramente, atente-se às informações do texto a seguir.

Uma das tarefas mais importantes dentro dos programas de melhoramento é a conservação do germoplasma. O germoplasma conservado serve como um reservatório de genes aos quais os melhoristas podem acessar quando precisam resolver problemas específicos, tal como a resistência a uma doença. O local onde o germoplasma é conservado é chamado de Banco de Germoplasma. Um bom exemplo da importância da conservação e caracterização do germoplasma é o trabalho liderado pelo pesquisador Luiz Carlos Fazuoli do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), com a finalidade de obter cultivares de cafés com baixo teor de cafeína. O grupo de pesquisa de Fazuoli avaliou o Banco de Germoplasma de Café do IAC, que possui cerca de 3000 acessos, e encontrou três acessos (AC1, AC2 e AC3) que apresentavam 0,07% de cafeína, enquanto que o café comum tem cerca de 1,2%. As principais atividades de um banco de germoplasma são a coleta, preservação, caracterização, avaliação e intercâmbio do germoplasma.

Fonte: Disponível em: http://www.bespa.agrarias.ufpr.br/paginas/livro/capitulo%203.pdf. Acesso em: 10 out.2016.

Considerando as informações sobre melhoramento genético vegetal, é correto afirmar que germoplasma corresponde ao:


conjunto de genótipos com capacidade reprodutiva (caules e folhas) pertencente a uma espécie.


conjunto de genótipos com capacidade reprodutiva (sementes e frutos) pertencente a uma espécie.


conjunto de genótipos com capacidade reprodutiva (raiz, caule e folhas) pertencentes a diferentes espécies.


conjunto de fenótipos com capacidade reprodutiva (sementes e frutos) pertencente a uma espécie.


conjunto de fenótipos com capacidade reprodutiva (caules e folhas) pertencente a uma espécie.

Do darwinismo à genômica

Historicamente, o melhoramento genético de animais foi baseado na seleção de indivíduos com fenótipo desejável como pais para a próxima geração. Comparando-se as populações mais antigas com as mais modernas constata-se facilmente que a seleção artificial obteve sucesso em alterar fenótipos apesar de não necessitar do conhecimento formal da genética. As observações de Charles Darwin relatadas em sua obra Origem das Espécies (1859) já indicavam os princípios da seleção, porém somente a partir dos experimentos de Mendel (1900) os princípios da Genética iniciaram a ser desvendados. Pesquisadores como Wright, Haldane e Fisher completaram a síntese entre darwinismo e mendelianismo em uma série de publicações desde 1924 até 1931 demonstrando como a seleção natural poderia agir sobre os “fatores mendelianos” (hoje conhecidos como genes) que controlam características quantitativas sob seleção. Fisher também demonstrou que os “fatores mendelianos” poderiam explicar a semelhança entre parentes. Estes princípios se tornaram a base do melhoramento genético científico de animais e plantas. Utilizando o conhecimento genético e estatístico acumulado até 1940, Lush e Hazel desenvolveram os princípios do índice de seleção para otimizar a seleção artificial baseada em informações fenotípicas e no parentesco entre os indivíduos. Porém, somente a variação genética “aditiva” era considerada no modelo básico, além de apresentar outras limitações estatísticas. Durante os anos 50, 60 e 70, Charles Henderson e seus colegas lideraram avanços na chamada genética quantitativa, desenvolvendo as “equações de modelos mistos” que combinam a estimação de quadrados mínimos com índice de seleção para derivar estimadores não viciados dos valores genéticos de indivíduos criados em diferentes ambientes. Porém, nenhuma destas metodologias requer alguma informação da arquitetura genética das características sob seleção. O que se segue na história do melhoramento genético das espécies veio preencher esta lacuna. Uma explosão de descobertas nas áreas de métodos de análise do DNA, de equipamentos sofisticados de análise de grande quantidade de amostras, de ferramentas estatísticas e de informática (bioinformática) propiciaram o surgimento da Genômica, ciência que trata do genoma completo dos diferentes organismos. O que está ocorrendo é um espantoso acúmulo de dados “genômicos” que está à disposição dos pesquisadores para serem interpretados e utilizados, o que deixa em aberto uma enorme trilha a ser percorrida nos próximos anos.

