CULTURA INDÍGENA E AFRO-BRASILEIRA


Leia com atenção:

 

Os indígenas têm direito, como povos ou como pessoas, a usufruir plenamente de todos os direitos humanos e liberdades fundamentais reconhecidos pela Carta das Nações Unidas, pela Declaração Universal de Direitos Humanos e pela normativa internacional dos direitos humanos.

[Os povos indígenas têm o direito de determinar] livremente sua condição política e perseguem livremente seu desenvolvimento econômico, social e cultural.

[Os povos indígenas têm o direito] ao autogoverno nas questões relacionadas com seus assuntos internos e locais, assim como a dispor dos meios para financiar suas funções autônomas.

(Declaração dos Direitos dos Povos Indígenas, ONU, 2007)

 

Os artigos citados estão diretamente relacionados aos seguintes direitos que devem ser assegurados pelos Estados aos povos indígenas:

 


Autodeterminação e consentimento livre.


Livre determinação e liberdade de expressão.


Posse da terra e manutenção de suas culturas.


Autonomia e livre determinação.


Consentimento livre e reparação de bens.

A denominação “índio” foi atribuída aos povos americanos pela primeira vez por Cristóvão Colombo, em 1492, por imaginar ter chegado às Índias, quando na verdade aportou em território Caraíba. Com o passar dos séculos e com a interação de nativos e colonizadores, os termos “índio” ou “indígena” passaram a ser usados como um genérico, muitas vezes de forma pejorativa. Sobre a crítica da historiografia em relação ao termo “índio” é correto afirmar que:

 


é o que melhor define os povos nativos do Brasil, já que cada civilização americana tem sua denominação.


trata-se de uma designação ampla, que procura englobar a diversidade de grupos humanos da América.


trata-se de um conceito homogêneo, que procura reforçar a visão histórica dos povos americano.


é o que melhor define os povos das Américas, valorizando a particularidade de cada civilização.


trata-se de um conceito civilizador, que justificou a superioridade dos nativos sobre os europeus.

Leia as frases abaixo:
A colonização portuguesa iniciou-se com a escravidão da população indígena, utilizada no extrativismo, nas lavouras de cana-de-açúcar e nos engenhos. (Marçal, J. A. Educação escolar das relações étnico-raciais. Intersaberes, 2015, p. 19)


Assim, além de colonizados, os índios foram subjugados, explorados e estereotipados, fortalecendo-se a ideia de que eram portadores de uma cultura inferior. (Idem, p. 20)

 

De acordo com as frases acima, pode-se afirmar que os fatos apresentados:
 


Confirmaram a ideia do “encontro” entre portugueses e nativos que deram origem ao multiculturalismo.


Legitimaram a superioridade cultural dos portugueses em relação aos índios.


Representaram a destruição cultural dos povos indígenas e a prevalência da cultura europeia.


Efetivaram a escravização dos índios sem nenhuma resistência.


Contribuíram para a construção de pensamentos pejorativos a respeito dos índios.

A luta pela garantia de direitos para a população negra data e longa época, porém o Brasil não se reconhecia como país racista e tal postura dificultou a implementação de políticas públicas que visassem à correção da desigualdade entre negros, pardos e brancos. Qual foi o marco histórico que tornou possível ao Brasil reconhecera desigualdade racial no país e justificou a adoção de medidas de ação afirmativa?

 


A criação do Estatuto da Igualdade Racial, Lei n. 12.288/2010, destinada à defesa dos direitos étnicos individuais.


A aprovação da Lei n. 10.639/2003, que estabelece o ensino de História e cultura africana e afro-brasileira na Educação Básica.


A Conferência Mundial contra o Racismo, Discriminação Racial, Xenofobia e Intolerância Correlata, realizada em 2001.


A luta do povo negro e o fortalecimento dos movimentos sociais na década de 1980.


O estabelecimento de uma política de cotas para as universidades federais, com a Lei n. 12.711/2012.

A implementação dos instrumentos internacionais exige que haja disponibilidade do Estado Brasileiro para com os Povos Indígenas. Por isso é importante lembrar que a ideia é avançar no exercício dos direitos. Para tanto, o uso de instrumentos internacionais de direitos humanos vem servir como base de interpretação das legislações domésticas referentes a direitos indígenas, tratando os Povos Indígenas como verdadeiros sujeitos de direito. (WAPICHANA, Joênia. A Implementação dos instrumentos internacionais – desafios e fortalecimento dos povos indígenas. In: Um olhar indígena sobre a declaração das Nações Unidas. ONU, 2008, p. 32)

 

Considerando esse contexto, avalie as seguintes asserções e a relação proposta entre elas:

 

I. A Declaração dos Direitos dos Povos Indígenas da ONU amplia e fortalece os argumentos do Movimento Indígena no Brasil.

