LÍNGUA PORTUGUESA


Os sinais de pontuação constituem recursos da língua escrita, e não da língua falada. Uma frase mal pontuada pode gerar confusões, ambiguidades e mal-entendidos. Portanto, esses sinais possuem dupla finalidade: semântica e de orientação de leitura.

Das afirmativas, a seguir, marque aquela que sintetiza essa ideia sem mudar ou alterar o sentido:


O mau emprego dos sinais de pontuação não constitui erro nem sob o aspecto gramatical ou ortográfico, nem de entendimento real daquilo que se deseja comunicar.


O mau emprego dos sinais de pontuação constitui erro não só sob o aspecto gramatical ou ortográfico, mas de entendimento real daquilo que se deseja comunicar.


O mau emprego dos sinais de pontuação constitui correção do aspecto gramatical ou ortográfico, assim como do entendimento real daquilo que se deseja comunicar.


O mau emprego dos sinais de pontuação constitui erro só sob o aspecto gramatical ou ortográfico e, não, de entendimento real daquilo que se deseja comunicar.


O mau emprego dos sinais de pontuação não constitui erro sob o aspecto gramatical ou ortográfico, mas de entendimento real daquilo que se deseja comunicar.

Existem algumas modalidades de gramática, conforme o foco ou objeto formal sob o qual a língua é considerada. Mamede (2017) apresenta-nos quatro denominações ou tipos de gramática.

Associe cada tipo de gramática à sua identificação pelas especificidades e particularidades referentes a cada uma:

 

1- Gramática normativa
2- Gramática escolar
3- Gramática reflexiva
4- Gramática descritiva


(  ) Ela apenas constata a existência de uma estrutura da língua e a apresenta em suas formas de ocorrência e funcionamento. Atuando em todos os níveis de ocorrência da língua, ela atém-se a todas as variantes linguísticas, da língua culta ou norma padrão à língua coloquial. Não tem a preocupação com o certo e errado, para corrigir o “errado” e ensinar o “certo”.

(  ) O ponto de partida para a constituição dessa gramática é o texto. É uma extensão, também, por assim dizer, da filologia, ramo mais elevado dos estudos linguísticos que parte do texto para apresentar ou expor os fatos da língua. São os textos que determinam a existência dos fatos constitutivos da língua. O texto é explorado com base nos fatos gramaticais, na semântica, na teoria do discurso, na linguística textual.

(  ) Os fatos da língua são expostos de forma gradativa, passando da simplicidade à complexidade. Não é isolada, desvinculada de uma situação real. Apresenta os fatos a partir de situações concretas, geralmente em textos ou demais ocorrências da língua. A apresentação ou exposição dos fatos é seguida de exercícios para treinamento, com orientações didáticas e pedagógicas.

(  ) Esta é a gramática que inspira a língua padrão, ou língua culta. É a que deve ser seguida pelos usuários da língua que desejam expressar-se de acordo com os ditames da correção de linguagem, dos acertos gramaticais e estilísticos, coerentes com o grau de instrução de que são detentores. É, portanto, a gramática que constitui a fonte de comprovação de “certo ou errado” de uma estrutura linguística.

 

A correta associação é a que consta na opção:


4, 3, 2, 1


2, 1, 4, 3


1, 2, 3, 4


4, 2, 2, 3


3, 2, 4, 1

Em seus estudos sobre “As dificuldades mais frequentes da língua”, você observou alguns casos muito importantes/necessários para se construir um bom texto, seja ele oral ou escrito. A partir disso, analise as orações abaixo e assinale C para as que estejam corretas e E para as que estejam erradas.

 

(  ) A menina está meia adoentada.

(  ) Alguns políticos dão mau exemplo aos próprios filhos.

(  ) Por favor, aonde você vai com tanta pressa?

(  ) Minha mãe está meio nervosa porquê meu irmão não fez a lição de casa.

 

A opção correta é:


E, C, C, E.


E, C, C, C.


E, E, C, E.


E, E, E, C.


E, E, E, E.

O conhecimento das estruturas oracionais ou frasais conduz ao conhecimento das situações e normas de pontuação, para a correta expressão do pensamento. Nesse sentido, os sinais de pontuação constituem recursos da língua escrita, e não da língua falada.

PORQUE

Na língua falada, os recursos de compreensão da mensagem são as inflexões de voz, a entonação e outras situações de expressão oral. Já na escrita, os sinais de pontuação determinam significados e orientam o leitor às inflexões de voz e de entonação, no caso da leitura dos textos escritos.

 

A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.


As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a segunda é uma justificativa correta da primeira. 


As asserções I e II são proposições falsas. 


As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a segunda não é uma justificativa correta da primeira. 


A asserção I é uma proposição falsa, e a asserção II é uma proposição verdadeira. 


A asserção I é uma proposição verdadeira, e a asserção II é uma proposição falsa. 