(Disponível em: http://www.beefpoint.com.br/radares-tecnicos/melhoramento-genetico/a-biotecnologia-no-melhoramento-genetico-animal-33237/. Acesso em: 11 out.2016).

Analise as informações do texto acima e considerando os métodos clássicos de cruzamento (mesma espécie) e de hibridação (espécies diferentes) empregadas para melhoramento animal, julgue os itens a seguir.

I)  O cruzamento simples é uma técnica de obtenção máxima de heterose, normalmente a partir de uma geração parental bastante misturada, com a qual, um dos progenitores é novamente retrocruzada com sua progênie.

II) A absorção da característica “nativa”ou da característica por meio do uso de progenitores de raça geneticamente modificada ou superior (animais de elite, bovinos e equinos) representa um cruzamento rotacional (ou alternativo).

III) A utilização alternada de reprodutores de raças diferentes para aumentar o grau de heterose (largamente utilizado para gado de corte) configura um cruzamento contínuo.

A(As) afirmação(ões) CORRETA(S) está(ão) indicada(s) em:


I e II, apenas.


I, apenas.


II e III, apenas.


I, II e III.


I e III, apenas.

Primeiramente, leia o texto abaixo e, em seguida, assinale a alternativa correta.

Entre os inúmeros elementos existentes na natureza, podemos destacar alguns largamente empregados ou produzidos na indústria (que, por sua vez, são utilizados em outras áreas). Embora esse gás constitua 78% da atmosfera, ainda não é o elemento mais abundante na crosta terrestre. Foi descoberto em 1772 por Daniel Rutherford, que, ao remover o oxigênio e o dióxido de carbono do ar, verificou um outro gás incolor e inodoro que não alimentava a combustão. Lavoisier chamou esse gás de "azoto", que significa "sem vida ". 

Fonte: Disponível em: http://educacao.uol.com.br/disciplinas/quimica/nitrogenio-propriedades-e-usos.htm. Acesso em: 06 out.2016.

É um elemento fundamental na composição das biomoléculas, sendo um componente da estrutura de ácidos nucleicos, aminoácidos, proteínas. Esta característica torna-o vital à sobrevivência e crescimento dos organismos, com destaque para as plantas, tornando-se um fator limitante para a produtividade agrícola. No entanto, as plantas não possuem aparato enzimático para quebrar a tripla ligação da molécula e utilizá-la como fonte de proteína.

É CORRETO afirmar que as características descritas no texto referem-se ao elemento:


nitrogênio.


magnésio.


fósforo.


hidrogênio.


carbono.

Primeiramente, leia o texto abaixo e, em seguida, assinale a alternativa correta.

Coqueluche: sintomas, transmissão e prevenção

Sintomas

A coqueluche ou pertussis é uma doença infecciosa aguda e transmissível, que compromete o aparelho respiratório (traqueia e brônquios). É causada pela bactéria Bordetella pertussis. A doença evolui em três fases sucessivas. A fase catarral inicia-se com manifestações respiratórias e sintomas leves, que podem ser confundidos com uma gripe: febre, coriza, mal-estar e tosse seca. Em seguida, há acessos de tosse seca contínua. Na fase aguda, os acessos de tosse são finalizados por inspiração forçada e prolongada, vômitos que provocam dificuldade de beber, comer e respirar. Na convalescença, os acessos de tosse desaparecem e dão lugar à tosse comum. Bebês menores de seis meses são os mais propensos a apresentar formas graves da doença, que podem causar desidratação, pneumonia, convulsões, lesão cerebral e levar à morte.

Transmissão

Acontece principalmente pelo contato direto da pessoa doente com uma pessoa suscetível, não vacinada, por meio de gotículas de saliva expelidas por tosse, espirro ou ao falar. Também pode ser transmitida pelo contato com objetos contaminados com secreções do doente. A coqueluche é especialmente transmissível na fase catarral e em locais com aglomeração de pessoas.

Prevenção

Apenas os indivíduos que já tenham adquirido a doença ou recebido a vacina DTP (mínimo de três doses) não correm o risco de adquiri-la. Não existe característica individual que predisponha à doença, a não ser presença ou ausência de imunidade específica. Graças aos programas de vacinação, a ocorrência de casos de coqueluche no Brasil (que já chegou a cerca de 36 mil casos notificados por ano entre 1981 e 1991) vem sendo reduzida.