PORQUE

II. Alguns direitos como autonomia, autogoverno e propriedade de suas terras, já eram reconhecidos nos sistemas de organização indígenas.

 

A respeito dessas asserções, assinale a opção correta:

 


As asserções I e II são falsas.


A asserção I é falsa, e a II é verdadeira.


As asserções I e II são verdadeiras, mas a II não é uma justificativa da I.


As asserções I e II são verdadeiras, e a II é uma justificativa da I.


A asserção I é verdadeira, e a II é falsa.

A cultura afro-brasileira estabeleceu-se sob o jugo da violência repressiva e conseguiu se desenvolver apesar de todas as tentativas de silenciá-la, durante os séculos de escravidão e período subsequente. Um de seus desdobramentos foi a literatura, sobre a qual destacamos os seguintes aspectos:

 

I - A tradição literária afro-brasileira foi concebida em sua forma escrita, praticamente durante todo o período colonial, apesar das obras serem distribuídas de forma clandestina entre os escravos.

II - Machado de Assis, Lima Barreto e Luis Gama são grandes expoentes da literatura afro-brasileira, cujas obras abordavam as questões relativas ao negro no Brasil.

III - A literatura negra no Brasil surgiu como estratégia de sobrevivência psicológica e como forma de resistência em relação ao cânone literário dominante.

 

 

É correto o que se afirma em:

 


I, II e III.


II, apenas.


I e III, apenas.


III, apenas.


II e III, apenas.

O que hoje se convencionou chamar de movimento negro possui longa origem histórica e é composto de várias nuances. Remontando ao período colonial e aos tempos da escravidão, a luta pela extinção de desigualdades entre negros e brancos compõe a pauta de reivindicações dos diversos movimentos.

Identifique abaixo, com base no texto Relações étnico raciais: algo sobre os brasileiros, os itens que contém exemplos de reivindicações que foram se incorporando a esses movimentos no Brasil:

 

I - Direito à liberdade religiosa e de culto para os praticantes das religiões afro-brasileiras e direito à igual participação no mercado de trabalho.

II - Direito em concursos públicos e instituições de ensino superior por meio de cotas e contratações preferenciais.

III - Direito a cotas para a atuação de artistas negros nas peças de publicidade, nos programas de televisão e filmes, entre outros.

IV - Direito preferencial às terras destinadas à reforma agrária, para produzir com dignidade o alimento necessário à sobrevivência familiar.

 

É correto apenas o que se afirma em:

 


I, II e III.


II, III e IV.


I e III.


I, II e IV.


II e III.

Conforme as abordagens do capítulo de estudos, pode-se considerar como fontes para desenvolver o conteúdo de educação étnico-racial e da história e cultura afro-brasileira e indígena:

 

I – O conhecimento prévio dos alunos sobre o tema.

II – Os livros didáticos e paradidáticos.

III – Vídeos, fotografias ou outras fontes visuais

IV – Textos de jornais, científicos e literários.

 

É correto o que se afirma em:

 


I, II, III e IV.


I, III e IV, apenas.


II e III, apenas.


I e II, apenas.


II e IV, apenas.

Leia atentamente o trecho abaixo:

Na realidade, a história está onipresente. Está presente, primeiro, moldando unidades e culturas novas, cuja homogeneidade reside em grande parte numa trajetória compartilhada. (Cunha, Manuela Carneiro da. Introdução a uma história indígena. SP: FAPESP, 1992).

 

A partir da citação e dos estudos realizados, é correto afirmar que as sociedades indígenas na atualidade:

 


preservaram alguns modos de vida integrados à sociedade brasileira.


vivem no mesmo estágio atrasado e primitivo, sem qualquer interação.


permanecem isoladas de outras culturas para manter sua identidade.


são povos sem história, sem cultura e sem desenvolvimento tecnológico.


sofreram um intenso processo de aculturação e assimilação da cultura ocidental.

Considerando as políticas públicas voltadas para os direitos dos povos negros, o Estatuto da Igualdade Racial (Lei 12.288/2010) se tornou um marco jurídico importante, cuja efetivação busca tornar o Brasil mais democrático, justo e igualitário. Sobre esse Estatuto é possível afirmar que:

 


Implementa a política de cotas raciais nas universidades federais, visando oportunizar o acesso da população pobre e negra ao ensino superior.


Restringe à população negra o acesso à saúde; educação, cultura e lazer; liberdade de crença; acesso à terra e moradia; trabalho e meios de comunicação.


Visa garantir a efetivação da igualdade de oportunidades, promovendo o enfrentamento das desigualdades étnicas e reconhecimento dos direitos à população negra.


Adota o princípio da igualdade raças, evidenciando a participação da população negra, em condição de superioridade na vida econômica, social, política e cultural.


Evidencia a desigualdade de gênero, acentuando a distância social entre mulheres negras e os demais segmentos sociais

Páginas: 123456