A COLONIZAÇÃO EUROPÉIA NAS AMÉRICAS


Leia com atenção o fragmento a seguir:


O expansionismo, ou a superação da era do Mediterrâneo pela do Atlântico c do Índico, é um momento decisivo na história, quando se alargam os horizontes econômicos e políticos como os geográficos. Supera-se aos poucos o limite do homem medieval, não só em extensões mais dilatadas, incluindo a Ásia, a África e a América, como também com uma nova visão do humano e do social, não mais preso ao teocentrismo da Idade Média, mas aberto ao antropocentrismo que vai caracterizar a Idade Moderna. (IGLESIAS, Francisco. Encontro de duas culturas: América e Europa. Estudos Avançados, 6(14), 1992, p.25).


O texto faz menção ao período do expansionismo, que permitiu aos europeus conhecerem novas terras e novos povos além-mar. Sobre o expansionismo espanhol, é correto afirmar que:


O expansionismo marítimo e geográfico espanhol, marcou o início do capitalismo industrial no país, tendo em vista que a economia foi fortalecida pela grande quantidade de ouro e prata que foram retirados da América.
O expansionismo espanhol, de caráter tradicional, se consolidou a partir da guerra contra os povos mais fracos, que eram submetidos política e militarmente, e obrigados a trabalhar para os conquistadores ou pagar-lhes tributos.
A Guerra de Reconquista marcou o fim do expansionismo espanhol, que teve início com a conquista da América e a colonização das terras encontradas por Cristóvão Colombo.
A Espanha foi pioneira no expansionismo marítimo europeu, ao encontrar, pela primeira vez, terras até então desconhecidas que Cristóvão Colombo reconheceu como sendo um novo continente.
A vitória na Guerra de Reconquista e o início do processo de formação do Estado espanhol forneceram subsídios políticos, financeiros e religiosos para que a Espanha promovesse sua expansão ultramarina.

Na América Inglesa as colônias do Norte adotaram como mão-de-obra a servidão por contrato e as do Sul a mão-de-obra escrava africana. Com relação às principais diferenças entre essas duas formas de trabalho e os interesses das colônias em adotar distintas formas de trabalho, analise as afirmativas a seguir:

 

I - Ambas as formas de trabalho são compulsórias, entretanto, para o servo de contrato o trabalho forçado era por tempo limitado e para o escravo era para a vida toda.

II - Os trabalhadores servis não perdiam sua condição humana, ao contrário dos escravos, que eram considerados como propriedades e mercadorias.

III - O predomínio de uma sociedade mais igualitária nas colônias do Sul levou à manutenção do trabalho escravo, que era o motor do crescimento econômico.

IV - A forte presença calvinista trouxe um novo significado ao trabalho, apesar disso, um servo não podia ascender socialmente após pagar sua dívida de contrato.

 

É correto apenas o que se afirma em:


III e IV.
II e III.
I, III e IV.
I, II e IV.
I e II.

Leia com atenção o fragmento a seguir:


O grande interesse pela educação tornou as 13 colônias uma das regiões do mundo onde o índice de analfabetismo era dos mais baixos. Apesar das variações regionais (o sistema educacional da Nova Inglaterra era melhor do que em outras áreas) e raciais (poucos negros eram alfabetizados), as 13 colônias tinham um nível de educação formal bastante superior à realidade dos séculos XVII e XVIII. (KARNAL, Leandro. História dos Estados Unidos: das origens ao século XXI, p.50).


A presença de protestantes na América do Norte e seus princípios religiosos possibilitaram às Treze Colônias a organização de um sistema educacional que se apresentou superior à realidade dos séculos XVII e XVIII. Essa influência foi possível principalmente por que:


o princípio de tolerância religiosa permitiu a todas as religiões presentes na colônia contribuir para o processo de incentivo à educação dos colonos.
a imposição da religião protestante não permitiu a criação de outras universidades que não fossem religiosas.
a importância da leitura individual da Bíblia protestante determinou um significativo impulso educacional nas colônias.
as universidades ampliaram o acesso ao ensino superior, mas não impediram o crescimento analfabetismo entre os colonos mais pobres.
a Igreja católica apoiou os protestantes na criação de universidades para ampliar sua influência nas colônias da América do Norte.

Fisicamente, muitas cidades coloniais espanholas foram construídas como um tabuleiro de xadrez, isto é, com quarteirões quadrados ou retangulares, que seguiam a partir de uma praça central ao redor das quais se estabeleciam os edifícios administrativos, judiciais e religiosos.

Esse plano “clássico” das cidades com o traçado em quadrícula representou, principalmente:


a falta de criatividade do urbanismo espanhol que não soube desenvolver cidades mais clássicas como as europeias.
um meio simples e rápido para edificar a cidade e manter a dominação com base na ordem e simetria da organização urbana.
o planejamento de uma "cidade ideal", que pretendia consolidar a construção de uma sociedade miscigenada e democrática.
a tentativa de dominar o território criando cidades de forma desordenada para abrigar os colonos.
uma forma mais rápida de construção para proteger o território de ataques indígenas.

