MODERNIDADE: A ORDEM BURGUESA E A ERA DO CAPITAL


Em sua obra “História e memória”, o renomado historiador francês Jacques Le Goff desenvolve o conceito de decadência. Segundo Le Goff, somente após o movimento iluminista, no século XVIII, é que algumas sociedades europeias passaram a identificar a história com o progresso; no entanto, o autor afirma que em todo período anterior, a história teria sido identificada com o conceito de decadência, no sentido em que o passado é visto sempre melhor e fonte de inspiração para o presente. Nesta obra, Le Goff destaca o Renascimento como um caso emblemático de decadência. Com relação às artes e às letras na época do renascimento, os humanistas dos séculos XV e XVI afirmavam:


Que o alto nível das artes e das letras no período nada tinham a ver com a Antiguidade.


Que a literatura e as artes plásticas passavam por um período de florescimento, dando continuidade ao período medieval.
 


Que a literatura e as artes plásticas, em profundo declínio no período anterior, renasciam nos séculos XV e XVI com o esplendor da Antiguidade.
 


Que as letras continuavam as tradições medievais, enquanto a pintura rompia com os velhos estilos.
 


Que as artes continuavam as tradições medievais, enquanto a literatura criava novos estilos.
 

As causas do Renascimento são certamente diversificadas e complexas. De qualquer forma, são frequentemente apontados como fatores importantes que motivaram este evento histórico:

 

I) o crescimento das cidades e o considerável desenvolvimento do comércio.

II) a ideia de uma comunidade universal sob a autoridade soberana do papa,

III) a valorização da cavalaria e o ressurgimento da filosofia escolástica.

 

Estão corretas as afirmações contidas em:


I e II.


II e III.


I.


I, II e III.


I e III.

O surgimento dos chamados Estados Nacionais resultam de uma intensa reformulação da vida comercial e urbana na Europa da Baixa Idade Média. A agitação histórica que caracteriza esse período deve ser considerada e analisada com cautela. Em termos gerais, a noção de cidadania, a divisão dos três poderes (executivo, legislativo, judiciário), dos direitos civis e da representatividade política estão presentes na gênese dos Estados Nacionais Modernos. Sabendo disso, assinale a alternativa referente às realizações do estado que favoreceram a atividade burguesa:

 


Padronização de pesos, medidas e moeada dentro do território nacional.


Desarticulação do ideal de exército nacional típico do militarismo medieval.


Implantação de medidas econômicas liberalistas.


Fragmentação da autoridade estatal que passou a figurar nas mãos da nobreza fundiária.


Profissionalização do Clero católico que passou a ser remunerado pelo Estado.

Leia o trecho seguinte:


“(...) Como a Revolução Francesa não teve apenas por objetivo mudar um governo antigo, mas abolir a forma antiga da sociedade...” (TOCQUEVILLE, A. O antigo regime e a revolução; Trad. de Yvonne Jean. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1997.)


A forma antiga de sociedade a que o texto se refere é a:


organização social que considerava homens livres apenas os grandes proprietários rurais e o possuidor de grande riqueza monetária.


estrutura social organizada em dois estames: os proprietários de terras e os escravos e que excluía a maioria da população da participação política.
 


organização social baseada nos vínculos de homem a homem, no qual a classe de senhores especializados dominava uma massa campesina que explorava a terra.
 


hierarquia social que concedia honras e privilégios em função do nascimento e dividia de maneira discriminatória a população segundo ordens ou estados.
 


hierarquia social centrada nos laços de sangue que assegurava proteção e direitos políticos à aristocracia, aos comerciantes e aos artesãos.
 

No que tange à repercussão sociopolítica do movimento de 1848 e seus antecedentes históricos, é possível avaliar as afirmações a seguir como corretas ou erradas.

 

I. Enquanto no final do século XVIII as simpatias pela Revolução Francesa permaneceram excepcionais, em 1848 as sociedades europeias são atravessadas por demandas políticas: o povo exige mais liberdade.

II. Expressa também as demandas das populações urbanas pela liberdade de imprensa e o estabelecimento de Constituições democráticas. Neste contexto, as notícias da revolução parisiense têm o efeito de uma faísca.

III. A Áustria, pilar da ordem restaurada, foi tocada primeiro. Em 13 de março, após eventos mobilizando trabalhadores e estudantes, Viena despertou, forçando Metternich a fugir e o Imperador Ferdinand a conceder uma Constituição.

IV. O discurso totalitário do Antigo regime, certamente, foi a fonte de inspiração para o movimento que, embora popular, tenha pretensões monárquicas.

 

É correto apenas o que se afirma em:


I, II e IV


I, II e III


I e III


III e IV


II e IV

Proudhon, em Filosofia da Miséria, diz que "todas as utopias sociais, políticas e religiosas" são "o maior obstáculo para o progresso do progresso de hoje” Considerando esse contexto, avalie as seguintes asserções e a relação proposta entre elas.

