PALEONTOLOGIA


Geralmente quando um animal morre, se ele não for soterrado rapidamente, seu esqueleto sofre desarticulação e o local onde o fóssil é encontrado, pode não ser o mesmo onde ocorreu a morte. O estudo individual do local onde o fóssil é encontrado não é suficiente para estabelecer o local onde o animal realmente vivia, por isso a Tafonomia é de fundamental importância na análise Paleoecológica. O transporte é fundamental para o estudo do paleontólogo, e os fósseis são classificados também de acordo com seu transporte em autóctone e alóctone. 

A respeito dessa temática, assinale a opção CORRETA.


Fósseis alóctones são aqueles encontrados muito próximos ou no local em que os organismo viviam, já os autóctones são os fósseis encontrados em locais diferentes do seu ambiente natural.
Nem todo animal que morre, preserva 100% do seu esqueleto original, mesmo desarticulado. Devemos lembrar que os elementos ósseos passam por várias transformações, não só de origem biológica, mas também de natureza inorgânica. O conjunto de processos físico-químicos pelos quais os ossos passam após a morte do organismo, é chamado de permineralização.
Na carbonificação, componentes eliminados durante a decomposição podem atrair algumas substâncias fazendo com que fiquem aderidas no organismo formando nódulos como, por exemplo, a amônia produzida na decomposição faz com que haja precipitação do bicarbonato de cálcio dissolvido na água.
Nem todo animal que morre, preserva 100% do seu esqueleto original, mesmo desarticulado. Devemos lembrar que os elementos ósseos passam por várias transformações, não só de origem biológica, mas também de natureza inorgânica. O conjunto de processos físico-químicos pelos quais os ossos passam após a morte do organismo, é chamado de desarticulação.
Fósseis autóctones são aqueles encontrados muito próximos ou no local em que os organismo viviam, já os alóctones são os fósseis encontrados em locais diferentes do seu ambiente natural.

Nome dado aos últimos 11.000 anos da história da Terra. Com a exceção de alguns períodos em que ocorreram pequenas idades do gelo, essa época foi um período de temperaturas mornas para quentes. Os eventos mais marcantes desse período é a historia da humanidade, marcada pela ascensão e queda de todas civilizações. A destruição dos vários habitats, a poluição e outros fatores estão causando uma extinção maciça de muitas espécies de plantas e de animais. Contudo, viu-se também o desenvolvimento grande do conhecimento e da tecnologia humana, que podem ser usados para compreender as mudanças que nós vemos hoje. A Paleontologia faz parte deste esforço para compreender a mudança global. A vida animal e a vida vegetal dessa época são a atual.

   Fonte: Disponível em: https://pixabay.com/pt/homem-corpo-nu-humanos-humano-845847/. Acesso em: 12 no.2016.


Pleistoceno.
Holoceno.
Mioceno.
Plioceno.
Oligoceno.

Período em que as plantas apresentam uma evolução incrível, dando origem às primeiras plantas pequenas. Ocorre o desenvolvimento de esporos que deram origem aos gametófitos e o processo de fertilização, possibilitando assim o surgimento de plantas com sementes, e árvores que possibilitam a formação de florestas. Além disso, surgem peixes conhecidos como placodermos e os primeiros peixes ósseos. Ainda nesse período ocorre um enorme desenvolvimento dos insetos que continuam a colonizar os ambientes terrestres (cf. Figura), atingindo uma enorme variedade de espécies e tamanhos nunca antes atingidos por organismos terrestres.

Figura: Barata - inseto da ordem Blattaria ou Blattodea.


Siluriano.
Devoniano.
Permiano.
Carbonífero.
Triássico.

Período da era Mesozoica que foi uma verdadeira corrida evolucionista, em que os dinossauros se tornam a espécie dominante, principalmente os dinossauros carnívoros. Nos ares, os Pterossauros se tornam abundantes e começam a atingir tamanhos enormes e surgem as aves primitivas. Os saurópodes se instalaram com facilidade nesse período.

Considerando as características do texto acima, é CORRETO afirmar que esse Período era Mesozoica está indicado em:


Carbonífero.
Jurássico.
Permiano.
Triássico.
Cretáceo.

Primeiramente, leia o texto abaixo e, em seguida, assinale a alternativa CORRETA.

A Paleontologia na confirmação de teorias

As histórias dos fósseis também são a história da migração dos continentes, das mudanças climáticas, das extinções em massa e das modificações ocorridas na fauna e flora ao longo do tempo geológico, essas teorias têm como uma de suas evidências a Paleontologia. É em torno da Paleontologia que os biólogos obtêm uma dimensão do tempo em que os grandes ecossistemas atuais se estabeleceram e também informações complementares às teorias evolutivas. Os geólogos utilizam os fósseis como ferramenta para datação e ordenação das sequências sedimentares, contribuindo para o detalhamento da coluna geológica. Ajudam na interpretação dos ambientes antigos de sedimentação, bem como na identificação das mudanças ocorridas na superfície do planeta por meio do tempo geológico (CASSAB, 2004).

