CRISES E IMPASSES DO MUNDO CONTEMPORÂNEO


Durante um período crítico da Guerra Fria, milhares de americanos foram acusados de ser comunistas ou filocomunistas, tornando-se objeto de investigações agressivas. A maior parte dos investigados pertencia ao serviço público, à indústria do espetáculo, cientistas, educadores e sindicalistas e até militares de alta patente.

Esse movimento de policiamento ideológico e perseguição sistemática nos Estados Unidos, e países aliados, ficou conhecido na historiografia como:


Macartismo.


Integralismo.


Fascismo.


Revanchismo.


Conservadorismo.

O período entre as duas guerras mundiais (1919 - 1939) foi marcado por:


sucesso do capitalismo, do liberalismo e da democracia e coexistência fraterna entre fascismo e comunismo.


prosperidade das economias capitalistas e socialistas e aparecimento da Guerra fria entre os EUA e a URSS.


crise do capitalismo, do liberalismo e da democracia e polarização ideológica entre fascismo e comunismo.


estagnação das economias socialistas e capitalistas e aliança entre os EUA e a URSS para deter o avanço fascista da Europa.


coexistência pacífica entre os blocos americano e soviético e surgimento do capitalismo monopolista.

Sobre a Revolução Russa de 1917, é correto afirmar que:

I. A revolução resultou na saída da Rússia da Primeira Guerra Mundial em 1917, por Lênin considerar está uma guerra imperialista.

II. A Revolução caracterizou-se como um movimento liberal, organizado pelos intelectuais orgânicos dos Sovietes dos Camponeses, Burgueses e Operários.

III. As questões sociais relacionadas à terra, à carência de abastecimento (fome crônica) e à permanência da Rússia na Primeira Guerra foram fundamentais para a eclosão da Revolução.

IV. A Revolução de Outubro teve uma profunda influência no cenário internacional e se espalhou para a Hungria, Alemanha, Itália, entre outros.

Estão corretas as alternativas contidas em:


I, III e IV.


I e IV.


I e III.


I, II, III e IV.


II e IV.

O final da 1ª Guerra Mundial (1914-1918) levou a derrota à Alemanha, que se viu obrigada a assinar o Tratado de Versalhes que intensificou a humilhação e o isolamento da Alemanha. Esse tratado determinou que:


seu território seria drasticamente reduzido, mas a Alemanha ficaria livre das pesadas indenizações.


o início da chamada “Guerra Fria” que perdurou até a década de 80, dando margem à formação de várias alianças entre os países vencedores.


a Alemanha, apesar de derrotada, poderia participar da Liga das Nações criada ao término da guerra.


ocorresse uma grande corrida armamentista dos países vencedores da guerra e domínio de outros países (Ásia e África) em busca de matérias-primas.


a Alemanha foi responsabilizada pela guerra e por esse motivo obrigada a pagar aos aliados pesadas indenizações em dinheiro, máquinas e produtos químicos.

Segundo o historiador Eric Hobsbawm, a Primeira Guerra Mundial abre um novo período na história da humanidade, que ele caracterizou com “era dos extremos”. Pode-se afirmar que a principal razão do conflito mundial iniciado em 1914 foi:


a brusca queda do comércio internacional que colocou em evidência a fragilidade do sistema capitalista.


o choque dos imperialismos, de raízes econômicas, mas que se expressou de forma política e militar.


o conflito religioso, de raízes políticas, mas que se expressou militarmente pela corrida armamentista.


a crise econômica que afetou significativamente o campo político e social das nações europeias.


o revanchismo nacionalista, de origem étnica, mas que se expressou através da expansão colonialista.

Segundo Keynes, para criar demanda, as pessoas deveriam obter meios para gastar. Uma conclusão daí decorrente é que os salários de desemprego não deveriam ser considerados simplesmente como débito do orçamento, um meio por intermédio do qual a demanda poderia aumentar e estimular a oferta. Além do mais, uma demanda reduzida significava que não haveria investimento suficiente para produzir a quantidade de mercadorias necessárias para assegurar o pleno emprego. Os governos deveriam, portanto, encorajar mais investimentos, baixando as taxas de juros, bem como criar um extenso programa de obras públicas, que proporcionaria emprego e geraria uma demanda maior de produtos industriais.

