ANÁLISE DO DISCURSO


Para Foucault (1969), o enunciado é a materialidade repetível, ou seja, a sequência linguística que faz sentido em uma situação, é, também,  a unidade elementar do discurso (discurso é um conjunto de enunciados que pertence à mesma formação discursiva.).O enunciado acontece toda vez que o indivíduo emite um conjunto de signos, podendo ser repetível, enquanto a enunciação não se repete, ela é singular.

No enunciado: “Lugar de mulher é na cozinha’, temos:

Assinale a alternativa correta.


Há um enunciado que confirma a luta da mulher pela igualdade de gêneros.


Há um enunciado que pertence à uma formação discursiva do discurso machista.


O enunciado pertence à uma formação discursiva que justifica a luta dos jovens por um ensino melhor.

 


Há uma enunciação religiosa, cujo enunciado comprova as crenças desse segmento.


O enunciado diz respeito às reivindicações das mulheres modernas.

Para responder a esta questão, você deverá criar/imaginar a seguinte cena retirada de uma charge de Lila.

Uma criança pobre, barriga grande, descalça e usando apenas bermudas, conversa com a mãe e diz:

“ - Mãe, meu sonho quando crescer é ser um prefeito, deputado, senador ou governador.”

Ao que a mãe responde:

“ – Já, eu gostaria que você fosse um homem trabalhador”.

A partir disso, pode-se afirmar que:

I – A mãe, mesmo sendo carente, é consciente das atitudes de alguns políticos e não se deixa enganar facilmente.

II – No discurso do filho, fica claro, para ele, que ser político é algo bom.

III – As  identidades dos sujeitos são construídas na sociedade que o cerca.

IV – Nossa identidade deve ser entendida como uma construção individual, pois os outros não a influenciam.

V – As situações discursivas, que incluem questões históricas sociais, valores, convicções, representadas na charge, contribuem para o processo de produção dos sentidos do leitor.

Estão corretas as afirmativas.


III e V.


I, II, III e V.


III, IV e V.


I, II, III e IV.


I, III e IV.

Freitas (2001) afirma ser necessário que o leitor tenha uma atitude responsiva ativa diante do texto. Compreender é participar de um diálogo com o autor, com o destinatário, com o outro.

Bakhtin (1995) diz que toda palavra comporta duas faces. Ela constitui justamente o produto da interação do locutor e do ouvinte.

A partir dessas reflexões, vamos imaginar uma foto, que tenha sido publicada em um jornal impresso de grande circulação: “um quadro de giz, de uma escola pública da periferia de uma capital brasileira, com a palavra VIOLÊNCIA nele escrita. Além disso, aparecem no quadro vários desenhos de carteiras quebradas, vidraças estraçalhadas, e de marcas de tiros de arma de fogo nas paredes.”

Agora, você, como leitor ativo, dialogue com essa imagem, pensando nas condições de produção em que essa foto está inscrita e conclua que:

 

I Vive-se em um país marcado pela violência, principalmente, em grandes cidades.

II Muitos alunos, que buscam a escola para adquirir conhecimentos, encontram nela um ambiente de medo e de insegurança.

III A situação da violência, que assusta pais, alunos, professores, tem maior incidência em escolas de regiões mais pobres.

IV A escola, hoje, tem como concorrentes as tecnologias usadas pelos jovens, o que os desestimulam a continuar seus estudos.

Assinale a opção que tenha afirmações verdadeiras de acordo com o que está posto anteriormente.

É correto o que se afirma em.


III e IV.


I, e III.


I, III e IV.


II e III.


 I, II e III.

No livro de apoio, há uma afirmação referente aos efeitos de sentidos em letras de música que foram censuradas na época do regime militar no Brasil( de 1964 a 1985): “aceitar que se está sempre no jogo, na relação das diferentes formações discursivas, na relação entre diferentes sentidos é falar em efeitos de sentido”. Nesse lugar se situa o silêncio, ou seja, as maneiras de fazer significar os sentidos censurados.

Analisemos a letra da canção de Chico Buarque, “Apesar de você”.

(...) Apesar de você amanhã há de ser um outro dia.

Ainda pago pra ver

O jardim florescer

Qual você não queria.

Você vai se amargar

Vendo o dia raiar

Sem lhe pedir licença.

(...)

 

O pronome você, na letra da canção, não se refere a uma pessoa, em especial, mas a um regime de governo, no caso ao governo ditatorial. Usa-se o discurso amoroso para falar de política.

Continuando a análise, que efeitos de sentido, os versos, a seguir, podem desencadear no interlocutor?