Fonte: Disponível em: https://www.bio.fiocruz.br/index.php/coqueluche-sintomas-transmissao-e-prevencao. Acesso em: 05 out.2016.

Considerando as informações do texto acima, podemos afirmar que a coqueluche é uma doença causada pela bactéria Bordetella pertussis. A vacina contra esta doença pode ser produzida: 


tanto a partir do vírus inativado (microrganismo morto) ou de componentes viróticos purificados.


tanto a partir da bactéria ativada (microrganismo vivo) ou de componentes bacterianos purificados.


tanto a partir do vírus ativado (microrganismo morto) ou de componentes bacterianos contaminados.


tanto a partir da bactéria inativada (microrganismo morto) ou de componentes bacterianos purificados.


tanto a partir da bactéria inativada (microrganismo morto) ou de componentes bacterianos contaminados.

Primeiramente, leia o texto abaixo. Em seguida, analise o questionamento e assinale a alternativa CORRETA.

As leveduras são fungos unicelulares, ou seja, formados somente por uma única célula. Devido a esta característica elas crescem e se reproduzem mais rapidamente. Esta categoria de fungos não é visível a olho nu, sendo visualizados apenas com auxílio de um microscópio. São bem maiores do que a maioria das bactérias existentes e foram visualizadas pela primeira vez em 1680, por Antony van Leewenhoeck.

Quanto a sua morfologia, as leveduras podem ser ovais (Hansenula ), redondas (Saccharomyces ), cilíndricas (Kloeckera ), triangulares (Trigonopsis ), apiculares (Kloeckera ) e ogivas (Bretanomyces ). A maioria das leveduras vive em exudatos açucarados de plantas, e no néctar das flores. Também são encontradas algumas espécies em superfícies de frutas frescas ou podres.

A reprodução das leveduras pode ocorrer de duas formas:

  • Gemação de novas células: Este tipo de reprodução das leveduras ocorre nos mostos em fermentação. Neste processo ocorre a formação de pequenas protuberâncias na superfície da célula que, depois de se desenvolverem, se desprendem, passando a ter vida própria.
  • Esporulação de novas células: Este tipo de reprodução consiste na formação de esporos no interior das células, que se tornam livres pela ruptura das células.

Fonte: Disponível em: http://www.infoescola.com/reino-fungi/levedura/. Acesso em: 02 out.2016.

Para a fabricação do pão é necessário acrescentar à massa uma certa quantidade de fermento biológico (lêvedo ou levedura), para que ela cresça e, depois de assada, fique saborosa. O crescimento da massa deve-se:


ao crescimento excessivo do lêvedo, "empurrando" a massa e fazendo-a crescer.


a uma reação química entre o lêvedo e oxigênio.


as leveduras, que começam a “comer” os açúcares que fazem parte da farinha. À medida que elas digerem lentamente esses elementos, liberam gás carbônico.


a uma reação química entre a água e o lêvedo.


a uma reação da farinha do trigo com a água, servindo o lêvedo para dar sabor ao pão.

Bioética é, segundo Reich (1995, p. 96), “o estudo sistemático das dimensões morais – incluindo visão moral, decisões, conduta e políticas – das ciências da vida e atenção à saúde, utilizando uma variedade de metodologias éticas em um cenário interdisciplinar”. A capacidade do ser humano de reflexão, de invenção e de busca contínua por respostas, com base na liberdade da ciência e na pesquisa, bem como a diversidade cultural como fonte de inovação e criatividade, são fatores determinantes para o desenvolvimento científico e tecnológico. Esses fatores podem trazer benefícios aos indivíduos como único ou grupo, aumentando, assim, a melhoria e expectativa da qualidade de vida, promovendo o bem-estar do indivíduo e a reflexão sobre a dignidade do ser humano e ao direito universal das habilidades fundamentais.