O texto refere-se a uma teoria cujos princípios estiveram presentes:


na criação da Comunidade Econômica Europeia, organização que visa o livre comércio entre os países.


no Plano Marshall, cujo objetivo era recuperar a economia europeia através de maciços investimentos.


no livro O CAPITAL, onde se encontram os princípios básicos que fundamentam o socialismo marxista.


no "New Deal", planejamento econômico baseado na intervenção do Estado, elaborado devido à crise de 1929.


na obra MEIN KAMPF, que desenvolveu os fundamentos do nazismo: ideia da existência da raça ariana.

O Plano Marshall, aplicado pelo governo norte-americano após a Segunda Guerra Mundial, visava: 


a recuperação econômica da Europa para neutralizar o expansionismo soviético. 


conceder apoio político e econômico aos países do Terceiro Mundo. 


ratificar o Tratado do Atlântico Norte. 


a formulação de princípios que impediam a intervenção dos EUA nas questões internacionais.


a preservação da paz mundial com a formação da Organização das Nações Unidas (ONU). 

Segundo Keynes, para criar demanda, as pessoas deveriam obter meios para gastar. Uma conclusão daí decorrente é que os salários de desemprego não deveriam ser considerados simplesmente como débito do orçamento, um meio por intermédio do qual a demanda poderia aumentar e estimular a oferta. Além do mais, uma demanda reduzida significava que não haveria investimento suficiente para produzir a quantidade de mercadorias necessárias para assegurar o pleno emprego. Os governos deveriam, portanto, encorajar mais investimentos, baixando as taxas de juros, bem como criar um extenso programa de obras públicas, que proporcionaria emprego e geraria uma demanda maior de produtos industriais.

O texto refere-se a uma teoria cujos princípios estiveram presentes:


no livro O Capital, onde se encontram os princípios básicos que fundamentam o socialismo marxista.


na criação da Comunidade Econômica Europeia, organização que visa o livre comércio entre os países.


na obra Mein Kampf, que desenvolveu os fundamentos do nazismo: ideia da existência da raça ariana.


no Macarthismo, cujo objetivo era a repressão dos opositores do regime e das políticas norte-americanas.


no "New Deal", planejamento econômico baseado na intervenção do Estado, elaborado devido à crise de 1929.

A solução americana para a crise de 1929 caracteriza-se como:


uma saída nacional que acentua o papel dirigente do Estado em determinados setores econômicos, conhecida como "New Deal".


a introdução, na cultura americana, de valores europeus através da incorporação de tecnologia à economia americana e de alternativas de seguridade total.


o resultado da insatisfação da sociedade americana com relação aos princípios liberais assumidos pelos partidos de esquerda que se vinculavam ao governo.


o processo de busca de alternativas socialistas para a crise do capitalismo com a mudança de regime político.


o resultado das pressões comunistas sobre o governo americano, que acaba assumindo, como política, a eliminação dos interesses privados na economia.

Considere o trecho abaixo:

(...) apesar da retórica apocalíptica de ambos os lados, mas sobretudo do lado americano, os governos das duas superpotências aceitaram a distribuição global de forças no fim da Segunda Guerra Mundial, que equivalia a um equilíbrio de poder desigual mas não contestado em sua essência. (HOBSBAWM, Era dos extremos, 1995, p. 224.)

Sobre a Guerra Fria, é correto afirmar que:

I) Os Estados Unidos possuíam maior quantidade de países aliados.

II) A influência da URSS era maior quanto à extensão territorial total.

III) A propaganda foi pouco utilizada na disputa entre as duas superpotências.

Estão corretas as afirmações contidas em:


I e II.
I e III.
I, II e III.
II e III.
I.
Páginas: 123