“Ainda pago pra ver

O jardim florescer

Qual você não queria.

Você vai se amargar

Vendo o dia raiar.

Sem lhe pedir licença.” (Chico Buarque).

Assinale a opção correta.


O autor tem esperança de que um dia, talvez, os militares voltem ao poder, e a liberdade reine.


O autor tem a certeza de que o governo ditatorial vai acabar, e um novo tempo vai surgir, ou seja, um tempo de liberdade e de alegria.


O período do governo ditatorial impediu que  o casal realizasse o sonho do casamento.

 


O autor tem uma certa esperança de que um dia, talvez, os militares saiam do poder, e a liberdade reine.


O autor não tem a certeza de que o governo ditatorial vai acabar, e um novo tempo vai surgir, ou seja, um tempo de liberdade e de alegria.

Analisando o que é a formação discursiva, no livro de apoio, observamos que ela faz parte  das práticas discursivas e está presente em  uma determinada situação, que ocorre em  determinados espaço e tempo e  que pode ser articulada com dizeres em forma de sermão, conselhos, panfletos, exposições, debates dentre muitos outros.

Diante disso, observamos que, normalmente,  as formações discursivas dizem respeito às grandes unidades históricas, aos grandes fatos sociais, constituídos pelo enunciados.

Leia atentamente as alternativas e observe aquela, cujo enunciado se enquadra em uma prática discursiva, que se relaciona a grandes fatos sociais.

Assinale a opção correta.


A escola do bairro São Benedito fechará as portas nesta semana, que antecede as festividades religiosas do bairro.


Um acidente grave ocorreu no interior da Bahia.

 


Houve morte, depois da briga de família, no casamento deste final de semana.


No Fórum Mundial sobre o  meio ambiente, ficou determinado a todos os países um padrão de consumo sustentável para todos os países.


As crianças da creche da Vila Maria ficaram sem leite, após as férias do meio do ano.

A leitura implícita é aquela que envolve algo que está no contexto, mas não é revelado, é deixado subentendido, é apenas sugerido.

Pode-se dizer, também, que é alguma ideia que está contida numa proposição, numa afirmação, mas não está expressa formalmente, não declaradamente apresentada, ou seja, está subentendida.

A partir da história de Dik Browne, diga o que está implícito na fala da mãe da jovem. Mãe e filha vão a uma vidente, ou seja, uma senhora que faz previsões para o futuro. A jovem filha pergunta à vidente qual seria o segredo para um casamento perfeito, repleto de felicidade. A vidente responde que um casamento perfeito depende de um homem que ajude nas tarefas de lar, que não fique até tarde no bar com os amigos, que não faça bagunça em casa, dentre outras coisas.

A mãe da jovem imediatamente intervém e diz: “Em outras palavras... case com um homem morto.”

Assinale a opção correta.


A vidente afirma que a jovem logo encontrará um homem perfeito e será feliz para sempre, como nos contos de fada.


A mãe da jovem ficou muito feliz com a conclusão da vidente ao dizer que um casamento perfeito depende de um homem que ajude nas tarefas de lar, que não fique até tarde no bar com os amigos e que não faça bagunça em casa.


A afirmação da mãe  deixa claro que o casamento traz felicidade, já que o homem perfeito não existe.


A jovem não concordou com a posição da mãe, pois ela acredita que irá encontrar um homem que ajude nas tarefas de lar, que não fique até tarde no bar com os amigos.

 


A afirmação da mãe deixa claro que felicidade e casamento são incompatíveis, já que o homem perfeito não existe.

 No livro de apoio “Estudos semântico-discursivos da língua portuguesa, volumes 1 e 2”, 6.5, há um texto narrado durante uma campanha publicitária intitulada “Eu quero menos”, das Sandálias Havaianas.

Eu quero menos

Menos preocupação.

Menos formalidade.

Menos nuvem no céu.

Menos roupa.

[...]

Menos escritório.

Menos cara feia.

[...]

Menos distância.

Menos complicação.

A partir dos indícios linguísticos presentes no texto, invertendo, inclusive o valor semântico da palavra “menos”, há descrição da rotina diária de um sujeito discursivo que emerge da campanha publicitária. Essa campanha quer vender um objeto que vai possibilitar a esse sujeito um tipo de vida diferente da que ele tem.

Assinale a opção que indica a rotina desejada e vendida pela campanha.

 


O sujeito discursivo deseja uma vida mais leve, ao ar livre, com pessoas felizes, na praia, na piscina, no campo.


O sujeito discursivo almeja uma vida mais leve, distante das complicações familiares.


