GESTÃO DA PRODUÇÃO


O Sistema Toyota de Produção (STP) surgiu no Japão com o Senhor Taichi Ohno e o Senhor Toyoda, engenheiro e dono da Toyota, na sequência, antiga fábrica de teares. O STP foi o start para o Lean Manufacturing. O STP partiu de princípios de Ford de produção em massa e economia de custos com redução de desperdícios, onde Ohno fez melhorias no método Fordista adaptando-o a necessidade japonesa na época. O cenário japonês era propício ao enxugamento, pois o país saia de uma guerra e amargava escassez de recursos. Logo, como em todo processo evolutivo, o Lean surge como alternativa ao Fordismo, com táticas mais rápidas e eficazes.

É importante frisar que o Toyotismo, ou o Lean, organizam a produção de forma a ter um fluxo contínuo de peças. Porém, para alcançar o fluxo contínuo são necessárias:

I – a diminuição dos tempos de trocas de ferramentas (setups), viabilizando a produção em pequenos lotes;

II – a realização do controle de qualidade no próprio local de trabalho, ou seja, nas células de fabricação;

III – a eliminação de eventuais paradas de máquinas por meio de um eficiente esquema de manutenção preventiva/preditiva;

IV – o empoderamento das pessoas do setor administrativo de tal forma que eles mesmos busquem aumentar as vendas da empresa.

Posto isto, com base no exposto e no livro recomendado, analise o texto acima e responda: é correto o que se afirma em:


III, IV
I, II, III
II, IV
II, III, IV
I, III, IV

O design for environment veio para criar sustentabilidade nos produtos desde seu projeto. Os principais itens dele são:

I - Aumentar a reciclagem dos produtos;

II - Reaproveitar componentes dos produtos;

III - Aumentar a eficiência energética;

IV - Potencializar o empoderamento das pessoas;

V - Reduzir riscos de produção, manuseio e descarte;

VI - Facilitar o descarte ecologicamente correto.

Analisando os capítulos recomendados para leitura e os conceitos de design for environment, é correto o que se afirma em:


I, III, IV, V, VI
II, III, V, VI
II, III, IV, V, VI
I, II, III, V, VI
III, IV, V, VI

A transformação da linha de produção departamental em célula de manufatura gera grandes benefícios, como economia de movimentos e de tempo. Mas para que a manufatura celular dê certo, é preciso que alguns fatores sejam seguidos, tais como:

I – Tecnologia de grupo: a equipe deve ter objetivos comuns, sendo o operador o responsável pela qualidade do que ele produz. Quando TODOS tiverem envolvidos e comprometidos com o sucesso da empresa o Lean será implantado;

II – Equipamento: o equipamento precisa estar apto a operar por períodos programados sem paradas não planejadas, sem interrupções e gerando produtos com qualidade esperada;

III – Qualidade: foco na redução drástica de itens não-conformes produzidos, pois se busca a qualidade almejada pelo cliente como item primordial para o sucesso da empresa;

IV – Participação e envolvimento: é a adoção do conceito de família de produtos, onde se agrupa peças com base na similaridade de forma, tamanho, processo de fabricação, etc.

Com base no exposto, analise o texto acima e responda: é correto o que se afirma em:


I, II
II, III
II, III, IV
I, III, IV
II, IV
Uma produção de bombonas plásticas para industrias de fertilizantes tem uma demanda média mensal de 357000 peças. Considerando o mês de 21 dias uteis, e o tempo de trabalho por dia de 8,8 horas, analise a situação-problema e assinale a alternativa que traz corretamente o takt time (tempo takt) deste processo.

1,86 segundos
8,64 segundos
16,92 segundos
12,34 segundos
1,69 segundos
Falando sobre estratégias de produção e estoque, mais especificamente sobre os tipos de arranjo dos processos, divididos em produção por encomenda, montagem por encomenda, projeto por encomenda e produção para estoque, assinale a seguir a alternativa que traz corretamente um exemplo para cada arranjo destes, nesta sequencia apresentada acima.

Geladeira – salgados para festa – Dell computadores – vestido de noiva
Vestido de noiva – Dell computadores – geladeira – salgados para festa
Salgados para festa – Dell computadores – vestido de noiva – geladeira
Geladeira – salgados para festa – vestido de noiva – Dell computadores
Dell computadores – geladeira – salgados para festa – vestido de noiva
Custos de produção são todos os gastos ligados à produção do bem ou serviço. Estes custos podem ser separados em custos diretos e indiretos. Os custos diretos são gastos ligados diretamente a quantidade produzida, e os custos indiretos são gastos indiretos à quantidade produzida. Posto isto, assinale a seguir a alternativa que traz corretamente (1) dois exemplos de custos diretos e (2) dois exemplos de custos indiretos.