Assinale a alternativa correta sobre o nome dado à técnica utilizada para se fazer uma correlação entre o empilhamento e a idade das rochas e, ainda, estabelecer as bases para a construção da coluna do tempo geológico.


Estatigrafia.
Datação absoluta.
Tempo de meia-vida.
Datação relativa.
Decaimento radioativo.
PaleontologiaPaleontologia é a ciência que estuda fósseis e registros pré-históricos de seres vivos que já habitaram a Terra. Sua principal função é reconstituir espécies animais e vegetais com a ajuda de elementos encontrados em escavações, descobrir suas características físicas, identificar seus hábitos e relações com o meio ambiente.
Fonte: Disponível em: http://www.guiadacarreira.com.br/profissao/paleontologia/. Acesso em: 08 out.2016.
O assunto da Paleontologia é muito amplo e variado, ampliando o vasto leque de conhecimentos da ciência e incentivando o estudo e especialização na área. Além de matéria acadêmica, o estudo dos fósseis encontra um vasto campo de aplicação, principalmente no campo de evidências evolutivas e de interesse econômico.
A partir das informações dos textos acima e considerando os seus estudos sobre os fósseis e registros pré-históricos, analise as frases a seguir.
I)   Águas percolantes são constantes movimentações da água, por chuvas ou águas subterrâneas, que podem modificar a estrutura dos fósseis.II)  A Tafonomia nos esclarece algumas questões a respeito das características paleoecológicas, permitindo assim, reconstruir a história dos fósseis e o ambiente em que viviam (paleoambiente).III) O âmbar é uma resina fóssil sólida proveniente da seiva de um vegetal, que quando escorria, englobava algum animal, mantendo-o preservado ao longo do tempo.IV) Pseudofósseis são estruturas presentes nas rochas, semelhantes a organismos, que são originadas pela passagem da água e precipitação de algum mineral.
Está(ão) CORRETA(S) a(s) afirmação(ões) contida(s) em:

I e IV, apenas.
I, II, III e IV.
III, apenas.
II, III e IV, apenas.
I, II e III, apenas.

Primeiramente, leia o texto abaixo e, em seguida, assinale a alternativa correta.

Paleontólogos acham esqueleto que pode ser do maior dinossauro do país

No Brasil, também existe a terra dos dinossauros. Fica na região do Triângulo Mineiro e foi em Uberaba, a 490 quilômetros de Belo Horizonte, que paleontólogos encontraram o esqueleto que pode ser do maior e mais antigo dinossauro que viveu no país. É um fóssil de titanossauro, um animal com mais de 15 metros de comprimento, que só comia plantas e que teria vivido há 80 milhões de anos. Por enquanto, foram encontradas suas costelas, tíbias e vértebras. E sabe onde? Em um canteiro de obras de um condomínio. Uma retroescavadeira bateu na rocha onde estava o fóssil.

“Devido à proporção desta obra, uma obra muito grande, com escavações muito profundas, possibilitou que a gente fizesse este tipo de busca aqui”, conta Tiago Pantaleão, dono da construtora.

Os paleontólogos acreditam que na rocha estejam outras partes ósseas do dinossauro, inclusive o crânio. Se isso se confirmar, os pesquisadores afirmam que este será o maior achado paleontológico em área urbana do país.

“Acho que isso por si só já acaba tornando Uberaba na terra dos dinossauros. Já que todo mundo caminha em cima dos dinossauros todos os dias aqui e ninguém se dá conta disso”, diz Thiago Marinho, paleontólogo. São 70 anos de pesquisas e todas as descobertas estão em um museu. No prédio, é possível ver as réplicas e fósseis das espécies que habitaram a região no período Jurássico, há milhões de anos. Mas por que tantos fósseis de dinossauros nesta região de Minas Gerais?

“Primeiro, a quantidade de vida que existiu aqui entre 66 e 80 milhões de anos. Manadas de dinossauros carnívoros e herbívoros. Outra é a condição geológica. Boa parte que morria, era rapidamente sepultada por camadas de areia, cascalho e lama. E essa camada de areia e cascalho estava embebida numa salmoura de água rica em calcário. Então, isso tudo petrificava”, diz Luis Carlos Ribeiro, geólogo.

Fonte:Disponível em: http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2015/07/paleontologos-acham-esqueleto-que-pode-ser-do-maior-dinossauro-do-pais.html. Acesso em: 07 out.2016.