O sujeito discursivo pretende ter  uma vida ao ar livre, com seus colegas de trabalho.


O sujeito discursivo quer menos compromisso com as questões políticas e sociais do lugar onde vive.


O sujeito discursivo deseja uma vida mais leve, aproveitando as suas férias em um retiro de meditação.

Nos estudos da Análise do Discurso, que é uma disciplina da Linguística, há vários conceitos importantes para as análises de textos verbais, visuais e verbo-visuais. Esses conceitos compõem a base teórica da AD.

Diante disso, relacione os termos a seguir com as suas definições:

1 – Formação discursiva

2 – Enunciado

3 – Enunciação

4 – Ideologia

5 – Análise do Discurso

( ) Disciplina da Linguística que tem como objetivo compreender a língua “fazendo” sentido; concebendo a linguagem como mediação necessária entre o homem e a realidade natural e social e levando em consideração o meio social, histórico, cultura, ideológico.

( ) Cuida do que pode e deve ser dito/escrito pelo sujeito e depende das condições de produção específicas, historicamente definidas e de acordo com determinada época e determinado lugar social. Depende também dos objetivos e finalidades dos sujeitos em interação.  Ultrapassa a frase como sequência linguística.

( ) É a materialidade repetível, o que é dito/escrito, como unidade elementar do discurso, é um acontecimento aberto à repetição, à transformação, à reativação.

( ) É marcada pela singularidade, é um acontecimento único e irrepetível, pois tem data e lugar determinados. Um evento com efeitos de sentido entre sujeitos em interlocução.

( ) É um conjunto lógico, sistemático e coerente de representações (ideias e valores) e de normas ou regras (de conduta) que indicam e prescrevem aos membros da sociedade o que e como devem pensar, o que e como devem valorizar, o que e como devem sentir. Convicções, concepções de mundo determinados por grupos sociais.

Assinale a sequência que identifica os conceitos.


4, 3, 2, 1, 5.


2, 1, 3, 5, 4.


3, 1, 2, 4, 5.


5, 1, 2, 3, 4.


5, 2, 1, 3, 4.

De acordo com nosso livro de apoio, a Análise do Discurso francesa rejeita qualquer estudo da  metalíngua, ou seja, não se interessa pela estrutura da língua  e suas sequências linguísticas como fonte única de significado. Ela se constitui no campo dos processos de produção de sentidos, que combate as certezas e as evidências da linguagem.

O que essas afirmações significam?

Assinale a opção correta.


Essa teoria transcende, vai além  das questões da linguagem, que envolvem a gramática da língua ou apenas o tema do texto, ou a estrutura da frase e passa a considerar a  exterioridade, ou seja, tudo que abrange a sociedade, a história do país, as relações políticas, dentre outras situações.


Essa teoria se preocupa somente com as questões morfológicas e sintáticas da língua.


Essa teoria não se interessa pelo aspecto dialógico da língua.

 


Análise do Discurso não se preocupa com o processo crenças , estabelecido em um determinado grupo social, como construtor de sentidos.


Análise do Discurso deixa de levar em consideração os aspectos extralinguísticos e foca nos aspectos gramaticais.

No nosso livro de apoio, encontramos a afirmação, a partir dos estudos de Michel Pêcheux, de que a Análise do Discurso, que surge da década de 60, tinha uma proposta de análise de um texto, de um enunciado, de uma palavra, de uma imagem, considerando o sujeito e as condições de produção (quem fala/ouve/escreve/lê, para quem, quando, em que lugar...) como determinantes da manifestação discursiva, tanto de quem fala ou lê, quanto de quem ouve ou escreve. Assim, há uma relação dialógica entre os participantes do discurso.

Diante do exposto, o que significa considerar as condições de produção como determinante da manifestação discursiva?

Assinale a opção correta.


Considerar o sujeito e as condições de produção como determinantes da manifestação discursiva se aproxima de um estudo estrutural da língua, cujo princípio é a forma.


Ao levar em consideração o sujeito e as condições de produção como determinantes da manifestação discursiva significa dar importância às estruturas  linguísticas.


Considerar o sujeito e as condições de produção como determinantes da manifestação discursiva significa levar em conta os pontos de vista, as crenças, as leituras já feitas, as experiências adquiridas, enfim a história a que esses sujeitos estão envolvidos.


Considerando o sujeito e as condições de produção como determinantes da manifestação discursiva quer dizer que autor e leitor dependem somente das questões gramaticais para compreenderem o texto.

 


Ao levar em consideração o sujeito e as condições de produção como determinantes da manifestação discursiva significa dizer que o leitor focará no tema da produção textual.

Páginas: 12