MECÂNICA DOS SOLOS II


Para o esquema indicado a seguir, calcule o valor da última cota c3. Sabe-se que a primeira cota (c1) situa-se a 4 m de profundidade. Na última cota (c3), a tensão vertical equivale a 372 kPa e a tensão efetiva equivale a σ’ = 292 kPa.


14 m


15 m


12 m


13 m


16 m

Sobre a Figura acima e considerando os efeitos de capilaridade, podemos afirmar:

1)    A cota Zw indica o início da pressão neutra.

2)    A região onde a tensão total é igual a tensão efetiva é indicada por ZA.

3)    O Solo saturado pertence a região (ZB – Zw).

Está correto o que se afirma em:


Apenas 3.


Apenas 2.


2 e 3.


Apenas 1.


1, 2 e 3.

As tensões totais ao longo da profundidade onde a cota é -16 são, respectivamente:


294 KN/m².


126 KN/m².


168KN/m².


218KN/m².


134KN/m².

Sendo k uma constante para cada solo, que recebe o nome de coeficiente de permeabilidade analisando a tabela juntamente com a Lei de Darcy, é correto afirmar que:

1) Um concreto bem dosado e vibrado sem fissuras tem coeficiente de permeabilidade da ordem de 10-12cm/segundo, o que seria próximo de uma Argila.

2) Quanto maior o valor de k menor a vazão.

3) K e a Área são diretamente proporcionais. 

Está correto o que se afirma em:


Apenas 2.


Apenas 1.


Apenas 3.


1, 2 e 3.


2 e 3.

De acordo com Karl von Terzaghi (s.d, s.p), "consolidação é qualquer processo que envolve uma diminuição no teor de água do solo saturado, sem reposição de água por via aérea". Em geral, é o processo em que a redução do volume tem lugar por expulsão de água sob cargas estáticas de longa duração. Ocorre quando a tensão é aplicada a um solo que faz com que as partículas do solo para embalar em conjunto com mais força, reduzindo, portanto, o seu volume a granel. Quando esta situação ocorre em um solo que está saturado com água, a água irá ser espremida para fora do solo. A magnitude de consolidação pode ser prevista por muitos métodos diferentes. No método clássico, desenvolvido por Terzaghi, solos são testados com um teste edométrico para determinar o seu índice de compressão. Isto pode ser utilizado para prever a quantidade de consolidação. 

Com base nessas informações, o parâmetro utilizado para estimar a tensão de pré-adensamento, conforme sua multiplicação pela tensão vertical efetiva atual de campo, é:

 

 


Permeâmetro circular. 


OCR.


Granulometria.


Piezômetro.


Permeâmetro.

A fórmula de Love, indicada a seguir, permite determinar o valor da tensão vertical σz considerando superfícies flexíveis e circulares uniformemente carregadas (figura abaixo). A aplicação da fórmula de Love é útil para traçar bulbos de tensões e verificar o aspecto da distribuição das tensões verticais no subsolo de um terreno.

Com base nessas informações, calcule a tensão vertical devido a uma placa circular carregada a 10 kN/m², com raio de 3,55 m, nas profundidades z1 = 1,0 m e z2 = 2,5 m. Considerar que σ1 é obtida em função de z1, enquanto σ2 é determinada em função de z2. Em seguida, efetue a relação entre as tensões calculadas (σ1 / σ2) e marque a resposta correta. Em caso de resposta decimal, considerar uma casa após a vírgula.


σ1 / σ2 = 1,0


σ1 / σ2 = 1,5


σ1 / σ2 = 1,3


σ1 / σ2 = 1,2


σ1 / σ2 = 1,7

Determinando os valores de tensão de pré-adensamento:


Valor aproximado para a tensão de pré-adensamento para Casagrande e Pacheco e Silva corresponde aproximadamente:



90 .10² Pa


90 kPa


600 . 10² Pa


80 kPa


80 .10² Pa

O conceito de elasticidade abrange, unicamente, a proporcionalidade entre as tensões e deformações. Como consequência tem-se o princípio da superposição de forças e tensões. Todavia, os solos não obedecem rigorosamente a essa proporcionalidade! Nem quando se considera as deformações volumétricas dos ensaios de adensamento, nem as deformações cisalhantes obtidas nos ensaios de cisalhamento.

Para que seja aproximadamente válida a aplicação da teoria da elasticidade, são necessárias 2 condições.

Assinale a alternativa que apresenta as duas condições: 


Os acréscimos de pressão sejam pequenos e o estado final de tensões esteja muito distante dos estados de estabilidade.


Os acréscimos de pressão sejam grandes e o estado final de tensões esteja muito distante dos estados de ruptura.


Os acréscimos de pressão sejam pequenos e o estado final de tensões esteja muito distante dos estados de ruptura.


Os decréscimos de pressão sejam pequenos e o estado final de tensões esteja muito distante dos estados de estabilidade.


Os decréscimos de pressão sejam grandes e o estado final de tensões esteja muito distante dos estados de estabilidade.

A partir de seus conceitos estudados, julgue os itens abaixo:

  1. As soluções para distribuições de tensões no solo são todas baseadas na Teoria da Elasticidade e indicam acréscimos de tensões vertical que independem do Módulo de Elasticidade e Coeficiente de Poisson, visto que houveram as simplificações quanto a isotropia e principalmente homogeneidade.
  2. O solo se apresenta em estratos constituídos por materiais variados ou mesmo quando formado por um tipo de material só, ainda apresenta tendência natural a valores de módulo de elasticidade crescentes com a profundidade. Visto isso, há necessidade de soluções mais elaboradas ou uso de soluções numéricas para se conseguir melhores resultados.
  3. O solo se apresenta em estratos constituídos por materiais variados ou mesmo quando formado por um tipo de material só, ainda apresenta tendência natural a valores de módulo de elasticidade decrescentes com a profundidade. Visto isso, há necessidade de soluções mais elaboradas ou uso de soluções numéricas para se conseguir melhores resultados.

Está correto o que se afirma em:


1 e 2.


Apenas 3.


Apenas 1.


1 e 3.


Apenas 2.

Com base no gráfico abaixo, determine o valor (aproximado) do grau de adensamento para uma certa camada de solo, considerando as seguintes propriedades:

Cota: z = 3 m;

Distância de drenagem: Hd = 4 m;

Fator tempo: Tv = 0,7.


0,70


1,0


0,90


0,80


0,60

Páginas: 123456