A respeito dessa temática e considerando o modelo bioético personalista, analise o questionamento a seguir e assinale a alternativa correta: a fundamentação do modelo personalista centra-se na objetividade dos valores e das normas. Neste sistema, podemos encontrar três definições:


ontológico: ressalta-se o valor da subjetividade e da relação intersubjetiva; hermenêutico: relaciona-se com o papel da consciência na interpretação – a realidade vista por meio da própria percepção; personalismo racional: realidade vista por meio de uma compreensão pré-determinada, em que esta vivência nada mais é do que uma essência constituída na essência da unidade corpo-espírito.


hermenêutico: ressalta-se o valor da subjetividade e da relação intersubjetiva; personalismo racional: relaciona-se com o papel da consciência na interpretação – a realidade vista por meio da própria percepção; ontológico: realidade vista por meio de uma compreensão pré-determinada, em que esta vivência nada mais é do que uma essência constituída na essência da unidade corpo-espírito.


personalismo racional: ressalta-se o valor da subjetividade e da relação intersubjetiva; ontológico: relaciona-se com o papel da consciência na interpretação – a realidade vista por meio da própria percepção; hermenêutico: realidade vista por meio de uma compreensão pré-determinada, em que esta vivência nada mais é do que uma essência constituída na essência da unidade corpo-espírito.


personalismo racional: ressalta-se o valor da subjetividade e da relação intersubjetiva; hermenêutico: relaciona-se com o papel da consciência na interpretação – a realidade vista por meio da própria percepção; ontológico: realidade vista por meio de uma compreensão pré-determinada, em que esta vivência nada mais é do que uma essência constituída na essência da unidade corpo-espírito.


personalismo irracional: ressalta-se o valor da subjetividade e da relação intersubjetiva; hermenêutico: relaciona-se com o papel da consciência na interpretação – a realidade vista por meio da própria percepção; ontológico: realidade vista por meio de uma compreensão pré-determinada, em que esta vivência nada mais é do que uma essência constituída na essência da unidade corpo-espírito.

Leia o texto abaixo.

Bioética

A Bioética, enquanto componente curricular tem como objetivo incentivar os profissionais à reflexão, tanto de maneira a avaliar a própria vida, tendo como base a família, valores adquiridos, crenças e religiões, bem como à reflexão da sociedade como um todo, resultando, assim, num pensamento reflexivo sobre os pilares que regem a nossa sociedade. Considerando que a Bioética tem como objetivo a reflexão, o questionamento, ela traz consigo questões relevantes, como por exemplo, fazendo com que deixemos de pensar somente em nossos próprios problemas e passando a agir como um cidadão consciente quanto aos seus próprios direitos e quanto à realidade mundial.

A respeito dessa temática, avalie as afirmações a seguir.

I)  O termo eutanásia é constantemente utilizado para designar uma morte suave, com a ausência de um sofrimento aparente, e digna. Porém, a interpretação de dignidade está intimamente relacionada com as crenças, os valores e a religião, de maneira que, para evitar problemas éticos e religiosos, a expressão “morte digna” está aparentemente em desuso.

II) No Brasil, atualmente, o aborto é considerado ilegal, exceto nas situações de estupro ou risco de vida materno, ou também constatação de bebês anencéfalos. A lei brasileira ainda não possui subsídios e respaldo suficientes para concessão de alvarás, sendo que, quando este ocorre, deve-se constatar a presença de malformações genéticas por uma junta médica. Porém, a decisão baseia-se nos valores morais e sociais dos que os julgam, já que não existe um amparo legal para tais decisões.

III) A clonagem trata-se de uma técnica na qual se produz cópias de genes ou células de um organismo, sendo um processo de reprodução assexuada. Por se tratar de um fenômeno recente, a clonagem ainda gera várias discussões e argumentos em meio ao mundo moderno, sendo que a questão ética torna-se cada vez mais complexa e passível de condenações, até mesmo entre os cientistas.

Está correto o que se afirma em:


II e III, apenas.


II, apenas.


I, II e III.


I e III, apenas.


I e II, apenas.

A descoberta do DNA e o projeto genoma

O século XX foi caracterizado por um grande progresso na Biologia, assim como os séculos anteriores haviam produzido um conjunto de explicações sobre a matéria inanimada, como a natureza do átomo, a Química e o eletromagnetismo. O curso da história da Medicina nos últimos anos foi, indubitavelmente, estarrecedor: ninguém poderia sequer imaginar o que aconteceria no milênio que passou. E estamos agora, certamente, em mais um desses momentos em que, por mais que se imagine, muito difícil é prever como evoluirá a medicina e a que velocidade.