I. As utopias eruditas de Platão e Fenelon eram ridículas porque eram impraticáveis.

PORQUE

II. O que era compatível com a prática era bom na política e na moralidade.

A respeito dessas asserções, assinale a opção correta:


As asserções I e II são proposições falsas.


A asserção I é uma proposição verdadeira, e a II é uma proposição falsa.

 


As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a II não é uma justificativa da I.


A asserção I é uma proposição verdadeira, e a II é uma proposição falsa.


As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a II é uma justificativa da I.

No que tange ao comércio internacional e economia mundial no período Expansionista, é possível avaliar as afirmações a seguir como corretas ou erradas.

I. O contrabando de mercadorias como tabaco, café, arroz, enriqueceu o Banco da Inglaterra que revertia isso para o comércio com a China.

II. Os metais da América auxiliavam na construção do imenso complexo comercial que se formaria em uma “economia-mundo”

III. A Companhia das Índias Orientais (East Índia Co.) intensificaria, ainda na década de 40 do século XVIII o comércio com suas possessões na Ásia.

IV. O símbolo de riqueza para a Europa muda do Atlântico para o Índico.

 

É correto apenas o que se afirma em:


III e IV


I, II e III

 


I e III


II e IV


I, II, III e IV

Considerando os dados históricos relativos ao período de expansionismo marítimo e estabelecimento de possessões ultramarinas, assinale a alternativa correta quanto ao Tratado de Tordesilhas:


O Papa Alexandre VI recusou a posição de árbitro internacional e se opôs, sistematicamente, à ideia de um tratado regulador das relações Portugal/Espanha.

 


O catolicismo não abriu mão das possibilidades territoriais garantidas pelo tratado de Tordesilhas e uteis ao propósito de catequisar os negros africanos em suas Missões.


Os tratados firmados perante o Papa Alexandre VI previam expansão do catolicismo, corroborando o aumento do islamismo no mundo oriental, africano e parte da Europa.


As igrejas protestantes se mobilizaram no sentido de expandir o novo entendimento quanto à cristandade por terras americanas e recorrendo à expansão possibilitada pelo Tratado de Tordesilhas.


Portugal não tinha o menor interesse em um tratado que demarcasse fronteiras e áreas de expansão porque tinha planos de encerrar seu projeto expansionista fracassado.

Após refletir sobre a relação entre desenvolvimento produtivo e sustentabilidade ambiental, analise as afirmativas seguintes, assinalando como verdadeira (V) ou falsa (F) cada proposição.

(  ) Entusiasmo cercado de perigos, em um momento anterior, quando o mundo, sobretudo a Europa, havia sido cego para os riscos e efeitos colaterais da civilização da maquinofatura sobre meio ambiente.

(  ) Sempre foi uma preocupação do empresariado europeu do séc. XIX instalar um sistema produtivo que não agredisse o meio ambiente e que mantivesse uma diretriz de produção comprometida com a salubridade e a sustentabilidade.

(  ) A ebulição econômica que caracterizou o surgimento da chamada sociedade de consumo, alterou a capacidade coletiva de perceber e compreender, lucidamente, a crise ambiental que se instalara.

( ) Nos grandes centros urbanos (Londres era, sem dúvida, o maior deles), o ser humano passou a ser a primeira espécie a ser ameaçada. O que afetava o meio ambiente, inevitavelmente, prejudicava vida humana ao redor das fábricas.

Agora assinale a alternativa que apresenta a sequência correta:


V; V; V; V.


F; F; F; F.


V; F; V; V.


V; V; F; V..


V; V; F; F.

Após refletir sobre as teorias políticas de Razão de Estado e sua convergência para o Mercantilismo, analise as afirmativas seguintes, assinalando como verdadeira (V) ou falsa (F) cada proposição.

 

 (  ) Para superar as forças centrífugas, é necessário subordinar, até mesmo, a vida econômica. Pensava-se, portanto, em termos de utilidade social e prosperava a ideia de uma conversão de vícios privados nas virtudes públicas através da ação autoritária do Estado.

 (  ) Porque não somos perfeitos e vivemos com pessoas imperfeitas; e o mundo moderno como o lugar onde todos tem suas vistas voltadas para o lucro, surge o imperativo de um Estado regulador, que garanta o bem comum. 

(  ) Para novos males, novos remédios. O marinheiro nem sempre governa a vela da mesma maneira para ganhar um outro porto. As considerações do governo mudam, assim como os conselhos [...] conforme a necessidade, portanto.

(  ) Exige-se a mediação de um soberano que, como um bom comerciante, deve maximizar seu ganho, sendo necessário que o "policiamento estatal" garanta a ordem, assegurando o preço certo, a qualidade dos bens e o pagamento de impostos para que se garanta o bem-estar social.

 

Agora assinale a alternativa que apresenta a sequência correta:

 


V; V; V; V.


V; F; V; F.


V; V; F; V.


F; F; F; F.


V; V; F; F.

Páginas: 12