Leia a citação a seguir:


Moldada em uma situação inédita, a mentalidade fundadora elaborou uma ideologia confusa e contraditória apenas na aparência. A rigor, correspondia exatamente à nova sociedade feudo-burguesa que se constituía nessas Índias que queriam ser uma nova Europa, mas que, na verdade, eram somente fronteira e periferia da Europa velha.(ROMERO, José Luis. América Latina: as cidades e as ideias. 2004, p.100)

A respeito da mentalidade fundadora no processo de construção das cidades espanholas, podemos afirmar que:


As cidades coloniais em nada se assemelhavam com as cidades europeias, principalmente em virtude da preservação das cidades indígenas, que possuíam grande esplendor.
A América representava uma Nova Espanha, mas as cidades coloniais deveriam preservar os modos de vida nativos para facilitar o processo de domesticação dos indígenas.
Como a Europa preservava uma mentalidade medieval, a mentalidade fundadora espanhola implantou um modelo renascentista para as cidades coloniais na América.
A América era vista uma extensão da Europa, por esta razão, a ideia de destruir para implantar o modelo urbano europeu implicava uma visão mundo européia, cristã e expansionista.
As cidades coloniais deveriam ser superiores às cidades europeias, por isso a mentalidade fundadora espanhola inaugurou um novo modelo de urbanização: o traçado quadriculado.

A expansão marítima de Espanha e de Portugal tinha por objetivo, além dos interesses econômicos, impor à América uma cultura cristã. A respeito do papel da Igreja Católica no projeto colonizador espanhol, analise as afirmativas a seguir:

 

I - A Igreja estava interessada em expandir o catolicismo para compensar a perda de fieis na Europa em virtude da Reforma religiosa.

II - A Igreja Católica concedia plena liberdade de culto a colonizadores e colonizados.

III - A Igreja Católica teve ação atuante nas colônias, mas a religiosidade não se tornou um componente forte da vida social e cultural na América Espanhola.

IV - Entre a Igreja e o Estado espanhol existiu uma parceria quase que perfeita: o estado contribuiu com a força, a Igreja com a ideologia. 

 

É correto o que se afirma em:


III e IV
II e III
I, II, III e IV
I, II e III
I e IV

Dos órgãos administrativos coloniais, os cabildos vão assumir grande importância para a elite criolla dentro do processo de colonização. Sobre os cabildos, podemos afirmar que eles eram:


câmaras municipais encarregadas da administração das cidades coloniais e que possuíam considerável autonomia local.
associação de pessoas da mesma profissão sujeitas às mesmas regras e estatutos, com os mesmos deveres e direitos dentro do governo colonial.
contratos estabelecidos entre a Coroa e os adelantados, que estabelecia o monopólio de comercializar os escravos negros no continente americano.
companhias comerciais criadas pela Casa de Contratación e que tinham a exclusividade do comércio com a colônia, cidade ou região.
sede do governo criollo nas audiências, que assumiam o poder político colonial na ausência de um vice-rei espanhol.

Leia com atenção a citação abaixo:


Não se pode negar que o comportamento do conquistador foi sempre violento: matou milhares de indígenas, saqueou suas riquezas, explorou sua força de trabalho, desestruturou o mundo nativo mediante uma conquista que não foi unicamente militar, mas também racial, religiosa, econômica, cultural e politica. (AQUINO, Rubim Santos Leão de. História das Sociedades Americanas, p.57)


A citação diz respeito a um determinado período da colonização espanhola nas Américas. Esse período se refere:


ao processo de povoamento das cidades, que exigia o total extermínio dos povos nativos para abrigar o grande contingente de colonizadores que vinham fugidos da Espanha.
à etapa inicial, cuja colonização foi determinada pela conquista dos territórios e a dominação dos povos nativos.
à instalação dos vice-reinos e capitanias, que exigiu uma maior organização dos colonizadores para atender às demandas da Coroa espanhola.
à organização da expansão marítima, cuja exploração do território revelou a falta de riquezas e levou à uma guerra civil contra os nativos.
ao período de decadência das colônias, que impulsionou as revoltas coloniais e abriu caminho para as independências.

Sobre os mecanismos de conquista da América, muitos autores colocam como causa da dizimação das populações indígenas a ação violenta dos espanhois durante os primeiros anos de invasão. No entanto, pesquisas históricas recentes apontam outras causas, além da guerra declarada, das quais podemos destacar:


a ausência de técnicas bélicas por parte das populações indígenas, diante do numeroso exército espanhol.
a incapacidade das populações indígenas em se adaptarem aos padrões culturais do colonizador.
as trocas de mercadorias com os nativos, estimuladas pelos colonizadores, tornando a conquista um processo pacífico.
a série de doenças trazidas pelos espanhóis, como varíola, tifo e gripe, para as quais as populações indígenas não possuíam defesa.
a passividade completa das populações indígenas, decorrente de suas crenças religiosas.

Durante o período de conquista e colonização da América, várias mudanças vão ocorrer nas sociedades europeia e americana devido ao impacto causado pelo encontro desses mundos. Sobre as visões da conquista da América no século XVI e XVII, considere as afirmativas a seguir:


I - Tolerância e opressão foram instrumentos utilizados pelos europeus na ocupação do continente americano.
II - A Busca do Eldorado foi muito forte entre os espanhois. Fato que levou à montagem de uma administração preocupada, primeiramente, em cristianizar os gentios.
III - Nas representações cartográficas, depois da descoberta do Novo Mundo, a Europa, identificada com o cristianismo, representava-se como o continente detentor de um formidável poder geopolítico em face da Ásia, da África e da América.
IV - Entre as imagens que os europeus construíram acerca do Novo Mundo, destacavam-se as visões que ressaltavam a pureza dos povos nativos e a fertilidade da terra.


É correto apenas o que se afirma em:


II, III e IV
III e IV
II e IV
I e II
I, II, III e IV
Páginas: 123