A estrutura tridimensional da molécula de DNA - a dupla hélice - foi descoberta em 1953, por Francis Crick, James Watson e Maurice Wilkins, quando trabalhavam em Cambridge, no Reino Unido. Eles construíram modelos de cartolina e arame para entender e descrever o DNA, e o resultado foi publicado em duas páginas da revista Nature, em 25 de abril de 1953, há pouco mais de 50 anos. O texto de 900 palavras era acompanhado de um esboço simples da famosa dupla hélice e atraiu pouca atenção da comunidade científica. O estudo só ganhou destaque em 1957, quando cientistas demonstraram que o DNA se auto-replica, como os dois autores haviam previsto. O prêmio Nobel lhes foi outorgado em 1962. Sem dúvida, como em outras descobertas, tributo deve ser feito a alguns predecessores como Gregor Mendel, cujas pesquisas sobre hereditariedade ficaram esquecidas por mais de 30 anos, até serem redescobertas em 1900, assim como Charles Darwin e sua teoria da evolução de 1958.

A descoberta de Crick (falecido em julho de 2004), Watson e Wilkins abriu uma nova era para a ciência e, desde então, vem causando uma verdadeira revolução na investigação científica ligada às ciências da vida. Ainda estamos longe de antever suas conseqüências na totalidade, mas sem dúvida foi um marco na história da Medicina do século passado. O que será que nos espera neste novo século que recém se iniciou? Em 2003, há exatos 50 anos depois da descrição da dupla hélice, outro grande momento chamou atenção da comunidade científica: o sequenciamento do genoma humano. E, evidentemente, não é o final da história e sim o início de mais um capítulo.

A descoberta da dupla hélice do DNA, que abriu caminho para a moderna biologia molecular, aponta para horizontes ainda mais fantásticos - e cada vez mais próximos - como, por exemplo, o de medicamentos personalizados de acordo com o código genético de cada um. Pelo menos teoricamente seria possível, e mais simples, obter-se medicamentos mais eficazes e com melhor perfil toxicológico.

Além disso, os modernos meios de comunicação fazem com que um cientista trabalhando em qualquer parte do mundo com um computador e uma conexão de internet possa se cadastrar e ter acesso a vastos bancos de genes e predizer quais sequências de aminoácidos e função de proteínas esses genes codificam. E tudo isso gratuitamente, garantindo um modelo de cooperação, confiança e altruísmo internacional. Espera-se apenas que todo esse conhecimento e liberdade sejam utilizados para o bem dos seres humanos e da sociedade como um todo.

Fonte: Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100001. Acesso em: 24 out.2016.

Considerando as informações do texto acima, é CORRETO afirmar que a estrutura do DNA (que é uma dupla hélice) é mantida por:


ligações covalentes entre as bases confrontadas (pontes de oxigênio) sendo possível separar suas duas cadeias por meio do calor e de outros tratamentos com o pH alcalino.


ligações não covalentes entre as bases confrontadas (pontes de hidrogênio) sendo possível separar suas duas cadeias por meio do calor e de outros tratamentos com o pH alcalino.


ligações não covalentes entre as bases confrontadas (pontes de oxigênio) sendo possível separar suas duas cadeias por meio do calor e de outros tratamentos com o pH alcalino.


ligações não covalentes entre as bases confrontadas (pontes de hidrogênio) sendo possível separar suas quatro cadeias por meio do calor e de outros tratamentos com o pH alcalino.


ligações covalentes entre as bases confrontadas (pontes de hidrogênio) sendo possível separar suas duas cadeias por meio do calor e de outros tratamentos com o pH alcalino.

Primeiramente, leia o texto abaixo.