(1) salário dos mecânicos e aluguel; (2) matéria-prima e mão-de-obra.
(1) matéria-prima e salário dos mecânicos; (2) mão-de-obra e aluguel.
(1) matéria-prima e mão-de-obra; (2) salário dos mecânicos e aluguel.
(1) aluguel e mão-de-obra; (2) salário dos mecânicos e matéria-prima.
(1) mão-de-obra e salário dos mecânicos; (2) matéria-prima e aluguel.
Dentro das estratégias de produção e estoque, algumas decisões são extremamente importantes. Se compararmos as estratégias de produção com as de serviços veremos que existe uma diferença clara: na produção podemos administrar estoques para nivelar ou balancear demanda de produtos com capacidade produtiva instalada. Como capacidade não é algo que conseguimos num estalar de dedos, a indústria precisa ter um eficiente planejamento da sua produção para minimizar sobrecargas e subcargas, e assim reduzir custos e aumentar a lucratividade. Existem, então, quatro estratégias de produção e estoque a serem adotadas, a saber: I – Make to order: é quando a produção só dá início após o pedido do cliente, é produção por encomenda, seguindo as necessidades e especificidades de cada cliente; II – Make to stock: é quando a produção não aguarda o pedido do cliente para iniciar, sendo o início dado por previsões de vendas futuras e pelo planejamento da produção que emite as ordens de produção com base nas previsões; III – Design to order: é projeto por encomenda, onde nem a produção, nem os materiais, muito menos o produto em si, são conhecidos antes do cliente definir o que espera do mesmo; IV – Assemble to order: é montagem sob encomenda, onde o projeto do produto, a compra dos materiais e uma parte do produto pode ser feita com base na previsão de vendas, mas a montagem do produto só é feita após o cliente pedir. É correto o que se afirma em:

I, II, III
I e III, apenas
I, II, III, IV
II, III, IV
I, III, IV
O ciclo de vida de um produto tem a ver com o tempo em que um produto ou serviço consegue se manter ativo, gerando dividendos, no mercado. Ele pode ser divido, de forma geral, em quatro fases: I – Introdução: é quando ele é criado, desenvolvido e lançado no mercado. Nesta fase as vendas são pequenas mas o investimento em marketing geralmente é alto, e a gestão da produção testa características de qualidade dos produtos e corrige erros existentes. Fase de grandes despesas e pequenos lucros; II – Crescimento: é quando o produto ou serviço já está consolidado no mercado, com altos volumes de vendas e já é conhecido da grande maioria dos seus consumidores. É chamada de fase da saturação, por causa dos novos entrantes; III – Maturidade: é a fase em que já existe volume de vendas apreciável e a produção está aprendendo a corrigir os erros existentes. É a fase de aceitação do produto/serviço pelo mercado; IV – Declínio: na medida em que novos produtos são lançados, os existentes entram em declínio por falta de inovação e ineditismo. A empresa começa a desistir do produto, dando nome a esta fase de obsolescência. Após este ciclo, ou a empresa retira de vez o produto/serviço do mercado, ou faz um upgrade no mesmo para dar uma sobrevida a ele. Com base no exposto, é correto o que se afirma em:

I, II, III
II, III, IV
I, III
I, IV
II, III
Quem define o que é qualidade é o cliente, não a empresa que está oferecendo o produto ou serviço. Cabe a empresa se atentar para quais características o cliente define como prioritárias num produto ou serviço para que aquele item seja considerado de qualidade. Além disso, a qualidade pode ser dividida em: I – Qualidade intrínseca: aquela que pode ser mensurada e avaliada de forma tangível, onde o cliente determina quais as características ele considera importante e a empresa transforma esse desejo do cliente em características técnicas. Outras vezes quem determina essas características são órgãos governamentais ou reguladores, como ANVISA, INMETRO, etc; II – Qualidade extrínseca: inclui aqui características perceptíveis, subjetivas, sensoriais, até emocionais. É a qualidade percebida pelo cliente, dificilmente mensurável, com atributos qualitativos e poucos quantitativos. Posto isto, assinale a seguir a alternativa que traz corretamente (1) dois exemplos de características de qualidade intrínsecas e (2) dois exemplos de características de qualidade extrínsecas, nessa ordem.

(1) beleza e cheiro; (2) peso do produto e viscosidade.
(1) peso do produto e beleza; (2) viscosidade e cheiro.
(1) viscosidade e beleza; (2) peso do produto e cheiro.
(1) cheiro e peso do produto; (2) beleza e viscosidade.
(1) peso do produto e viscosidade; (2) beleza e cheiro.
A indústria 4.0 veio para revolucionar a maneira de gerir, comercializar e conectar-se com o mundo. Porém, é importante frisar que foi preciso passar por outras 3 revoluções até chegar nessa 4ª. De forma resumida, as 4 revoluções industriais são: I - 1ª Revolução: entre 1760 e 1840, advento da eletricidade e da linha de montagem; II - 2ª Revolução: final do século XIX, advento da máquina a vapor e ferrovias; III - 3ª Revolução: década de 60, revolução digital ou do computador; IV - 4ª Revolução: virada do século, inteligência artificial, robótica, internet das coisas, etc. É correto o que se afirma em:

II e IV, apenas
I, II, III, IV
III e IV, apenas
I, II, III
II, III, IV