Nem todo animal que morre, preserva 100% do seu esqueleto original, mesmo desarticulado. Devemos lembrar que os elementos ósseos passam por várias transformações, não só de origem biológica, mas também de natureza inorgânica. O conjunto de processos físico-químicos pelos quais os ossos passam após a morte do organismo, é chamado de:


desarticulação.
permineralização.
intemperismo.
diagênese.
decomposição.
Primeiramente, leia atentamente o texto a seguir.Estratigrafia: o que é (definição)A estratigrafia é uma ciência, ramo da Geologia, que estuda a composição, estrutura e sucessão das rochas estratificadas com o objetivo de reconstruir a história física do planeta Terra.Informações fornecidas  - O estudo dos estratos rochosos fornecem informações em vários ambientes de formação e as antigas paisagens físicas da Terra.  - A estratigrafia é capaz também de fornecer dados relativos ao clima de nosso planeta há milhares ou até milhões de anos.  - Possibilita também determinar a época em que um determinado organismo animal ou vegetal viveu, quando um destes é encontrado num determinado estrato rochoso.  - Pode fornecer informações essenciais para a composição do ambiente físico de civilizações muito antigas.  - Permite o conhecimento cronológico de eventos geológicos.Fonte: Disponível em: http://www.suapesquisa.com/o_que_e/estratigrafia.htm. Acesso em: 02 out.2016.Considerando as informações do texto acima e em relação a importância do estudo da estratigrafia, assinale C para o que for Correto e E para o que for Errado.(   ) A estratigrafia dá base para que se aprenda sobre o ambiente em que os sedimentos foram depositados, além de ajudar na determinação da idade das rochas.(   ) A estratigrafia, por meio do princípio da superposição, afirma que os sedimentos são depositados horizontalmente devido à acomodação pela gravidade, sendo que a inclinação de algum estrato deve-se a alguma perturbação posterior.(   ) A estratigrafia, por meio do princípio da continuidade lateral propõe que os depósitos sedimentares se estendem a todas as direções, até sua espessura chegar à zero, ou até chegar ao seu limite do ambiente de deposição.(   ) A estratigrafia contribui para a determinação da idade dos fósseis por meio da determinação da idade das rochas ou ao contrário.A sequência CORRETA é:

E, C, C, E
C, E, C, E
C, E, C, C
E, C, C, C
C, E, E, C
Decomposição e desarticulação Após a morte, o organismo tem sua decomposição iniciada, servindo de substrato ao crescimento de animais necrófagos como insetos, e ao desenvolvimento de fungos e bactérias, os quais irão decompor a matéria orgânica. Apenas em casos especiais, o animal quando morre não é logo decomposto. Um exemplo são os mamutes que foram encontrados com suas estruturas preservadas no gelo, onde um desastre os enterrou, mantendo suas partes como pelos e tecidos moles preservados. Como, na maioria das vezes, o animal quando morria não era logo soterrado, devido à ação dos organismos necrófagos e decompositores. Esse animal perdia sua carcaça facilitando a desarticulação do esqueleto. Razão esta, que já foi comprovada: dificilmente são encontrados fósseis com mais de 70% do seu esqueleto articulado.A respeito dessa temática, avalie as afirmações a seguir.I)  Como definição, a articulação é a união de duas ou mais partes esqueletais, mantendo sua forma anatômica natural. Geralmente, esta união é formada por tecidos moles como tendões, músculos, cartilagem e, como estes tecidos são consumidos durante a decomposição ou por animais carniceiros, logo perdem sua conformação original, ficando desarticulados.II)  Fósseis de esqueletos articulados só são encontrados quando: (1) o tempo entre a morte e o soterramento do animal foi muito curto; (2) o evento que provocou a morte do animal foi o mesmo que o soterrou ou (3) quando o esqueleto ficou exposto a condições de baixíssima atividade de decomposição como, por exemplo, condições de baixa oxigenação, frio extremo ou aridez.III) A análise do grau de desarticulação nos fornece informação sobre o tempo decorrido entre a morte e o soterramento. Sendo assim, quanto menor o grau de desarticulação do esqueleto, menor o tempo entre o período pós-morte e o soterramento, e quanto maior a desarticulação, maior será o tempo entre a etapa compreendida entre a morte e o soterramento.É correto o que se afirma em:

I e III, apenas.
I, II e III.
I e II, apenas.
II e III, apenas.
II, apenas.
A Paleontologia é a ciência que estuda os fósseis, ou seja, restos ou vestígios de organismos encontrados em rochas mais antigas que 11 mil anos. Uma questão que normalmente surge é a diferença entre a Paleontologia e a Arqueologia. Esta última trata do estudo de restos de seres humanos, civilizações antigas, como viviam e etc., normalmente mais recentes que 10 mil anos. Sendo assim, a Arqueologia trata-se de uma ciência social. Contudo, os arqueólogos também chamam restos humanos mais novos que 10 mil anos de fósseis.A respeito dessas temáticas, avalie as assertivas a seguir.I)  A análise tafonômica nos dá importantes pistas sobre o longo período existente, desde a morte até o momento em que são encontrados os fósseis.II) A morte não-seletiva é causada por fatores naturais, como envelhecimento, relações como predação, competição e doenças atingindo determinadas faixas de idade dos indivíduos. Geralmente este tipo de morte afeta organismos mais jovens, e os mais idosos, devido às suas vulnerabilidades. III) A morte seletiva acomete grande parte da população, sem distinção. Este tipo de morte está relacionado a eventos como enchentes, terremotos, tempestades, grandes secas etc.Está correto o que se afirma em:

II e III, apenas.
II, apenas.
I, apenas.
I, II e III.
I e III, apenas.
Páginas: 12345