EPIDEMIOLOGIA


No período pré-patogênico, temos o início da interação entre os fatores que são causadores das doenças. Dependendo do grau dos fatores de risco presentes e da relação entre os condicionantes sociais, ambientais e o próprio homem, iremos encontrar as condições favoráveis que irão culminar na aquisição das doenças pelo ser humano.
O período patogênico caracteriza-se pelo o surgimento da doença propriamente dita e consiste em três fases: a subclínica, a prodrômica e a clínica.
Nesse sentido, torna-se importante a prevenção das doenças e, dependendo do período em que a evolução da doença se encontra, teremos três níveis de prevenção.

Assinale a alternativa abaixo que contempla corretamente o nível de prevenção e a ação adotada:
 


A vacinação das pessoas contra as doenças imunopreviníveis faz parte das ações de promoção da saúde a nível de prevenção secundária.
A fisioterapia e a terapia ocupacional têm como objetivo reduzir os danos provocados pelas doenças e são classificadas como ações de prevenção secundárias.
As ações de busca ativa dos casos suspeitos são ações realizadas no período pré-patogênico a nível de prevenção terciária.
Os exames periódicos, realizado pelos serviços de medicina das empresas, visam diagnosticar precocemente as doenças ocupacionais e estão classificados como proteção específica e são realizadas no período pré-patogênico.  
A busca ativa dos casos suspeitos são ações de prevenção adotadas a nível de prevenção secundária e tem como objetivo realizar o diagnóstico da doença o mais breve possível.

Considerando o exposto no CAPÍTULO 6 do livro de Epidemiologia – no que diz respeito às doenças de notificação compulsória, assinale abaixo a frase correta...
 


As doenças sujeitas ao Regulamento Sanitário Internacional fazem parte de algumas listas dos países membros da Organização Mundial de Saúde
Um dos objetivos das listas de doenças de notificação compulsória estaduais e/ou municipais é o fortalecimento dos sistemas locais de vigilância epidemiológica.
Caso algum Estado ou município decida complementar a lista nacional de doenças de notificação compulsória deve solicitar anuência ao Ministério da Saúde, e esse à Organização Mundial de Saúde
O Regulamento Sanitário Internacional determina que sejam de notificação compulsória, em todos os países, as seguintes doenças: malária, hanseníase, tuberculose e meningites
Estados e municípios não podem elaborar listas de doenças de notificação compulsória, pois as mesmas são definidas pelo Ministério da Saúde

Considerando o exposto no CAPÍTULO 6 do livro de Epidemiologia – no que diz respeito à Vigilância Epidemiológica, assinale abaixo a frase correta...
 


Apenas profissionais de saúde do setor público das Secretarias Municipais e Estaduais de Saúde podem notificar o Ministério da Saúde sobre a ocorrência de agravos de notificação compulsória no país
Os SISTEMAS SENTINELAS são uma importante estratégia de informação para a Vigilância Epidemiológica através da organização de redes constituídas por diversas fontes de notificação, voltadas para o estudo dos problemas de saúde prevalentes
De suma importância, as DEFINIÇOES DE CASOS tornam comparáveis os critérios diagnósticos que regulam a entrada dos casos no sistema de vigilância epidemiológica, sejam suspeitos, prováveis, confirmados ou descartados
As informações das epidemias e agravos inusitados chegam até os diferentes níveis do sistema de Vigilância Epidemiológica por e-mail e comunicações oficiais, não sendo aceitas notificações por outras fontes como imprensa ou redes sociais
A definição de caso de uma doença ou agravo não se modifica ao longo do tempo, pois isso poderia causar danos ao processo de investigação dos casos

Considerando o exposto no CAPÍTULO 2 do livro base da disciplina Epidemiologia e, no que diz respeito à Transição Epidemiológica, assinale a frase CORRETA:
 


Na década de 70 houve um recuo no processo de envelhecimento populacional no Brasil, bem como da população de menores de 20 anos, que constituía mais da metade da população.
Nos países mais desenvolvidos, os fatores determinantes da transição epidemiológica são ecobiológicos e socioeconômicos, enquanto que no Brasil a influência é maior pela introdução maciça de tecnologia e assistência médica.
Nos países desenvolvidos, as transições demográfica e epidemiológica foram marcadas pela queda da taxa de mortalidade, considerando a redução das doenças infecciosas e parasitárias e o aumento da taxa de natalidade até a década de 60. 
Estudo realizado no Brasil em 2004 apontou que as causas externas respondem pela menor parcela da carga de doença, ao contrário das doenças infecciosas, que vem decrescendo. 
No Brasil, a atividade física juntamente com a alimentação chamada “não saudável” tem elevado a incidência das doenças crônicas, incluindo as doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2 e câncer.

Na teoria conhecida como mágico-religiosa, pensava-se que as doenças surgiam como consequências dos maus espíritos que habitavam a terra e como resultado das “transgressões a natureza”. Na antiguidade, pensava-se que o corpo incorporava os maus espíritos, sendo um receptor para as doenças, ou ainda, as alterações no meio ambiente causavam um desequilíbrio na estrutura do homem e, consequentemente, as doenças surgiam.
Mais recentemente, o microbiologista Louis Pasteur demonstrou em seus experimentos a causa para o surgimento das doenças no homem. A partir daí, iniciou-se o desenvolvimento da teoria unicausal das doenças. Porém, como essa teoria não conseguiu explicar a causa para todas as doenças, surge então a teoria multicausal das doenças que consistia em:
 


Atribuir o surgimento das doenças principalmente aos fatores políticos e econômicos.
Relacionar as causas das doenças exclusivamente aos microrganismos presentes no ambiente e que eram transmitidos ao homem de diversas formas.
A contaminação ambiental, principalmente da água, era a causa das grandes epidemias de doenças diarreicas da população.
Atribuir o surgimento das doenças a uma sinergia entre diversos fatores, destacando os fatores políticos, econômicos, culturais, ambientais e patogênicos.
Que a falta de higiene da população era a causa das doenças transmissíveis e que as medidas de limpeza e ventilação dos ambientes diminuiria consideravelmente a transmissão das doenças.