A biotecnologia moderna tem sido uma pauta recorrente de discussão, considerando-se suas formas de atuação, que provocam questionamentos ético- científicos quanto ao manuseio, à produção e o consumo dos bens e serviços advindos dessa técnica. Atualmente, essa biotécnica interfere no universo jurídico na medida em que exige-se do Direito o papel de resguardar e conservar o meio ambiente e proteger a saúde humana e animal. Nesse sentido, vale anotar que é uma técnica muito antiga, já que o seu surgimento está atrelado a fenômenos sociais como, por exemplo, a agricultura, que acompanha os seres humanos desde os primórdios. Entretanto, esta técnica se aprimorou ao longo do tempo, adquirindo um novo formato, cuja potencialidade é transformar a vida. Além disso, a técnica implementou-se no sentido de reformular questões pertinentes ao plano natural, ou seja, o homem passou a transformar e (re)criar a natureza, abrindo “uma nova era: a transgênese do mundo".

Fonte: http://institucional.us.es/revistas/Araucaria/A%C3%B1o%2017%20%20N%C2%BA%2033%20%202015/Biotecnologia%20moderna.pdf. Acesso em: 28 mar.2017.

Considerando as informações do texto acima, pode-se afirmar que a Biotecnologia moderna é também conhecida como:


engenharia genética ou tecnologia do DNA recombinante.


engenharia genética ou tecnologia do RNA recombinante.


engenharia nuclear ou tecnologia do DNA recombinante.


engenharia genética ou tecnologia do plasmídeo de DNA ou RNA recombinante.


engenharia nuclear ou tecnologia do RNA recombinante.

Vacinas

Como diziam nossas avós, "é melhor prevenir que remediar". E essa é a importante função das vacinas, proteger o nosso corpo de vírus e bactérias que provocam várias doenças capazes de afetar seriamente a nossa saúde. Além de proteger quem foi vacinado, as vacinas também contribuem para a segurança de uma comunidade inteira. Quanto maior a quantidade de pessoas protegidas, menor a chance de qualquer uma delas (seja ela vacinada ou não) contrair alguma doença.

Fonte: Disponível em: http://www3.hermespardini.com.br/pagina/86/vacinas.aspx. Acesso em: 21 out.2016.

A utilização de vacinas tem uma melhor relação custo-benefício no controle de doenças imunopreviníveis que o uso de medicamentos para sua cura. Como consequência de muitos anos de investimento em pesquisa e desenvolvimento científico e tecnológico, as vacinas são seguras e julgadas essenciais para a saúde pública. Elas podem ser formadas de moléculas, microrganismos mortos ou microrganismos vivos atenuados (BIO-MANGUINHOS, 2007).

Considerando as informações do texto acima e a composição das vacinas, assinale a alternativa CORRETA.


As vacinas atenuadas são compostas por microrganismos conseguidos por meio da seleção de cepas naturais e atenuados por meio de passagens em meios de cultura específicos, em variados hospedeiros ou por manipulação genética. Causam infecção sem produzir a doença. Geralmente, possuem ampla capacidade protetora e com apenas uma dose conferem imunidade em longo prazo, como, por exemplo, as vacinas contra sarampo e febre amarela.


A rubéola é uma doença causada pela bactéria Bordetella pertussis. A vacina contra esta doença pode ser produzida tanto a partir da bactéria inativada (microrganismo morto) ou de componentes bacterianos purificados. A vacina contra rubéola, normalmente administrada junto com as vacinas antitetânica e antidiftérica (DTP), é produzida a partir do microrganismo morto.


O botulismo é uma doença causada pela bactéria Bordetella pertussis. A vacina contra esta doença pode ser produzida tanto a partir da bactéria inativada (microrganismo morto) ou de componentes bacterianos purificados. A vacina contra o botulismo, normalmente administrada junto com as vacinas antitetânica e antidiftérica (DTP), é produzida a partir do microrganismo morto.


As vacinas atenuadas são compostas por artrópodes (insetos) conseguidos por meio da seleção de cepas naturais e atenuados por meio de passagens em meios de cultura específicos, em variados hospedeiros ou por manipulação genética. Geralmente, possuem ampla capacidade protetora e com apenas uma dose conferem imunidade em longo prazo, como, por exemplo, a vacina contra a febre amarela.


Os soros são compostos por microrganismos conseguidos por meio da seleção de cepas naturais e atenuados por meio de passagens em meios de cultura específicos, em variados hospedeiros ou por manipulação genética. Causam infecção sem produzir a doença. Geralmente, possuem ampla capacidade protetora e com apenas uma dose conferem imunidade em longo prazo.

Páginas: 123