Leia o texto:

A ciência para o século XXI

Ciência para todos

"A sociedade do conhecimento" implica a realização do pleno potencial de capacidade tecnológica, aliando metodologias tradicionais e modernas que estimulem a criação científica e conduzam a um desenvolvimento humano sustentável. 

A democratização da ciência coloca três objetivos principais:

• aumentar o número de seres humanos que se beneficiam de forma direta do progresso das pesquisas de C&T as quais devem dar prioridade às populações afetadas pela pobreza;

• expandir o acesso à ciência, entendida como um componente central da cultura;

• exercer controle social sobre a C&T e sobre a orientação dada a ela, através da adoção de opções morais e políticas, consensuais e explícitas. O que foi dito acima enfatiza a importância da educação em C&T e sua popularização entre a sociedade em geral.

 

A ciência para o século XXI: uma nova visão e uma base de ação– Brasília: UNESCO, ABIPTI, 2003. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/ue000207.pdf Acesso em: 04 set. 2017

 

Nesse fragmento de texto, a palavra CIÊNCIA aparece cinco vezes. Que outra palavra é acentuada graficamente no texto segundo a mesma regra de acentuação:


Importância


Científica


Número


Tecnológica


Explícitas

Leia as assertivas a seguir:

I- As conjunções e as preposições, palavras que ligam palavras e orações, estabelecendo relações de coordenação, subordinação, oposição, causalidade, consequência, comparação, etc., são de extrema importância na comunicação humana

PORQUE

II- As formas de comunicação e de relacionamento social tornaram-se cada vez mais complexas e, para dar conta dessa complexidade crescente no mundo, a linguagem verbal também se desenvolveu e criou mecanismos específicos para estabelecer relações entre as ideias, relações essas que podem ser estabelecidas, por exemplo, pelas classes de palavras apresentadas (conjunção e preposição).


A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.


As asserções I e II são proposições falsas.


A asserção I é uma proposição falsa, e a asserção II é uma proposição verdadeira. 


A asserção I é uma proposição verdadeira, e a asserção II é uma proposição falsa. 


As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a segunda não é uma justificativa correta da primeira. 


As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a segunda é uma justificativa correta da primeira. 

Leia o trecho da crônica a seguir, de Paulo Mendes Campos, intitulada “No subúrbio da gramática”.

“Conjunção – Palavra invariável que liga e relaciona entre si duas orações completas ou incompletas. Exemplos [...] Casimiro de Abreu aos oito anos de idade andava descalço, conforme se sabe. – Sete cidades gregas reclama a cidadania de Homero, e, contudo, há quem afirme que ele nem nasceu. – D. H. Lawrence gostava de cachorros, crisântemos, de cobras venenosas, mas embirrava muito com as pessoas. – Não sei se Rui Barbosa teria medo de avião. – Caso Cleópatra estivesse viva, os fotógrafos não a deixariam em paz; daí o ter morrido; sem embargo, ninguém sabe que espécie de ofídio lhe deu a morte. [...] – Jarry já chora, já ri. Todo mundo gostava de La Fontaine, visto que tratava bem as formigas. – Kant era mais pontual do que o relógio. [...] – Desde que Shelley caísse na água, Byron ficava apavorado.”

In: CEREJA, W. R.; MAGALHÃES, T. C. Português linguagens: volume 2. São Paulo: Saraiva, 2010, p. 210.

No texto, o cronista faz uma brincadeira a partir do conceito gramatical da conjunção, prestando informações divertidas sobre as personalidades citadas, por meio de orações interligadas por vários tipos de conjunções.

Analise as afirmativas, a seguir, quanto aos valores semânticos de algumas das conjunções empregadas no texto.

I. Em "Casimiro de Abreu aos oito anos de idade andava descalço, conforme se sabe.", a conjunção destacada tem valor de conformidade.

II. No trecho "D. H. Lawrence gostava de cachorros, crisântemos, de cobras venenosas, mas embirrava muito com as pessoas.", o mas foi empregado com sentido de oposição.

III. Quando o autor diz "Todo mundo gostava de La Fontaine, visto que tratava bem as formigas.", o termo destacado indica a causa, o motivo, a razão pelo qual todos gostavam de La Fontaine, ou seja, é uma conjunção causal.

É correto o que se afirma em:   


Apenas em I.    
I, II e III.
Apenas em II.   
I e II.     
II e III.  

Leia o trecho da crônica a seguir, de Paulo Mendes Campos, intitulada “No subúrbio da gramática”.

“Conjunção – Palavra invariável que liga e relaciona entre si duas orações completas ou incompletas. Exemplos [...] Casimiro de Abreu aos oito anos de idade andava descalço, conforme se sabe. – Sete cidades gregas reclama a cidadania de Homero, e, contudo, há quem afirme que ele nem nasceu. – D. H. Lawrence gostava de cachorros, crisântemos, de cobras venenosas, mas embirrava muito com as pessoas. – Não sei se Rui Barbosa teria medo de avião. – Caso Cleópatra estivesse viva, os fotógrafos não a deixariam em paz; daí o ter morrido; sem embargo, ninguém sabe que espécie de ofídio lhe deu a morte. [...] – Jarry já chora, já ri. Todo mundo gostava de La Fontaine, visto que tratava bem as formigas. – Kant era mais pontual do que o relógio. [...] – Desde que Shelley caísse na água, Byron ficava apavorado.”