A história da epidemiologia no Brasil teve destaque o início do século XX, quando as doenças tropicais predominavam entre a população brasileira e, devido a esse fato, as transações comerciais nos portos haviam diminuído, pois as embarcações não aportavam no Brasil, e porque os dirigentes das companhias de navegação não queriam que os seus marinheiros adoecessem devido a febre amarela, peste bubônica e varíola. O médico Osvaldo Cruz e o sanitarista Carlos Chagas foram duas pessoas que muito contribuíram para as questões epidemiológicas brasileiras. O sanitarista Carlos Chagas contribuiu para as questões epidemiológicas brasileiras ao:
 


Decretar a demolição dos estabelecimentos e residências insalubres na cidade do Rio de Janeiro.
Instituir a vacinação obrigatória da população brasileira contra as doenças imunopreviníveis.
Atuar no ramo da biologia, identificar o protozoário trypanosoma cruzi e o ciclo da doença de Chagas.
Responsabilizar-se pelo saneamento nas cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo.
Reponsabilizar-se pela detecção dos casos suspeitos e pelo isolamento dos chagásicos na cidade do Rio de Janeiro.

A febre amarela uma doença infecciosa febril aguda de evolução abrupta, cuja a prevenção é feita por meio da vacinação. A sua gravidade é variável, mas pode levar à morte em pacientes que adquiriram a sua forma mais grave. A importância epidemiológica dessa doença é devido a sua gravidade, da letalidade elevada e do potencial de disseminação, principalmente nas áreas urbanas. Leia Apenas as assertivas abaixo e assinale a resposta correta sobre a febre amarela.

 


Essa doença não é considerada de notificação compulsória para os casos urbanos, apenas para os casos de transmissão rural.
O período de incubação da febre amarela varia, em média, entre três a seis dias.
Para a prevenção da doença torna-se necessário a eliminação dos mosquitos na zona urbana e dos macacos na zona rural. 
Em 2015 ocorreu um surto de febre amarela urbana nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.
Esse arbovírus é transmitido do homem para o macaco por meio da picada do mosquito Aedes aegypti infectados.

Um indicador de saúde são “parâmetros utilizados internacionalmente com o objetivo de avaliar, sob o ponto de vista sanitário, a higidez de agregados humanos, bem como fornecer subsídios aos planejamentos de saúde, permitindo o acompanhamento das flutuações e tendências históricas do padrão sanitário de diferentes coletividades consideradas à mesma época ou da mesma coletividade em diversos períodos de tempo” (BARBOSA, 2003, p. 668). Abaixo estão apontados alguns critérios para que os indicadores sejam utilizados com o máximo de credibilidade nos estudos em epidemiologia.

 

Na coluna da esquerda, temos elencados 4 critérios para os indicadores e, na coluna da direita, temos suas respectivas definições.

Correlacione corretamente as colunas e em seguida assinale a alternativa que contém a sequência correta.

 

I-    Confiabilidade         (   ) coleta de informações eficazes. 
II-   Cobertura                (   ) proteção à informação fornecida pelo indivíduo.
III-  Validade                  (   ) representatividade do indicador.
IV- Critérios éticos         (   ) capacidade de medida do indicador.
V-  Praticidade               (   ) escolha apropriada do indicador.

 


A sequência correta está em V, IV, II, I, III
A sequência correta está em II, III, IV, V, I
A sequência correta está em V, II, IV, I, III
A sequência correta está em III, IV, V, I, II
A sequência correta está em III, IV, II, V, I

Nos estudos de casos e controles, temos a seleção de pessoas que possuem a doença (casos) e dos indivíduos que não possuem a doença (controles). Ambos os indivíduos participarão da pesquisa, porém, em grupos distintos.  No desfecho da pesquisa, o pesquisador pode determinar apenas as estimativas de risco relativo ou Odds ratio.  É correto afirmar sobre os estudos de casos e controles:

 


Nesse tipo de estudo se propõe levantar as questões sociais da comunidade por meio da manipulação da variável que se pretende medir no grupo das pessoas que possuem a doença (casos).
O delineamento desse estudo é do tipo transversal, no qual o pesquisador deseja coletar informações sobre as diferenças entre os dois grupos em um único momento.
Esse tipo de estudo é realizado com pessoas que ainda não possuem a doença, mas possuem grande probabilidade de adquiri-la. 
Os indivíduos sadios são agrupados aleatoriamente nos grupos que são compostos por participantes expostos a um fator de risco ao qual o pesquisador quer acompanhar o desfecho acerca dessa exposição.
Apesar do pesquisador obter um único desfecho, ele poderá determinar vários fatores de risco, o que permite a geração de outras hipóteses que poderão ser testadas futuramente. 

Nos estudos ecológicos, de investigação de base territorial, os pesquisadores delimitam uma área geográfica para o levantamento dos dados que se deseja obter, enquanto, nos estudos ecológicos de agregados institucionais, o local onde será desenvolvido o estudo é uma organização coletiva. Desta forma, identifique abaixo os locais onde podemos realizar os estudos ecológicos de agregados institucionais.

 


Na unidade de saúde do bairro.
Em um bairro da cidade.
Em um município de grande porte.
Em uma região do país.
Em um estado da federação.
Páginas: 12