In: CEREJA, W. R.; MAGALHÃES, T. C. Português linguagens: volume 2. São Paulo: Saraiva, 2010, p. 210.

No texto, o cronista faz uma brincadeira a partir do conceito gramatical da conjunção, prestando informações divertidas sobre as personalidades citadas, por meio de orações interligadas por vários tipos de conjunções.

Analise as afirmativas, a seguir, quanto aos valores semânticos de algumas das conjunções empregadas no texto.

I. Em "Casimiro de Abreu aos oito anos de idade andava descalço, conforme se sabe.", a conjunção destacada tem valor de conformidade.

II. No trecho "D. H. Lawrence gostava de cachorros, crisântemos, de cobras venenosas, mas embirrava muito com as pessoas.", o mas foi empregado com sentido de oposição.

III. Quando o autor diz "Todo mundo gostava de La Fontaine, visto que tratava bem as formigas.", o termo destacado indica a causa, o motivo, a razão pela qual todos gostavam de La Fontaine, ou seja, é uma conjunção causal.

É correto o que se afirma em:   


II e III.  
Apenas em I.    
Apenas em II.   
I e II.     
I, II e III.
Leia o texto: A CONQUISTA DA AMAZÔNIA REFLEXOS NA SEGURANÇA NACIONAL Rubens Rodrigues Lima   Reflexos da Conquista da Amazônia na Segurança Nacional CONCEITO MODERNO DE SEGURANÇA NACIONAL Nestes últimos 30 anos foi considerável a evolução do conceito de Segurança Nacional. As armas nucleares e o recrudescimento de conflitos Ideológicos a par de Interesses econômicos e o excesso de população em algumas áreas do mundo, são os fatores essenciais que agora interferem para transformar a antiga concepção de que a segurança de um país estava a depender da sua capacidade de fazer face a uma agressão armada, na qual eram conhecidos o adversário, o campo inicial de batalha e os efeitos dos combates eram limitados pelo alcance dos armamentos convencionais. A corrida tanto no Ocidente como no Oriente, pela obtenção de armas atômicas, cada vez mais potentes, o aperfeiçoamento dos meios de fazê-las atingir o adversário e o aprimoramento dos sistemas de defesa, tendem a estabelecer um equilíbrio de forças, diminuindo as possibilidades da agressão direta entre as grandes potências. Por isso mesmo, a infiltração ideológica e as pressões políticas e econômicas constituem, no mundo moderno, as principais formas de hostilidade de um país a outro, objetivando anular a sua capacidade de resistência, sem os riscos de uma conflagração total pois os conflitos que vez por outra originam são pouco susceptíveis de provocar o emprego de armas atômicas. Aqueles meios de ação buscam, em primeiro lugar, o domínio psicológico. Hoje em dia, graças aos recursos que oferecem os atuais sistemas de propaganda, qualquer cidadão, mesmo os da nível intelectual menos favorecido, dispondo de um instrumento de comunicações do mais simples que seja, um pequeno rádio de pilha, por exemplo, em qualquer lugar onde se encontre, pode participar como ouvinte da pregação unilateral de grandes problemas mundiais, e dela tornar-se simpatizante sem se aperceber que está sendo submetido a uma doutrinação contrária aos interesses de seu próprio país. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me002210.pdf Acesso em: 04 set. 2017. As palavras do texto que possuem acento gráfico pela mesma razão que justifica o acento na palavra SUSCETÍVEIS estão descritas na opção:

econômicos – áreas - país
Amazônia – potências - rádio
ideológicos – considerável - resistência
adversário – atômicas - nível        
equilíbrio – contrária – fazê-las
O trecho a seguir foi retirado do livro “Tecnologia Educacional: formação de professores no labirinto do ciberespaço”, de José Augusto de Melo Neto. Observe: “A totalidade dos professores pesquisados respondeu afirmativamente, porém com ressalvas quanto ao acesso. Isto pode ter sido apontado devido a quantidade de laboratórios de 42 informática limitados por município. Normalmente há apenas um em cada cidade. No caso do município de Itacoatiara havia três escolas com laboratório de informática, porém apenas uma possuía 43 acessos à Internet” (MELO NETO, 1969, p. 49). Disponível em: Acesso em 31 jul 2017. Em relação aos termos em destaque, morfologicamente e em sequência, podemos classificá-los como:

Pronome reflexivo, numeral, artigo indefinido, numeral.
Pronome interrogativo, artigo indefinido, numeral, artigo indefinido.    
Pronome demonstrativo, numeral, numeral, numeral. 
Pronome pessoal, numeral, numeral, numeral, numeral.
Pronome demonstrativo, artigo indefinido, numeral, artigo indefinido.
Páginas: 123456789